Mata (Rio Grande do Sul)

município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul
 Nota: Para outros significados de Mata, veja Mata (desambiguação).

Mata é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

Mata
  Município do Brasil  
Portal de Mata em Construção (Maio de 2006)
Portal de Mata em Construção (Maio de 2006)
Portal de Mata em Construção (Maio de 2006)
Símbolos
Bandeira de Mata
Bandeira
Brasão de armas de Mata
Brasão de armas
Hino
Gentílico matense
Localização
Localização de Mata no Rio Grande do Sul
Localização de Mata no Rio Grande do Sul
Localização de Mata no Rio Grande do Sul
Mata está localizado em: Brasil
Mata
Localização de Mata no Brasil
Mapa
Mapa de Mata
Coordenadas 29° 33' 57" S 54° 27' 36" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Municípios limítrofes Toropi, São Vicente do Sul, São Pedro do Sul, Jaguari e Jari,
Distância até a capital 378 km
História
Fundação 13 de junho de 1965 (59 anos)
Administração
Prefeito(a) Rogério Kuhn[1] (PP, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [2] 316,121 km²
População total (2021) [3] 4 760 hab.
 • Posição RS: 279º BR: 4419º
Densidade 15,1 hab./km²
Clima subtropical
Altitude 127 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (2010) [4] 0,656 médio
 • Posição RS: 449º BR: 2986º
PIB (2020) [5] R$ 113 421,09 mil
 • Posição RS: 353º BR: 3909º
PIB per capita (2020) R$ 23 644,17

História

editar

Um dos habitantes de Mata foram os índios Umbu, Humaitá e Tupi-Guarani. Com a chegada dos jesuítas espanhóis, que em pouco tempo já abrigava 2.936 habitantes, em sua maioria índios, sendo que o fim desta redução deu-se em 1640. Em 1801, este território, passa para a América Portuguesa. O início da colonização das terras de Mata, foi em 1836 quando chega o casal Randolpho José Pereira da Silva e Francisca Pereira da Silva, Militar, português, procedente do Porto de Pernambuco (Argélia), que tinha como missão, colonizar e povoar a região, para eles, o Governo Imperial destinou uma légua de sesmaria de campos.

Em 1904, deu-se início a primeira corrente migratória alemã, que se instalou na localidade Sertão. Em 1919, com a inauguração da ferrovia, que liga Santa Maria a Jaguari, começa a crescer em torno da Estação Férrea, uma nova vila chamada Mata, hoje sede do Município. Em 1930, chegaram ao povoado os imigrantes italianos, começando assim, realmente o desenvolvimento do Município, integrando-se aos alemães e nativos que aqui moravam. Em 1960, foi formada uma Comissão Pró-Emancipação, mas somente em 27 de setembro de 1964 foi realizado o plebiscito. A 2 de dezembro de 1964 foi criado o Município de Mata, começando existir administrativamente em 1965, com a posse do primeiro prefeito eleito Ângelo André Paraboni. Sua economia é baseada no setor primário, destacando-se a pecuária e agricultura.

A maior área ocupada na agricultura é com o os cultivos de milho e soja, porém o maior rendimento é conseguido através do cultivo do arroz. Mas em 1976, com a chegada do Padre Daniel Cargnin, pároco de Mata, apreciador de estudos de Paleontologia, passa a conscientizar a população sobre a riqueza fossilífera aqui existente, que até o momento era desconhecida. A riqueza fossilífera trata-se de fósseis vegetais com a idade aproximada de 320 milhões de anos. Em 1977, por iniciativa do Padre Daniel Cargnen, comunidade e administração municipal iniciaram a construção de vários pontos turísticos, bem como a divulgação dos mesmos, pois os fósseis vegetais, por serem tão raros no mundo inteiro, deveriam ser conhecidos.

Geografia

editar

Limita-se com os municípios de Jaguari, São Vicente do Sul, Jari e Toropi, e ocupando uma faixa de transição entre a Depressão Central do Rio Grande do Sul e o rebordo do Planalto Central brasileiro. Possui uma área de 311,883 km² e sua população, conforme o Censo Demográfico de 2022, é de 4 698[6] habitantes.

 
Museu Padre Daniel Cargnin.
 
Parque Paleobotânico.
 
Comunidade de São Roque.

Clima temperado

Relevo e rios

editar

Possui um relevo acidentado. Os rios da localidade são: Rio Poraíma e Rio Toropi.

Rodovias

editar

BR-287, RS-532, RS-241, RS-640 e BR-290

O Aeroporto de Santa Maria tem uma distância da Mata de 96 km.

Cultura

editar
 
Madeira petrificada.

A religião predominante é a Católica, destacando-se também a Comunidade Luterana e Assembleia de Deus. Os principais alimentos consumidos pela população trazem influências dos indígenas e dos colonizadores alemães e italianos. Além do churrasco, carreteiro, batata e mandioca, são considerados pratos típicos o risoto e a polenta.

A cidade possui o Museu Padre Daniel Cargnin, com fósseis de madeira petrificada. Serve de campo de estudos e turismo. Esta na Rodovia dos Dinossauros.

Jantar Italiano, Comemorações da Semana do Município, Cancela Aberta, Semana Farroupilha, Kerb Fest e Canoagem no Rio Toropi, Festival de Balonismo, Trilhão Matense

O turismo influi diretamente na economia do município, pois se constitui de importante fator de desenvolvimento. O município de Mata, possui numerosas atrações culturais e turísticas, sendo considerado um "Museu a Céu Aberto". É o maior reduto de fósseis do Brasil. O município foi reestruturado para melhor atender a demanda de turistas.

A cidade de Mata faz parte, junto com a cidade de São Pedro do Sul, dos Sítios Paleobotânicos do Arenito Mata, criados pela Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos. De idade Triássica, estas exposições de "florestas petrificadas" estão entre os mais importantes registros do planeta, tendo se formado a mais de 200 milhões de anos [7].

Referências

  1. «Candidatos a vereador Mata-RS». Estadão. Consultado em 15 de maio de 2021 
  2. «Cidades e Estados». IBGE. 2021. Consultado em 12 de maio de 2023 
  3. «ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NO BRASIL E UNIDADES DA FEDERAÇÃO COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2021» (PDF). IBGE. 2021. Consultado em 12 de maio de 2023 
  4. «Ranking». IBGE. 2010. Consultado em 12 de maio de 2023 
  5. «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2010 a 2020». IBGE. 2020. Consultado em 12 de maio de 2023 
  6. «IBGE | Cidades@ | Rio Grande do Sul | Mata | Panorama». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de junho de 2022. Consultado em 27 de janeiro de 2024 
  7. Sommer, M.G. e Sherer, C.M.S. (2002). «Sítios Paleobotânicos do Arenito Mata (Mata e São Pedro do Sul), RS - Uma das mais importantes "florestas petrificadas" do planeta» (PDF). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil 09. Consultado em 16 de agosto de 2014 

Ligações externas

editar

Ver também

editar