Abrir menu principal

Marquês da Graciosa

Corona de marqués.svg
Marquês da Graciosa
Criação D. Luís I
25 de Setembro de 1879
Ordem Grandeza
Tipo Vitalício Renovado
1.º Titular Fernando Afonso Geraldes de Melo de Sampaio Pereira
Linhagem Geraldes de Melo de Sampaio Pereira
Actual Titular Fernando Afonso de Andrade Santos Pereira de Figueiredo

Marquês da Graciosa é um título nobiliárquico criado por D. Luís I de Portugal, por Decreto de 25 de Setembro de 1879, em favor de Fernando Afonso Geraldes de Melo de Sampaio Pereira, antes 1.º visconde da Graciosa e 1.º conde da Graciosa.[1][2]

A Casa da Graciosa foi proprietária de uma quinta e palácio na zona onde hoje se encontra o Parque Eduardo VII, em Lisboa, tendo os mesmos sido expropriados em 1914 para a abertura de diversas ruas e avenidas de forma a permitir o crescimento da cidade de Lisboa.[3]

A Casa da Graciosa mantém diversas propriedades, uma coudelaria e uma ganadaria.

Titulares
  1. Fernando Afonso Geraldes de Melo de Sampaio Pereira, 1.º Visconde, 1.º Conde e 1.º Marquês da Graciosa
  2. Fernando de Melo Geraldes de Sampaio de Bourbon, 2.º Conde e 2.º Marquês da Graciosa
  3. Francisco Furtado de Melo de Mesquita Geraldes, 3.º Marquês da Graciosa

Após a Implantação da República Portuguesa, e com o fim do sistema nobiliárquico, usaram o título:

  1. João Filipe de Melo Osório de Meneses Pita, 4.º Marquês da Graciosa
  2. Fernando Afonso de Melo Geraldes de Sampaio Pereira de Figueiredo, 5.º Marquês da Graciosa
  3. Fernando Afonso de Andrade Santos Pereira de Figueiredo, 6.º Marquês da Graciosa

Referências

  1. Nobreza de Portugal e do Brasil, Vol. 2, pp. 645-6
  2. Luís Bivar Guerra, A Casa da Graciosa. Braga: [edição do autor], 1965.
  3. «Câmara pode ter que indemnizar antigos donos da zona do Parque Eduardo VII». Jornal Público. 27 de Fevereiro de 2008