Abrir menu principal

Mariema

actriz portuguesa
Mariema
Nome completo Mariema Mendes de Campos[1]
Nascimento 2 de setembro de 1943
Lisboa
Nacionalidade portuguesa
Morte 7 de outubro de 2018 (75 anos)
Lisboa
Ocupação Actriz
Outros prémios
Prémio Bordalo (1967) Teatro de Revista
Prémio Bordalo (1969) Teatro de Revista

Mariema Mendes de Campos[1], geralmente conhecida como Mariema, (Lisboa, 2 de Setembro de 1943 – Lisboa, 7 de Outubro de 2018) foi uma actriz portuguesa e a criadora do tema musical "O Fado Mora em Lisboa". Como actriz recebeu o Prémio Bordalo (1967) e (1969), na categoria "Teatro de Revista".

BiografiaEditar

Mariema Mendes de Campos nasceu em 2 de setembro de 1943, no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa.[2][3][4]

Começou a cantar fado por brincadeira, até que um dia a fadista Deolinda Rodrigues propôs que fosse para o teatro de revista.

Mariema estreou-se no teatro no Parque Mayer, como atracção na revista É Regar e Pôr ao Luar (1964), no palco do Teatro ABC.[5][6] A sua primeira rábula no teatro, denominada "Gémeas", chegaria na peça Ai Venham Vê-las, contracenando com Fernanda Borsatti.[5]

Seria no teatro Maria Vitória, na revista “Sopa no mel”, que cria o seu maior sucesso de sempre: “O Fado mora em Lisboa”. A partir daí nunca mais parou, criando no teatro rábulas de grande êxito e sucessos que ainda hoje andam de boca em boca, como “Lisboa, princesa do Tejo”, “Marujinho”, “Alfacinha de gema” entre muitos outros.[7]

Como actriz Mariema recebeu o Prémio Bordalo (1967), ou Prémio da Imprensa, na categoria "Teatro de Revista", entregue pela Casa da Imprensa em 1968, que também distinguiu o actor Raul Solnado e como "Melhor Espectáculo" Pão, Pão, Queijo, Queijo de Aníbal Nazaré, Eugénio Salvador e José Viana.[8]

Mariema viria ainda a ser distinguida com o Prémio Bordalo (1969), ou Prémio da Imprensa, na categoria "Teatro de Revista", como actriz na peça Esperteza Saloia, entregue pela Casa da Imprensa em 1970, que também distinguiu o actor Francisco Ribeiro e como "melhor corista" Lina Morgado.[8]

Ainda na década de 2010, é assinalado o regresso de Mariema, quinze anos depois de Preço Único, ao Teatro de Revista com as peças Olhó que Chove (2013)[9] e Revista Quer... É Parque Mayer (2015).[10]. Pelo meio encontramos o drama As Três (Velhas) Irmãs (2015).[10]

Na televisão, podem-se encontrar participações de Mariema em produções como Ouro Verde (2017), Santa Bárbara e Massa Fresca (2016), Sol de Inverno (2013), Velhos Amigos e Os Compadres (2011), Liberdade 21 (2009), Morangos com Açúcar (2008).[5]

Viveu os últimos anos da sua vida na Casa do Artista em Lisboa.[11]

Mariema morreu a 7 de outubro de 2018, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, aos 75 anos. Está sepultada no Talhão dos Artistas, do Cemitério dos Prazeres.[5][12][13]

