Mars Pathfinder

Sonda espacial
Mars Pathfinder
Pathfinder01.jpg
Robô Sojourner no solo de Marte
Propriedades
Massa 890 kg
Geração de energia Painéis solares fotovoltaicos
Missão
Contratante(s) Estados Unidos Boeing IDS
Data de lançamento 4 de dezembro de 1996, 06:58:07 UTC
Veículo de lançamento Delta II 7925
Local de lançamento Estados Unidos LC-17A, Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral
Destino Marte
Data de aterrissagem 4 de julho de 1997
Local de aterrissagem Ares Vallis, Chryse Planitia, Marte
Fim da missão 27 de setembro de 1997

Mars Pathfinder (MESUR Pathfinder)[1][2] é uma sonda veicular robótica construída pela NASA e que pousou com uma base fixa levando um rover de exploração para o planeta Marte, em 1997. Consistia no veículo de pouso renomeado para Carl Sagan Memorial Station e um robô motorizado de 10,6kg, nomeado Sojourner, que se tornou o primeiro rover operado fora do sistema Terra-Lua.[3]

Lançada em 4 de dezembro de 1996 pela NASA a bordo do foguete Delta II um mês antes da Mars Global Surveyor, ela pousou em Marte em 4 de julho de 1997 em Ares Vallis, em uma região chamada de Chryse Planitia, no Quadrângulo de Oxia Palus. O lander abriu, expondo o rover que conduziu diversos experimentos na superfície marciana.[3]

A missão levava vários instrumentos científicos para analisar a atmosfera, clima, geologia, composição do solo e das rochas de Marte. Foi o segundo projeto do Programa Discovery da NASA, que promove o uso de naves de baixo custo e lançamentos frequentes, sob o lema de "mais rápido, mais barato e melhor", promovido pelo então administrador da agência, Daniel Goldin. A missão foi dirigida pelo Jet Propulsion Laboratory (JPL), divisão da California Institute of Technology, responsável pelo programa de rovers da NASA. O diretor de projetos da época era Tony Spear.[3][4]

Esta foi a primeira de uma série de missão à Marte que incluía rovers e foi a primeira missão bem-sucedida a pousar em Marte depois das duas missões do Programa Viking, que pousou sondas no planeta vermelho em 1976. Embora a União Soviética tenha enviado, com sucesso, rovers para a Lua como parte do Programa Lunokhod, nos anos 1970, as tentativas soviéticas de se usar um rover em Marte não foram bem sucedidas.[4]

Além dos experimentos científicos, a missão da Mars Pathfinder foi um teste para uma série de novas tecnologias, como o airbaig programado para abrir na descida e o sistema de controle de desvio de obstáculos no rover. A missão também foi notável por ter sido muito mais barata que missões robóticas anteriores. Originalmente, a missão foi concebida para o programa MESUR (Mars Environmental Survey).[4]

Objetivos da missãoEditar

  • provar que o desenvolvimento de uma nave "mais rápida, melhor e mais barata" era possível (três anos de desenvolvimento a um custo de 150 milhões de dólares);
  • mostrar que era possível enviar uma carga de instrumentos científicos para outro planeta com um sistema simples e a 1/15 do custo das missões do Programa Viking, que custou ao todo 935 milhões de dólares em 1974;[5]
  • demonstrar o comprometimento da NASA com exploração espacial de baixo custo ao finalizar uma missão ao custo de 280 milhões de dólares, incluindo lançamento e operações em outro planeta.

Panoramas de Marte feitos pela PathfinderEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. Jon Nelson (ed.). «Mars Pathfinder / Sojourner Rover». NASA. Consultado em 1 de março de 2020 
  2. Kathy Sawyer, ed. (13 de novembro de 1993). «One Way or Another, Space Agency Will Hitch a Ride to Mars». Washington Post. Consultado em 1 de março de 2020 
  3. a b c «Mars Pathfinder». NASA. Consultado em 1 de março de 2020 
  4. a b c «NASA's First Rover on the Red Planet». NASA. Consultado em 1 de março de 2020 
  5. Edward Clinton (ed.). «Viking Lander: Building A Complex Spacecraft - Reorganizations and Additional Cutbacks». NASA. Consultado em 1 de março de 2020 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mars Pathfinder