Abrir menu principal
Corona de duque.svg

Casa de Saldanha

Linhagem
Família Saldanha, Condes de Rio Maior
Títulos e Senhorios
Condado de Saldanha (1833)
Marquesado de Saldanha (1834)
Condado de Almoster (1834)
Ducado de Saldanha (1846)
Parente da Casa Real (1862)
Cargos e Honras
Primeiros-Ministros de Portugal
Fundador da Casa
D. João Carlos de Saldanha Oliveira e Daun, 1.º Conde, Marquês e Duque de Saldanha
Titulares
D. João Carlos Duarte de Saldanha e Daun, 4º Duque de Saldanha
D. Nuno Manuel de Saldanha Oliveira e Daun, 5º Conde de Almoster

Duque de Saldanha foi um título nobiliárquico de juro e herdade criado pela Rainha D. Maria II de Portugal, por decreto de 4 de novembro de 1846, a favor do marechal D. João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun, 1.º conde e marquês de Saldanha.[1] Antes da elevação a duque o marechal já tinha sido agraciado com os títulos nobiliárquicos de conde de Saldanha, em 14 de janeiro de 1833, e de marquês de Saldanha, em 27 de maio de 1834.[2] Ao Ducado de Saldanha foram concedidas Honras de Parente da Casa Real pelo Rei D. Luís I de Portugal por decreto de 30 de outubro de 1862 e o direito ao tratamento de Dom para todos os descendentes directos, incluindo a linha feminina..

Também à Casa de Saldanha pertence o título de conde de Almoster, concedido primeiramente a D. Augusto Carlos de Saldanha D'Oliveira e Daun, primogénito do então 1.º marquês de Saldanha, título destinado a ser usado pelos herdeiros da Casa de Saldanha. Com a elevação da Casa a Ducado, o herdeiro dos Duques de Saldanha passou a usar os títulos de conde e marquês de Saldanha, ficando o título de conde de Almoster reservado para filhos segundos dos Duques.

Ao 1.º duque de Saldanha, Marechal D. João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun (1790-1876) foi concedida a honra excepcional de ser sepultado no Panteão Real de São Vicente de Fora (Panteão dos Braganças), por especial ordem régia de D. Luís I de Portugal de 21 de novembro de 1880. Para além do 1.º duque de Saldanha esta honra apenas foi concedida ao 1.º duque da Terceira.

Índice

Condes de AlmosterEditar

  1. D. Augusto Carlos de Saldanha Oliveira e Daun (1821-1845), 1º conde de Almoster, herdeiro da Casa de Saldanha, não tendo sobrevivido a seu pai, o 1.º duque de Saldanha
  2. D. João Carlos de Saldanha Oliveira e Daun (1858-1897), 2º conde de Almoster
  3. D. João Carlos de Saldanha Oliveira e Daun, 3º conde de Almoster
  4. D. José Augusto de Saldanha Oliveira e Daun (1921-2011), 4º conde de Almoster
  5. D. Nuno Manuel de Saldanha Oliveira e Daun (1948), 5º conde de Almoster

Condes de SaldanhaEditar

  1. D. João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun (17901876), 1º conde, marquês e duque de Saldanha
  2. D. João Carlos de Saldanha de Oliveira e Daun (18251880), filho do anterior, 2º conde, marquês e duque de Saldanha
  3. D. João Carlos Duarte de Saldanha Oliveira e Daun (1947), 3º conde, 5º marquês e 4º duque de Saldanha

Marqueses de SaldanhaEditar

  1. D. João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun (17901876), 1º conde, marquês e duque de Saldanha
  2. D. João Carlos de Saldanha Oliveira e Daun (18251880), filho do anterior, 2º conde, marquês e duque de Saldanha
  3. D. José Augusto de Saldanha Oliveira e Daun, 3º marquês de Saldanha
  4. D. José Augusto Manuel de Saldanha Oliveira e Daun (1921-2011), 4.º marquês e 3º duque de Saldanha
  5. D. João Carlos Duarte de Saldanha Oliveira e Daun (1947), 3.º conde e 5.º marquês de Saldanha

Duques de SaldanhaEditar

  1. D. João Carlos Gregório Domingos Vicente Francisco de Saldanha Oliveira e Daun (17901876), 1º conde, marquês e duque de Saldanha
  2. D. João Carlos de Saldanha Oliveira e Daun (18251880), filho do antecessor, 2.º conde, marquês e duque de Saldanha.
  3. D. José Augusto Manuel de Saldanha Oliveira e Daun (1921-2011), 4º marquês e 3º duque de Saldanha
  4. D. João Carlos Duarte de Saldanha e Daun (1947), 3º conde, 5º marquês e 4º duque de Saldanha

Referências

  1. Archivo pittoresco, Volume 10. [S.l.]: Tip. de Castro Irmão. 1867. p. 199 
  2. Marques Gomes, João Augusto (1894). Luctas caseiras: Portugal de 1834 a 1851. [S.l.]: Imprensa Nacional. p. 438 
  Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.