Abrir menu principal
Maurice Dekobra
Nascimento 26 de maio de 1885
10.º arrondissement de Paris
Morte 1 de junho de 1973 (88 anos)
18.º arrondissement de Paris
Sepultamento cemitério do Père-Lachaise
Cidadania França
Ocupação escritor, roteirista, jornalista, diretor de cinema
Prêmios Prix du Quai des Orfèvres

Maurice Dekobra, cujo nome verdadeiro Maurice Tessier[1] (Paris, 26 de maio de 1885 — Paris, 1 de junho de 1973), foi um escritor, produtor e diretor francês. Visto como um escritor subversivo na década de 1920 e 1930, ele se tornou um dos mais conhecidos escritores franceses entre a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.[1] Seus livros foram traduzidos em 77 idiomas.[1] Apesar disso, ele agora foi declarado um "total desconhecido".[1]

BiografiaEditar

Com a idade de 19 anos, iniciou sua carreira como jornalista trilíngue – francês, inglês, alemão.[1] Durante a guerra de 1914-18 foi anexado como oficial de ligação/intérprete primeiro para o exército indiano e mais tarde para o exército dos Estados Unidos. Os contatos que ele fez neste tempo acendeu sua paixão por viagens. Ele atribuiu a origem de seu pseudônimo para um episódio no norte da África, quando viu um encantador de serpentes com duas cobras. Alegadamente ele começou a pensar de "deux cobra", que o levou para De-kobra, em seguida, Dekobra. O termo 'dekobrisme' foi cunhado de sua ficção, que utilizou recursos jornalísticos em seus romances.[1] Ele escolheu viver nos Estados Unidos, de 1939 a 1946.[1] Ao voltar para a França, ele começou a escrever quem matou?.

Alguns de seus romances foram transformados em filmes.[2]

ObrasEditar

  • Les Mémoires de Rat-de-Cave ou Du Cambriolage considéré comme un des beaux-arts (1912)
  • Les Liaisons tranquilles (1920)
  • Minuit... Place Pigalle (1923)
  • Mon coeur au ralenti (1924)
  • La Vénus à roulettes (1925)
  • La Madone des sleepings (1925)
  • La Gondole aux chimères (1926)
  • Les nuits de Walpurgis (1926)
  • Tu seras courtisane (1927)
  • Flammes de velours (1927)
  • Sérénade au Bourreau (1928)
  • Les Tigres Parfumés - Aventures Au Pays Des Maharajahs (1929)
  • Le Sphinx a parlé (1930)
  • Aux cent mille sourires (1931)
  • Fusillé à l'aube (1931)
  • Aux cent mille sourires (1931)
  • L'Archange aux pieds fourchus (1931)
  • La Volupté éclairant le monde, (1932)
  • Confucius en pull-over (1934)
  • Madame Joli-Supplice (1935)
  • Macao, enfer du jeu (1938)
  • Émigrés de luxe (1941)
  • Le roman d'un lâche (1942)
  • La Perruche Bleue Journal d'une courtisane sous la terreur nazie (1945)
  • Hamydal le Philosophe (1947)
  • La Prison des Rêves (1947)
  • Satan refuse du monde (1947)
  • Et Eve gifla Adam... ou les aventures d'une Yankee à Montparnasse (1949)
  • Salutations distinguées (1949)
  • La Pavane des poisons (1950)
  • La Rafle est pour ce soir (1953)
  • Monsieur Lambers mourra ce soir (1957)
  • Son altesse mon amant (1958)
  • Passeport diplomatique (1959)
  • Casanova à Manhattan (1960)
  • La Trahison du colonel Redko (1960)
  • L'homme qui mourut deux fois - Les vestales du veau d'or (1960)
  • Secrets de sleeping (1960)

BibliografiaEditar

  • Davis, Robert Leslie "Maurice Dekobra: grand voyageur et romancier cosmopolite", PhD, Queen's University Belfast, 1970
  • Philippe Collas "Maurice Dekobra: gentleman entre deux mondes", Paris, Seguier, 2001, ISBN 2-84049-264-4

Referências

  1. a b c d e f g «Maurice Dekobra, Voyage au pays de l'oubli». Consultado em 26 de abril de 2015. Arquivado do original em 7 de novembro de 2005 
  2. Maurice Dekobra (em inglês) no Internet Movie Database