Abrir menu principal
Max Mallmann
Nome completo Max Mallmann Souto Pereira
Nascimento 18 de outubro de 1968
Porto Alegre
Morte 4 de novembro de 2016 (48 anos)
Rio de Janeiro
Nacionalidade Brasileiro
Cônjuge Adriana Lunardi
Ocupação Escritor e roteirista
Principais trabalhos A Grande Família, Carga Pesada, Coração de Estudante, Síndrome de Quimera, Zigurate – Uma fábula babélica, O Centésimo em Roma
Prémios Prêmio Açorianos (1997)

Max Mallmann Souto Pereira (Porto Alegre, 18 de outubro de 1968 – Rio de Janeiro, 4 de novembro de 2016) foi um escritor, romancista e roteirista brasileiro.

Max Mallmann era gaúcho. Chegou a se formar em Direito pela UFRGS e até passou no exame da OAB, mas nunca exerceu a profissão. Se mudou para o Rio de Janeiro em 1999 para trabalhar na Rede Globo. Seus primeiros livros, ainda em Porto Alegre, foram Confissão do Minotauro (IEL/IGEL, 1989) e Mundo Bizarro (Mercado Aberto, 1996), que lhe rendeu o Prêmio Açorianos. Já no Rio de Janeiro, pela Editora Rocco vieram Síndrome de Quimera (2000), obra que foi finalista do Prêmio Jabuti; Zigurate: Uma Fábula Babélica (2003) e a trilogia incompleta composta por O Centésimo em Roma (2010) e As Mil Mortes de César (2014), com A Prole da Loba permanecendo um manuscrito inacabado. A série acompanhava a saga do anti-herói, o centurião Publius Desiderius Dolens, na Roma Antiga durante o Ano dos Quatro Imperadores.

Era membro ativo do Clube de Leitores de Ficção Científica do Brasil – CLFC e principal apoiador do Prêmio Argos de Literatura Fantástica.

Paralelamente, Max foi autor de novelas como Malhação e Coração de Estudante e de séries como Carga Pesada e A Grande Família. Criou a série Ilha de Ferro (2018), trabalho de sua autoria com a escritora premiada Adriana Lunardi, também sua esposa.

Max Mallmann foi diagnosticado com câncer pulmonar em setembro de 2015 e veio a falecer em novembro de 2016.

Referências

Ligações externasEditar