Abrir menu principal
Marie-Monique Robin em 2009.

Marie-Monique Robin (Poitou-Charentes, 1960) é uma premiada jornalista francesa.

Recebeu o prêmio Albert Londres em 1995, por Voleurs d'yeux, um trabalho sobre o roubo de órgãos. É autora de um livro e um documentário intitulados Escadrons de la mort, l'école française (Os Esquadrões da morte: A escola francesa), sobre as ligações entre os serviços secretos francês, argentino e chileno.

Índice

FilmografiaEditar

  • "Escadrons de la mort, l'école française". Documentário (2003). Título em português: Os Esquadrões da morte: A escola francesa). O filme trata da transferência das técnicas de tortura usadas pelo serviço secreto francês, para as organizações de repressão política da América Latina.[2]

ControversiaEditar

Sua afirmações sobre roubo de órgãos no documentário Voleurs d'yeux levaram uma grupo de mécicos franceses a examinar os olhos de Jeison, suposta vítima do crime. A embaixada colombiana levou Jeison (então com 12 anos de idade) num vôo para Paris em agosto de 1995, a fim de ter seus olhos examinados por dois renomados especialistas franceses em doenças infecciosas e oftalmologia. Um pediatra avaliou os prontuários do menino.

O relatório dos médicos franceses apontou que os globos oculares, apesar de atrofiados, ainda estavam lá, assim como partes da córnea.

Pode-se acrescentar que, com suas 28.000 mortes violentas por ano, a Colômbia não tem escassez de doadores de qualquer tipo. De acordo com a lei colombiana, todos são doadores em potencial a menos que a família faça objeção.

Devido ao resultado do exame médico, o júri do Albert Londres suspendeu o prêmio de Robin e prometeu reanalisar o seu documentário.[3]

Referências

  1. - Internet Archives - Torture Made in USA (2009)- em francês - Dirigido por Marie-Monique Robin acesso 14 de maio de 2014
  2. (em francês) Escadrons de la mort, l'école française. Acesso 14 de maio de 2014.
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 5 de julho de 2016. Arquivado do original em 15 de abril de 2016 

Referência BibliográficasEditar

Renard, G., M. Gentilini, A. Fischer, Rapport d’examen de i’enfant Wenis Yeison Crus Vargas. Paris, 10 August 1995.

Para as reações de Robin e de outras partes envolvidas ver:

Gillot, Nathalie, ‘Polémique sur l’enfant aveugle.’ France-Soir, 12 August 1995;

Nau, Jean-Yves, ‘Un reportage sur les greffes de cornées en Colombie suscite un polemique.’ Le Monde, 17 Aug. 1996;

Proenza, Anne, ‘Un document violemment critiqué a Bogota.’ Le Monde 17 Aug. 1995;

Bantman, Beatrice, ‘Jeison, aveugle mais pas victime.’ Liberation, 18 Sept. 1995;

Fritisch, Laurence,‘C’était une maladie,’ France-Soir, 19 Sept. 1995;

Nau, Jean-Yves, ‘Un rapport medical contredit un reportage sur un traffic d’organes en Colombie.‘ Le Monde, 19 Sept. 1995.


  Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.