Marina Colasanti

Marina Colasanti (Asmara, 26 de setembro de 1937) é uma escritora, contista, jornalista, tradutora e artista plástica ítalo-brasileira nascida na então colônia italiana da Eritreia. A autora publicou mais de 70 obras para crianças e adultos.[1]

Marina Colasanti
Marina Colasanti em 2012
Nascimento 26 de setembro de 1937 (83 anos)
Asmara, Flag of Italy (1861–1946).svg África Oriental Italiana
(atualmente Eritreia)
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade italiana
brasileira
Cônjuge Affonso Romano de Sant'Anna
Ocupação Jornalista, escritora e tradutora
Prémios Prémio Jabuti (1993), (1994), (1997), (2010), (2011), (2014)

Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana (2019)
Prêmio Literário da Fundação Biblioteca Nacional (2009)
Prémio Iberoamericano SM de Literatura Infantil y Juvenil (2017)

Magnum opus Passageira em Trânsito
Página oficial
MarinaColasanti.com

BiografiaEditar

 
Marina Colasanti em 1968

Marina Colasanti nasceu em 26 de setembro de 1937, na cidade de Asmara, capital da Eritreia. Passou parte da infância em Trípoli, na Líbia, e também na Itália.[2] Em razão da difícil situação vivida na Europa após a Segunda Guerra Mundial, Colasanti e sua família emigram para o Brasil em 1948, fixando residência no Rio de Janeiro.[3][4] A sua mãe faleceu aos 40 anos quando Marina tinha 16 anos.[4]

Nascida numa família de artistas, neta de um professor de uma escola de artes, crítico de arte e escritor,[4][5] filha de Manfredo Colasanti e irmã de Arduino Colasanti, ambos atores, e sobrinha-neta de Gabriella Besanzoni, cantora lírica, Colasanti esteve sempre cercada por arte.[6] Durante os anos de 1952 e 1956, estudou pintura com Caterina Baratelli, e em 1956 entra para a Escola Nacional de Belas Artes, na cadeira de Professorado de Desenho.[7] A sua formação como artista plástica possibilitou que ela mesma pudesse, mais tarde, ilustrar suas obras.[5]

Em 1962, começou a trabalhar como jornalista no Jornal do Brasil, onde trabalhou por 11 anos e em diversas funções: redatora, repórter, editora, colunista e cronista. Depois, foi trabalhar na editora Abril, na Revista Nova, onde passou 18 anos, mas paralelamente foi publicando seus livros.[5] Em 1968, publicou seu livro de estreia Eu Sozinha.[6]

Traduziu importantes textos da Literatura italiana. Como escritora, publicou mais de 70 livros, entre contos, poesia, prosa, literatura infantil e infanto-juvenil.[1][8]

Conhecida por seus livros infantis, Colasanti já recebeu dezenas de prêmios literários, como o Jabuti em 1993, 1994, 1997, 2009, 2010, 2011 e, em 2014, venceu o prêmio na categoria Livro do Ano de Ficção. Seu livro de contos Uma Ideia Toda Azul recebeu o prêmio O Melhor para o Jovem, da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Em 2010, recebeu o Prêmio Jabuti pelo livro Passageira em trânsito.[9] Em 2017, ela recebeu o 13º Prêmio Ibero-americano SM de Literatura Infantil.[5]

A escritora se declara feminista histórica, fez parte do primeiro Conselho Nacional dos Direitos da Mulher e durante 20 anos atuou com temas ligados ao feminino no mundo, trabalho do qual resultaram quatro livros.[6]

É casada com o também escritor Affonso Romano de Sant'Anna.[10]

PrêmiosEditar

Ano Premiação Livro
1980 Prêmio FNLIJ 1980: Produção 1979: Jovem Uma Idéia Toda Azul[11]
1993 Prêmio FNLIJ 1993: Produção 1992: Jovem Entre a Espada e a Rosa[12]
1993 Prêmio Jabuti: Melhor Livro Infantil ou Juvenil Entre a Espada e a Rosa[13]
1994 Prêmio Jabuti: Melhor Livro Infantil ou Juvenil Ana Z. Aonde Vai Você?[14]
1994 Prêmio Jabuti: Poesia Rota de Colisão[14]
1994 Prêmio FNLIJ 1994: Produção 1993: Jovem Ana Z. Aonde Vai Você?[15]
1997 Prêmio Jabuti: Contos Eu Sei Mas Não Devia[16]
2002 Prêmio FNLIJ 2002: Produção 2001: Jovem “Hors-Concours” Penélope Manda Lembranças[17]
2003 Prêmio FNLIJ 2003: Produção 2002: Jovem “Hors-Concours” A Casa das Palavras e Outras Crônicas[18]
2003 Prêmio FNLIJ 2003: Produção 2002: Tradução Criança “Hors-Concours” As Aventuras de Pinóquio[18]
2004 IBBY Honour List As Aventuras de Pinóquio[19]
2004 Prêmio FNLIJ 2004: Produção 2003: Tradução Jovem “Hors-Concours” Bicos Quebrados[20]
2005 Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana[21]
2008 Prêmio FNLIJ 2008: Produção 2007: Poesia "Hors-Concours” Minha Ilha Maravilha[22]
2009 Prêmio Alphonsus de Guimaraens Passageira em Trânsito[23]
2010 Prêmio FNLIJ 2010: Produção 2009: Jovem “Hors-Concours” Com Certeza Tenho Amor[24]
2010 Prêmio Jabuti: Poesia Passageira em Trânsito[25]
2011 Prêmio Jabuti: Juvenil Antes de Virar Gigante e Outras Histórias[26]
2011 Prêmio Portugal Telecom em Língua Portuguesa: 3º lugar Minha Guerra Alheia[27]
2014 Prêmio FNLIJ 2014: Produção 2013: Criança “Hors-Concours” Breve História de um Pequeno Amor[28]
2014 Prêmio Jabuti: Infantil Breve História de um Pequeno Amor[29]
2014 Prêmio Jabuti: Livro do Ano Ficção Breve História de um Pequeno Amor[30]
2015 Prêmio FNLIJ 2015: Produção 2014: Jovem Hors-Concours Como uma Carta de Amor[31]
2015 Prêmio FNLIJ 2015: Produção 2014: Tradução/ Adaptação Jovem Stefano[31]
2016 Premio Fundación Cuatrogatos Breve Historia de un Pequeño Amor[32]
2016 IBBY Honour List Stefano[33]
2017 13º Prêmio Iberoamericano SM de Literatura Infantil e Juvenil[34]
2017 Prêmio Hors Concours da Cátedra Unesco de Leitura PUC – RJ Quando a Primavera Chegar[35]
2017 Prêmio FNLIJ 2017: Produção 2016: Tradução/ Adaptação Jovem O País de João[36]
2017 Prêmio FNLIJ 2017: Produção 2016: Tradução/ Adaptação Reconto O Anel Encantado[36]