FilmografiaEditar

TeatroEditar

Ano Peça Ref.
Ai Venham Vê-Las [5][12]
Sopa no Mel [5][12]
1964 É Regar e Pôr ao Luar [6]
1965 A Ponte a Pé! [6][12]
1967 Quem Tem Boca Vai a Roma [6]
1967 Pão, Pão... Queijo, Queijo [6][8][12]
1968 Grande Poeta É o Zé [6]
1969 Mãos à Obra [6]
1969 Esperteza Saloia [6][8]
1970 O Zé Faz Tudo! [6]
1971 Ó Zé Aperta o Cinto! [19]
1972 Pronto a Despir [6]
1973 P'rò Menino e p'rà Menina [6]
1973 Ver, Ouvir... e Calar / Ver, Ouvir ... e Falar!!! [6]
1975 Garotas no Espeto [6]
1975 Afinal como É? [6]
1979 Isso É que Era Bom! [6]
1982 Ó Zé Arreganha a Taxa [6]
1986 Lisboa, Tejo e Tudo [6]
1989 What Happened to Madalena Iglésias? [6]
1997 Preço Único [6][9]
1999 Amália [6][12]
2002 Minha Linda Senhora [6][12]
2009 Seis Personagens à Procura de Autor [5][6][12]
2010 Sangue Jovem (leitura encenada) [5][6]
2013 Olhó que Chove [9]
2014 É Revista, Com Certeza! [20]
2015 As Três (Velhas) Irmãs [6][12][10]
2015 Revista Quer... É Parque Mayer [6][10]

Referências

  1. a b Joana Amaral e Cardoso e Sérgio C. ANDRADE (7 de Outubro de 2018). «Morreu Mariema, "a última grande vedeta do teatro de revista"». Público. publico.pt. Consultado em 1 de dezembro de 2018 
  2. Joana Amaral Cardoso; Sérgio C. Andrade (8 de outubro de 2018). «Morreu Mariema, "a última grande vedeta do teatro de revista"». Público. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  3. CP // MAG; Agência Lusa; Porto Canal (8 de outubro de 2018). «Mariema foi "durante décadas vedeta absoluta do Parque Mayer" - Filipe La Féria». Porto Canal. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  4. Pedro Vendeira (8 de outubro de 2018). «Morreu Mariema, atriz de várias produções de sucesso na ficção nacional». A Televisão. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t Agência Lusa (8 de outubro de 2018). «Morreu a atriz Mariema, criadora de "O fado mora em Lisboa"». Blitz. Indica "1965" como ano de estreia no teatro. Presume-se gralha em "Ouro Negro" por "Ouro Verde". Consultado em 9 de outubro de 2018 
  6. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y «Ficha de Pessoa : Mariema». Centro de Estudos de Teatro & Tiago Certal. 24 de Maio de 2012. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  7. http://www.artistasunidos.pt/pessoas/os-actores/39-pessoas/actores/214-mariema
  8. a b c d «Prémios Bordalo». Em 1970 denominado "Prémio da Imprensa". Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 7 de outubro de 2017 
  9. a b c «Mariema volta à Revista à Portuguesa». Correio da Manhã. 16 de maio de 2013. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  10. a b c d e Ana Maria Ribeiro (28 de outubro de 2015). «Mariema volta ao Parque Mayer». Correio da Manhã. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  11. «Opinião : Eu Conto como Foi : Mariema». Vidas (Correio da Manhã). 27 de setembro de 2009. Consultado em 9 de outubro de 2018. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2009 
  12. a b c d e f g h i j k l m Maria João Caetano; Agência Lusa (8 de outubro de 2018). «Morreu a atriz Mariema. Não gostava de dizer quantos anos tinha». Diário de Notícias. Indica "1965" como ano de estreia no teatro. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  13. Agência Lusa (8 de outubro de 2018). «Morreu a atriz Mariema, criadora de "O Fado Mora em Lisboa"». Jornal de Notícias. Consultado em 9 de outubro de 2018 
  14. «Pessoa: Mariema». CinePT-Cinema Português. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  15. Agência Lusa (14 de julho de 2014). «Os gatos não têm vertigens" de António-Pedro Vasconcelos nos cinemas a 25 de setembro». Destak. Consultado em 7 de julho de 2015 
  16. «"Refrigerantes e Canções de Amor": O primeiro filme escrito por Nuno Markl». SAPO Mag. SAPO. 12 de julho de 2016. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  17. «Filme 'Axilas', de José Fonseca e Costa, estreia-se a 5 de Maio». Diário de Notícias da Madeira. Passar com rato por cima de data para ver ano. 31 de março de 2016. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  18. Joana Amaral Cardoso (29 de Abril de 2007). «TV Nostalgia». Público. Consultado em 14 de novembro de 2018 
  19. http://casacomum.org/cc/visualizador?pasta=06812.162.25781#!6
  20. http://www.ericeiramag.pt/peca-e-revista-com-certeza-regressa-a-ericeira/

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.