Abrir menu principal
Martine Grael
campeã olímpica
Martine no pódio da Rio 2016
(foto:Fernando Frazão/Agência Brasil)
Vela
Modalidade 49er FX
Nascimento 12 de fevereiro de 1991 (28 anos)
Niterói, Brasil
Nacionalidade Brasil brasileira
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Rio 2016 49er FX
Campeonatos Mundiais
Ouro Santander 2014 49er FX
Jogos Pan-Americanos
Ouro Lima 2019 49er FX
Prata Toronto 2015 49er FX
Universíade
Bronze Shenzhen 2011 470

Martine Soffiatti Grael (Niterói, 12 de fevereiro de 1991) é uma velejadora brasileira, campeã olímpica e mundial de Iatismo na classe 49er FX – junto com a parceira e proeira Kahena Kunze – eleita pela Federação Internacional de Vela a melhor velejadora do mundo em 2014.[1]

CarreiraEditar

Filha do bicampeão olímpico Torben Grael, começou a velejar aos quatro anos de idade pelo Rio Yacht Club. Ela e Kahena, também filha de um velejador campeão mundial, Claudio Künze, conheceram-se no início da adolescência, quando começaram a participar de competições em barcos diferentes, as duas com 13 anos, e se tornaram rivais dentro d'água e amigas fora dela.[2] Em 2004 e 2006 foi bicampeã brasileira da classe Optimist, embora não tenha se considerado uma velejadora muito boa neste tipo de barco, um tipo de embarcação bastante leve e de controle simples, indicada para crianças e jovens até 16 anos,[3] considerado o barco-escola da vela.[4]

Em 2009, Martina e Kahena, agora velejando juntas como timoneira e proeira no mesmo barco, foram campeãs mundiais júnior na classe 420.[1] Com o título júnior nas mãos, Martine optou por formar uma dupla com Isabel Swan, medalha de bronze na classe 470 em Pequim 2008, para tentar a vaga nesta classe para Londres 2012,[5] mas as duas foram derrotadas na seletiva brasileira por Fernanda Oliveira – parceira de Swan no bronze de Pequim – e Ana Barbachan.[6] Além destes títulos, na carreira ela já foi vice-campeã mundial e vice-campeã europeia em 2013 na 49erFX e campeã mundial militar – é atleta da Marinha do Brasil – na classe HPE 25.[7]

Em 2014, tornou-se, junto com Kahena, campeã mundial em Santander, na Espanha, a primeira vez que velejadoras brasileiras conquistam o título. Amigas de infância e ex-rivais na vela em categorias diferentes, Martina e Kahena foram eleitas as melhores esportistas do ano pelo Comitê Olímpico Brasileiro, recebendo o Prêmio Brasil Olímpico de Atleta do Ano de 2014.[1]

Em 2015, na disputa da Copa do Mundo da Federação Internacional de Vela, Martine conquistou um ouro em Weymouth, na Inglaterra; uma prata em Hyères, na França; e um bronze em Miami, nos Estados Unidos.[8] Em Toronto 2015, disputando os Jogos Pan-americanos, foi medalha de prata.[9]

Na Rio 2016, Martine tornou-se campeã olímpica de vela ao lado de Kunze, ao vencerem a Regata das Medalhas da categoria – para a qual três barcos entraram empatados – com uma vantagem de apenas 2 segundos para as medalhistas de prata da Nova Zelândia.[10] Com a medalha de ouro, ela e Torben Grael são os únicos pai e filha campeões olímpicos da história do esporte brasileiro.[11]

No ciclo olímpico seguinte, em 2017 ela foi novamente vice-campeã mundial como em 2013, e depois de se classificar para os próximos Jogos no Campeonato Mundial de Classes Olímpicas em Aarhus, na Dinamarca,[12] em setembro de 2018 venceu, e com antecipação de uma regata, o evento-teste da Vela para Tóquio 2020 na raia olímpica de Enoshima, no Japão, em dupla com Kahena, depois de se afastar da 49er FX por uma temporada para competir na Volvo Ocean Race junto à outra tripulação.[13]

Em fevereiro de 2019, iniciando a temporada, Martine venceu a Copa do Mundo da Vela disputada em Miami, onde a dupla brasileira mais uma vez derrotou na regata final as neozelandesas Alexandra Maloney e Molly Meech, vice-campeãs olímpicas na Rio 2016.[14]

Nos Jogos Pan-Americanos de 2019 foi a porta-bandeira da delegação brasileira na Cerimônia de Abertura em Lima, ao lado de Kahena Kunze. As duas foram as primeiras brasileiras a carregar a bandeira em uma edição dos Jogos.[15] [16] A dupla conquistou a medalha de ouro na classe 49erFX.[17]

Vida pessoalEditar

Referências

  1. a b c Rocha, Danielle. «Após mais um prêmio, Martine e Kahena comemoram química perfeita». globoesporte.com. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
  2. «Amigas de longa data, Martine Grael e Kahena Kunze brilham na vela». Lancenet. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
  3. «MARTINE GRAEL (VELA)». Esporte Essencial. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
  4. «Com apenas 23 anos, a timoneira Martine Grael chega ao topo do mundo». Ministério dos Esportes. Consultado em 25 de fevereiro de 2015 
  5. «Martine Grael e Isabel Swan vencem prova e acirram disputa por vaga olímpica na vela». UOL. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
  6. «Fernanda Oliveira e Ana Barbachan ficam em sexto na classe 470». Fox Sports. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
  7. «Martine Grael». Confederação Brasileira de Vela. Consultado em 24 de fevereiro de 2015. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2015 
  8. «Martine Grael e Kahena Kunze vencem evento-teste no Rio». Terra. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  9. «Toronto 2015: Com a prata, Martine e Kahena festejam aprendizado no Pan». FutebolInterior. Consultado em 19 de julho de 2015 
  10. «Martine e Kahena ganham ouro na vela para o Brasil». O Globo. Consultado em 18 de agosto de 2016 
  11. «Com ouro na vela, Martine Grael é 1ª campeã olímpica a repetir feito de um de seus pais». BBC Brasil. Consultado em 18 de agosto de 2016 
  12. «Martine Grael e Kahena Kunze garantem vaga em Tóquio-2020». folhape. Consultado em 26 de março de 2019 
  13. «Em Enoshima, Martine Grael e Kahena Kunze vencem evento-teste de vela para Tóquio 2020». Globo Esporte. Consultado em 26 de março de 2019 
  14. «Martine Grael e Kahena Kunze conquistam o ouro na Copa do Mundo de Miami». Extra. Consultado em 26 de março de 2019 
  15. Kozlowski, Glenda (24 de julho de 2019). «Martine Grael será porta-bandeira do Brasil na cerimônia de abertura em Lima». GloboEsporte.com. Consultado em 24 de julho de 2019 
  16. Alencar e Rodrigues, Edgar e João Gabriel (25 de julho de 2019). «Duas para a história: Martine e Kahena serão as porta-bandeiras na cerimônia de abertura em Lima». GloboEsporte.com. Consultado em 26 de julho de 2019 
  17. Gabriel Fricke e Guto Rabelo (10 de agosto de 2019). «Campeãs olímpicas Martine Grael e Kahena Kunze dominam na vela e conquistam ouro no Pan de Lima». GloboEsport.com. Consultado em 11 de agosto de 2019 
  18. «Martine Soffiatti Grael». International Sailing Federation. Consultado em 24 de fevereiro de 2015 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Martine Grael