Mariano Martins

Mariano Martins OTE (Aljustrel, 8 de dezembro de 1880Lisboa, 22 de maio de 1943) foi um militar, político e administrador colonial português.

Mariano Martins
Nascimento 8 de dezembro de 1880
Aljustrel
Morte 22 de maio de 1943 (62 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portuguesa

BiografiaEditar

Era filho de Sebastião Rodrigues e de sua mulher Firmiana Rita da Costa.

Frequentou o curso superior de Comércio no Instituto Industrial. Ingressou na Armada em 1899, ascendeu a Aspirante a Oficial de 1.ª Classe em 1903, Guarda-Marinha em 1905; Segundo-Tenente em 190?, Primeiro-Tenente em 1910, Capitão-Tenente em 1917 e Capitão-de-Fragata em 1918, alcançando a patente de Capitão de Mar e Guerra em 1930. Envolveu-se no Movimento de 14 de Maio de 1915.

Foi Deputado, Governador de São Tomé e Príncipe (1911 a 1913), Governador Civil do Distrito de Vila Real (1913 a 1914) e do Distrito de Lisboa (1915). Foi Ministro da Agricultura no Governo de Cunha Leal (1921 a 1922) e Ministro das Colónias (1923 a 1924), no governo de Álvaro de Castro. Foi nomeado Governador da Índia entre 1925 e 1926. Ao final de sua carreira, Capitão de Fragata, adere ao Estado Novo. A 29 de maio de 1926 foi feito Oficial da Antiga e Muito Nobre Ordem Militar da Torre e Espada, do Valor, Lealdade e Mérito.[1]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Mariano Martins". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 26 de fevereiro de 2015 

FontesEditar

Precedido por
Jaime Daniel Leote do Rego
Governador de São Tomé e Príncipe
1911 — 1913
Sucedido por
Pedro do Amaral Boto Machado
Precedido por
Francisco Maria Peixoto Vieira
Governador-Geral da Índia Portuguesa
1925 — 1926
Sucedido por
Tito Augusto de Morais