BibliografiaEditar

Autobiografia

Citações

Coletânea de artigos

Contos

Crônicas

Ensaios

Livros infantis e juvenis

Poesia

Referências

  1. a b «"A leitura me fez escritora", diz Marina Colasanti na Feira do Livro de Joinville». AN. 11 de junho de 2018. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  2. Araújo, Luciana Kuchenbecker. «Marina Colasanti». Mundo Educação. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 26 de abril de 2018 
  3. Santana, Ana Lucia. «Marina Colasanti». InfoEscola. Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  4. a b c «Um Escritor na Biblioteca: Marina Colasanti». Cândido: Jornal da Biblioteca Pública do Paraná. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 22 de janeiro de 2019 
  5. a b c d «Como me tornei escritora. E a vida entre as palavras». Nexo Jornal. 21 de setembro de 2017. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  6. a b c Iaconis, Heloísa (26 de fevereiro de 2019). «Marina Colasanti não esgota o exercício de questionar a vida». Itaú Cultural. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 3 de maio de 2019 
  7. «Biografia». Marina Colasanti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2018 
  8. «Livros». Marina Colasanti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  9. Lopes, Carlos Herculano. Jabuti premia 21 autores. Estado de Minas, acesso em 2 de outubro de 2010
  10. Affonso Romano e Marina Colasanti: amor além da literatura
  11. «Prêmio FNLIJ 1980 - Produção 1979». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de abril de 2019 
  12. «Prêmio FNLIJ 1993 - Produção 1992». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de abril de 2019 
  13. «Premiados 1993». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  14. a b «Premiados 1994». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  15. «Prêmio FNLIJ 1994 - Produção 1993». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de abril de 2019 
  16. «Premiados 1997». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  17. «Prêmio FNLIJ 2002 - Produção 2001». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2018 
  18. a b «Prêmio FNLIJ 2003 - Produção 2002». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2018 
  19. «IBBY Honour List - 2004». IBBY - International Board on Books for Young People. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 19 de maio de 2019 
  20. «Prêmio FNLIJ 2004 - Produção 2003». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de novembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2018 
  21. «COMUNICATO DEL PRESIDENTE CARLO AZEGLIO CIAMPI». Presidenza della Repubblica. 12 de outubro de 2005. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  22. «Prêmio FNLIJ 2008 - Produção 2007». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2018 
  23. «Prêmio Literário Biblioteca Nacional». Biblioteca Nacional. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2019 
  24. «Prêmio FNLIJ 2010 - Produção 2009». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 14 de dezembro de 2018 
  25. «Premiados 2010». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  26. «Premiados 2011». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  27. «Valter Hugo Mâe vence na categoria romance e leva O Grande Prêmio Portugal Telecom». Oceanos: Expressivos da Língua Portuguesa | Associação. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 31 de agosto de 2019 
  28. «Prêmio FNLIJ 2014 - Produção 2013». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de abril de 2019 
  29. «Premiados 2014». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  30. «Livro do ano». Prêmio Jabuti. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de junho de 2019 
  31. a b Neto, Leonardo (20 de maio de 2015). «Saem os vencedores do Prêmio FNLIJ 2015». PublishNews. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2018 
  32. «Premio 2016». Premio Fundación Cuatrogatos. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2019 
  33. «IBBY Honour List: 2016». IBBY - International Board on Books for Young People. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 8 de junho de 2019 
  34. «Marina Colasanti vence XIII Prêmio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil». Fundação SM. 11 de setembro de 2017. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 4 de maio de 2019 
  35. «Cátedra Unesco divulga lista dos melhores livros infantojuvenis brasileiros de 2017». PublishNews. 5 de dezembro de 2017. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 17 de julho de 2018 
  36. a b «Prêmio FNLIJ 2017 – Produção 2016». Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil. Consultado em 20 de dezembro de 2019. Cópia arquivada em 1 de junho de 2019 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Marina Colasanti