Abrir menu principal

Mateus Caramelo

futebolista brasileiro

Mateus Lucena dos Santos, conhecido como Mateus Caramelo, ou simplesmente Caramelo (Araçatuba, 30 de agosto de 1994 - La Unión[1], 28 de novembro de 2016[2]) foi um futebolista brasileiro que atuou como lateral-direito. Sua última atuação foi pela Chapecoense, por empréstimo do São Paulo.

Mateus Caramelo
Mateus Caramelo
Mateus Caramelo em 2016
Informações pessoais
Nome completo Mateus Lucena dos Santos
Data de nasc. 30 de agosto de 1994
Local de nasc. Araçatuba (SP), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Falecido em 28 de novembro de 2016 (22 anos)
Local da morte La Unión, Antioquia, Colômbia
Altura 1,84 m
Destro
Apelido Caramelo.
Informações profissionais
Período em atividade 2013–2016 (3 anos)
Posição Lateral-direito
Clubes de juventude
2009–2013 Mogi Mirim
Clubes profissionais2
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
2013
2013–2016
2014
2015
2016
Mogi Mirim
São Paulo
Atlético Goianiense (emp.)
Chapecoense (emp.)
Chapecoense (emp.)
003 000(0)
021 000(0)
014 000(1)
009 000(0)
006 000(0)


2 Partidas e gols totais pelo
clube, atualizados até 28 de novembro de 2016.

CarreiraEditar

Mogi MirimEditar

Caramelo destacou-se pelo Mogi Mirim no Campeonato Paulista de 2013. Morando no alojamento do clube, a revelação fez sua estreia na vitória diante do São Paulo, pela última rodada, e foi o titular nas duas partidas que o Mogi faria pelo mata-mata da competição.[3] Seu apelido chamou a atenção de torcedores e imprensa: devido à música Camaro Amarelo, da dupla sertaneja Munhoz e Mariano, em que os intérpretes cantam "Agora fiquei doce igual Caramelo, tirando onda de Camaro Amarelo", e a brincadeira com a composição foi inevitável. O próprio atleta dizia desconhecer a origem da alcunha.[4]

São PauloEditar

Após as eliminações do São Paulo no Campeonato Paulista e na Libertadores na mesma semana, o presidente Juvenal Juvêncio fez uma reformulação no elenco, afastando sete atletas[5] e contratando outros três, incluindo Caramelo e Roni, do Mogim Mirim.[6]

Caramelo estreou cinco dias depois, em um amistoso contra o Londrina, mas, em jogos oficiais, teve de esperar até setembro, quando ganhou uma chance contra a Ponte Preta no primeiro jogo de Muricy Ramalho em sua última passagem como técnico do time. Caramelo atuaria apenas mais uma vez no ano, contra o Fluminense, entrando no segundo tempo, e acabou emprestado no início do ano seguinte, para adquirir experiência.

Atlético GoianienseEditar

Em 17 de janeiro de 2014, foi anunciado seu empréstimo ao Atlético Goianiense, com contrato até o fim da temporada. Caramelo ficou na reserva durante quase todo o período,[7] mas lá marcou o único gol de sua carreira profissional, contra o América Mineiro.[8] Nessa passagem, fez parte do elenco campeão goiano.

ChapecoenseEditar

Após voltar do empréstimo e seguir sem espaço no São Paulo, Caramelo foi novamente emprestado, até o fim de 2015, para a Chapecoense.[9] Assim como no empréstimo anterior, também ficou na reserva na maior parte dos jogos, mas, mesmo assim, o clube catarinense queria estender o empréstimo.[10]

Retorno ao São PauloEditar

Quando seu empréstimo à Chapecoense venceu, o São Paulo deu uma chance para Caramelo mostrar seu valor ao recém-chegado técnico Edgardo Bauza, no início de 2016.[11] Ele foi aprovado por Bauza e inscrito para a Libertadores, o que foi considerado uma surpresa.[12]

Após a contratação do lateral argentino Buffarini e más atuações em jogos importantes, como um clássico contra o Santos Futebol Clube onde o São Paulo jogou com um time reserva, Caramelo perdeu espaço e foi procurado por Sport e Chapecoense.[13]

No Morumbi, era visto como uma promessa. Alguém em quem o clube confiava para o futuro. Um jogador de muita força, profissional, sereno e bom de grupo. As duas temporadas por empréstimo na Chapecoense (2015 e 2016) serviriam como amadurecimento para retornar e ser aproveitado[14].

MorteEditar

Ver Artigo Principal: Voo 2933 da Lamia

O novo empréstimo à Chapecoense foi confirmado em 5 de agosto, com prazo até o fim do ano.[15] Caramelo foi uma das vítimas fatais da queda do Voo 2933 da LaMia, em 28 de novembro. A aeronave transportava a equipe da Chapecoense para Medellín, onde disputaria a primeira partida das finais da Copa Sul-Americana.[16] Além da equipe da Chapecoense, a aeronave também levava 21 jornalistas brasileiros que cobririam a partida contra o Atlético Nacional (COL).[17]

EstatísticasEditar

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional
Competição
internacional¹
Campeonato estadual Outros
torneios²
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Mogi Mirim
2013
0
0
0
0
0
0
3
0
0
0
3
0
São Paulo
2013
3
0
0
0
0
0
0
0
2
0
5
0
2016
4
0
0
0
4
0
8
0
0
0
16
0
Total 7 0 0 0 4 0 8 0 2 0 21 0
Atlético-GO
2014
13
1
1
0
0
0
10
0
0
0
24
1
Chapecoense
2015
4
0
0
0
4
0
1
0
0
0
9
0
2016
3
0
0
0
3
0
0
0
0
0
6
0
Total 7 0 0 0 7 0 1 0 0 0 15 0
Total na carreira 27 1 1 0 11 0 22 0 2 0 63 1

¹Em competições continentais, incluindo jogos e gols da Copa Libertadores.
²Em outros, incluindo jogos e gols em amistosos.

TítulosEditar

Referências

  1. REDAÇÃO (29 de novembro de 2016). «MAPA: veja o local do acidente com o avião da Chapecoense». ZH Esportes. Zero Hora. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  2. IG SÃO PAULO (29 de novembro de 2016). «Veja quem estava no voo da Chapecoense que matou 76 pessoas.». Futebol. IG. Consultado em 29 de novembro de 2016 
  3. Com apelido diferente, revelação do Mogi Mirim é esperança em partida contra o Santos
  4. “Doce com as mulheres”, lateral Caramelo, do Mogi, é zoado no “Fantástico” e na Band
  5. Juvenal Juvêncio mantém Ney Franco no cargo e dispensa sete jogadores
  6. Tricolor contrata Roni e Mateus Caramelo.
  7. Guilherme Gonçalves (17 de outubro de 2014). «Queda e ascensão: Mateus Caramelo avalia ciclo e volta por cima no Dragão». Globo Esporte. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  8. «Caramelo, titular da Chapecoense e futuro promissor no São Paulo». Globo Esporte. 29 de novembro de 2016. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  9. São Paulo continua faxina, e empresta lateral-direito para a Chapecoense
  10. «Chapecoense acerta retorno de lateral Mateus Caramelo». Diário Catarinense. 5 de agosto de 2016. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  11. Marcelo Prado (8 de janeiro de 2016). «De volta, Caramelo pode permanecer no São Paulo se agradar ao treinador». Globo Esporte. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  12. «Surpresa da Libertadores, Caramelo revive e se vê maduro no São Paulo». globoesporte.com 
  13. Bruno Grossi (31 de julho de 2016). «São Paulo espera Buffarini contra o Galo e pode liberar Caramelo à Chape». Lance!. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  14. «Sob os gritos de "é campeão!", Mateus Caramelo é sepultado no interior de SP». globoesporte.com 
  15. Marcello De Vico (5 de agosto de 2016). «Chapecoense acerta com Mateus Caramelo, do São Paulo, até o fim do ano». Uol Esporte. Consultado em 4 de dezembro de 2016 
  16. Paulo, iG São (29 de novembro de 2016). «Veja quem estava no voo da Chapecoense que matou 76 pessoas - Futebol - iG». Esporte 
  17. correio24horas.com.br/ Polícia de Medellín confirma morte de 76 pessoas em acidente com avião da Chapecoense

Ligações externasEditar