Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Assinatura de Martim Correia da Silva enquanto padrinho de baptismo de um filho de Bernardo de Mendonça Corte-Real, ocorrido na paróquia de Nossa Senhora da Luz de Tavira em 1618.

Martim Correia da Silva era filho de Henrique Correia da Silva, e substituiu o pai na função de Alcaide de Tavira quando este assumiu as funções de Governador do Algarve em 1637. Entretanto, entre 1640 e 1642 assumiu as funções do Governador de Mazagão. Mais tarde, regressou a Portugal e foi governador do forte de São Julião da Barra. Em 1645, fez ver ao rei a necessidade de reparação do referido forte. Depois, entre 1657 e 1663, exerceu, tal como o pai e avô, o lugar de Governador do Algarve. Como governador, foi responsável pelo erigir das actuais muralhas do centro histórico de Faro, no quadro da Guerra da Restauração.

Casou com Violante de Albuquerque[1], de quem teve três filhos:

  • Henrique Correia da Silva
  • Francisco Correia da Silva
  • Simão Correia da Silva

Era neto do primeiro Martim Correia da Silva que foi o primeiro alcaide de Tavira dentro da família dos Correias da Silva. [2][3]

Referências

  1. Cunha, Miguel Gorjão-Henriques da (14 de novembro de 2012). Por linhas direitas (2): A ascendência Correia da Silva de Carvalho (1). [S.l.]: Miguel Gorjão-Henriques 
  2. Chagas, Ofir (2004). Tavira, Memórias de uma cidade. [S.l.]: autor 
  3. Iria, Alberto (1978). Cartas dos Governadores do Algarve (1638-1663). Lisboa: Academia Portuguesa de História 
Precedido por
Henrique Correia da Silva
Alcaides-mores de Tavira
1637 - 1658
Sucedido por
Henrique Correia da Silva (II)