Abrir menu principal

Marisa Raja Gabaglia

Marisa Raja Gabaglia
Nascimento 1942
São Paulo, SP
Morte 13 de janeiro de 2003 (61 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileiro
Ocupação jornalista
escritora

Marisa Raja Gabaglia (São Paulo, 1942 — São Paulo, 13 de janeiro de 2003) foi uma jornalista e escritora brasileira.[1][2]

CarreiraEditar

Era tida como pessoa de opinião forte, e também forte e polêmica era sua presença como jurada nos programas em que participou, inclusive o de Flávio Cavalcanti, na TV Tupi. Foi cronista dos jornais Última Hora e Diário Popular, e trabalhou como repórter da Rede Globo por dezoito anos.

Atuou como atriz na telenovela Pigmalião 70, junto com Tônia Carrero e Betty Faria. Publicou vários livros, entre Milho para a Galinha Mariquinha, Grilos e Amâncio Pinto e Casos de Amor.[3]

No início da década de 1980 iniciou um relacionamento com o cirurgião plástico Hosmany Ramos, ex-assistente de Ivo Pitanguy, e que envolvido em diversos crimes, foi preso seis meses depois. A carreira de Marisa declinou em seguida, e depois de um ano da prisão de Hosmany, ela publicou o livro Amor bandido (1982). Este foi o primeiro de um série de oito livros que ela escreveu sobre seu romance com o cirurgião plástico.[4]

Marisa morreu vítima da leucemia, em São Paulo.

Referências

  1. Tributo - Marisa Raja Gabaglia despertava polêmica
  2. «BIOGRAFIA DE MARISA RAJA PARA O MUSEU DA TELEVISÃO BRASILEIRA». Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2016 
  3. «BIOGRAFIA DE MARISA RAJA PARA O MUSEU DA TELEVISÃO BRASILEIRA». Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2016 
  4. «BIOGRAFIA DE MARISA RAJA PARA O MUSEU DA TELEVISÃO BRASILEIRA». Consultado em 9 de fevereiro de 2016. Arquivado do original em 16 de fevereiro de 2016