Abrir menu principal
Massacre de Virginia Tech
O Norris Hall, no câmpus da universidade.
Local Blacksburg, VA
 Estados Unidos
Data 16 de abril de 2007
07:15-9:51
Tipo de ataque Massacre, assassínio em massa
Arma(s) pistola Glock 19, Walther P22
Mortes 33 (incluindo o assassino)
Feridos 25

O Massacre de Virginia Tech[1] foi um assassinato em massa em ambiente escolar que ocorreu em 16 de abril de 2007 no Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia (conhecido como Virginia Tech), em Blacksburg, Virgínia, Estados Unidos. Morreram 33 pessoas[2], incluindo o atirador, e 21 pessoas ficaram feridas. É o mais mortífero ataque a uma universidade na história dos Estados Unidos e um dos mais mortíferos assassinatos em massa no país[3]

Índice

Cho Seung-huiEditar

 Ver artigo principal: Cho Seung-hui

"Morri como Jesus, para inspirar fracos e indefesos". O perfil psicológico era o de um jovem com graves problemas de rejeição e depressão.[4]

 
Frente da Universidade de Virginia Tech (VT)

O atirador, Cho Seung-Hui no segundo dos dois ataques no campus do Instituto Politécnico e Universidade Estadual da Virgínia, na localidade de Blacksburg, era um estudante sul-coreano da instituição, revelou o presidente da universidade. Apesar de não dizer explicitamente que o estudante também foi o responsável pelo primeiro incidente, ele disse que não acredita que houve um segundo atirador.

Foram mortas duas pessoas num dormitório da universidade, West Ambler Johnston Hall. Duas horas depois invadiu o prédio da engenharia (Norris Hall) e matou outras trinta pessoas, para depois se suicidar com um tiro na cabeça. "Sabemos que era um asiático - no segundo incidente - um asiático que era residente em um de nossos dormitórios", disse o presidente (reitor) da Virginia Tech, Charles Steger, revelando pela primeira vez que o assassino era um estudante. O teste de balística posterior confirmou que a mesma arma foi usada para os dois ataques[5].

O "Manifesto Multimídia"Editar

 
O presidente norte-americano George W. Bush durante homenagem aos mortos no massacre.

No dia 18 de abril, a rede de TV americana NBC, recebeu uma encomenda enviada pelo atirador contendo um texto, fotos e vídeos nos quais chegou a comparar-se a Jesus[6]. O manifesto, batizado de "Manifesto Multimídia"[7] pela rede NBC, começou a ser produzido seis dias antes do massacre e foi enviado pelo próprio atirador às 9:01hs, no intervalo entre os eventos fatais.

VítimasEditar

 
Foto por satélite de Virgínia Tech. Em destaque, os locais onde foram disparados os tiros: Norris Hall e West Ambler Johnston Hall

Primeiro prédio ( West Ambler Johnston Hall )Editar

  • Emily J. Hilscher
  • Ryan Clark

Segundo prédio (Norris Hall)Editar

Estudantes
  • Ross Abdallah Alameddine
  • Brian Bluhm
  • Austin Cloyd
  • Caitlin Hammaren
  • Jeremy Herbstritt
  • Rachael Elizabeth Hill
  • Matthew La Porte
  • Jarrett Lane
  • Henry Lee
  • Partahi Lombantoruan
  • Minal Panchal
  • Daniel Patrick O'Neil
  • Juan Ramon Ortiz
  • Daniel Pérez Cueva
  • Erin Peterson
  • Matthew Gwaltney
  • Julia Pryde
  • Mary Karen Read
  • Reema Joseph Samaha
  • Waleed Mohamed Shaalan
  • Leslie Sherman
  • Maxine Turner
  • Lauren McCain
  • Nicole White
Professores
  • Christopher Jamie Bishop
  • Jocelyne Couture-Nowak
  • Kevin Granata
  • Liviu Librescu (sobrevivente da segunda guerra mundial)
  • G. V. Loganathan

( Fazendo um total de 31 )

Impacto internacionalEditar

Após o massacre houve uma resposta internacional de surpresa, indignação, condolência e simpatia de vários países. Várias mensagens oficiais da Austrália, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Irã, Japão, México, Nicarágua, Paquistão, Filipinas, assim como do Papa Bento XVI[8].

Notas e Referências

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar