Abrir menu principal

Maurício Vicente dos Santos

futebolista brasileiro

Maurício Vicente dos Santos (Cabedelo, 9 de maio de 1972), mais conhecido como Maurício ou ainda Maurício Cabedelo, é um ex-futebolista e técnico de futebol brasileiro que atuava como atacante.[1]

Maurício Cabedelo
Informações pessoais
Nome completo Maurício Vicente dos Santos
Data de nasc. 9 de maio de 1972 (47 anos)
Local de nasc. Cabedelo, PB,  Brasil
Altura 1,80 m
Direito
Informações profissionais
Clube atual Aposentado
Posição Atacante
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1995
1995-1997
1997-1998
1998-1999
2000
2000-2001
2001
2002
2002-2003
2003
2003
2004-2006
2006
2007
2008
Brasil Cruzeiro
Portugal União de Leiria
Portugal Marítimo
Portugal Académica de Coimbra
Brasil Caxias
Brasil Brasiliense
Portugal Nacional da Madeira
Brasil Náutico
Brasil Botafogo-PB
Brasil Campinense
Brasil Treze
Brasil Santa Cruz
Brasil Campinense
Brasil Botafogo-PB
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)
- (-)

Índice

Carreira de jogadorEditar

Maurício foi revelado tardiamente no futebol: estreou defendendo o Cruzeiro em 1995, seguindo para o futebol português no mesmo ano, tendo jogado quatro temporadas em terras lusitanas, atuando respectivamente por União de Leiria, Marítimo e Académica de Coimbra. Voltou ao Brasil em 2000 para defender o Caxias, onde, após um curto período, assinou com o recém-criado Brasiliense, onde jogou por duas temporadas.

Regressou ao futebol português ainda em 2002, para defender o Nacional da Madeira por um curto período, antes de ser contratado pelo Náutico no mesmo ano.

Após passar por Botafogo-PB, Campinense e Treze (foi destaque nos títulos obtidos pelos três clubes entre 2003 e 2005) Maurício teve também uma curta passagem no Santa Cruz em 2006. No ano seguinte retornou ao Campinense e encerraria sua carreira em 2008, após sua segunda passagem no Botafogo-PB, aos 36 anos.

TécnicoEditar

Maurício tornou-se técnico de futebol três anos após sua despedida como jogador, treinando novamente o Botafogo-PB. Ficou marcado negativamente por ter agredido o árbitro Jeferson Rafael logo após o atacante trezeano Vavá, durante sua comemoração de gol, ter simulado disparar um rifle em frente ao banco do time de João Pessoa. Expulso de campo, chegou a ser algemado e preso por agressão, sendo liberado em seguida[2].

Treinou ainda o Sousa no final de 2011, mas não foi bem-sucedido. Além do "Dinossauro", teve passagens no comando técnico de Auto Esporte e Nacional de Patos em 2012.

TítulosEditar

Brasiliense-DF campeão da Copa do Brasil
Treze

Referências

Ligações externasEditar