Abrir menu principal

Melancolia (filme)

filme de 2011 dirigido por Lars von Trier
Melancolia
Melancholia

2011 •  cor •  136 min 
Direção Lars Von Trier
Roteiro Lars Von Trier
Elenco
Género
Cinematografia Manuel Alberto Claro
Companhia(s) produtora(s) Zentropa
Distribuição Nordisk Film
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

Melancholia (bra/prt: Melancolia[1][2]) é um filme teuto-sueco-franco-dinamarquês de 2011, dos gêneros drama, suspense e ficção científica, escrito e dirigido por Lars von Trier.

SinopseEditar

O filme retrata duas irmãs: uma ainda noiva, Justine (Kirsten Dunst) e outra já mãe, Claire (Charlotte Gainsbourg), com o seu marido John (Kiefer Sutherland), nas suas relações familiares e interpessoais e na sua dimensão mental. Passa-se em duas partes, apelidadas ambas com os nomes das personagens (Parte um, Justine; Parte dois, Claire); a primeira apresentada em um cenário predominantemente palaciano, no casamento de Justine, que é aí o centro das atenções; na segunda parte, se fornece atenção ao "desmoronar" do mundo pessoal de Claire, acentuando o "clímax" do filme. Lars von Trier opta por iniciar o filme precisamente com o momento em que a Terra colide com um planeta fictício.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

Foi uma produção maioritariamente dinamarquesa com co-produtores internacionais na Suécia, França, Alemanha e Itália; foi lançado em maio de 2011 no 64º Festival Internacional de Cannes, quando a atriz Kirsten Dunst recebeu o prêmio de Melhor Atriz pelo seu desempenho no longa.[4]

Referências culturaisEditar

O filme está carregado de referências culturais de grande importância histórica e filosófica [carece de fontes?]: Melancolia (o nome do planeta) advêm de um estado mental e filosófico muito estudado desde épocas remotas. Justine (o nome da noiva) é uma referência à "Justine", do Marquês de Sade; a música do filme é essencialmente "Tristão e Isolda", de Richard Wagner.[5] Essencialmente, o filme parece tratar de orgulho; tanto o orgulho do chefe de Justine, o de John em admitir que estava errado quanto ao planeta, e o de Claire em ser equilibrada, a trama parece girar, de forma intencional ou não, em torno dessa particularidade.

CríticaEditar

O filme recebeu críticas na sua maioria positivas. Também ficou associado a uma polêmica relativa ao suposto apoio por parte de Lars von Trier ao regime Nazi alemão, na cerimonia de entrega dos prêmios de Cannes de 2011.[5][6]

Recebeu o prêmio de melhor filme europeu de 2011, nos Prêmios do Cinema Europeu.[7]

A atriz Kirsten Dunst conquistou o prêmio de melhor atriz (Prix d'interprétation féminine) do 64º Festival de Cinema de Cannes.[8]

Referências

  1. «Melancolia». Brasil: CinePlayers 
  2. «Melancolia». Portugal: SapoMag 
  3. «Kirsten Dunst Has Melancholia». Empire. Bauer Media Group. Consultado em 16 de abril de 2010 
  4. Fil-Jensen, Lars (22 de junho de 2010). «Støtte til Caroline Mathildes år og Melancholia». dfi.dk (em dinamarquês). Danish Film Institute. Consultado em 2 de março de 2011. Arquivado do original em 2 de setembro de 2010 
  5. a b Estadão. «O mundo segundo duas irmãs». Consultado em 19 de outubro de 2012 
  6. Folha de S.Paulo. «Diretor Lars von Trier fica abalado com banimento de Cannes». Consultado em 19 de outubro de 2012 
  7. Folha de S.Paulo. «"Melancolia", de Lars Von Trier, é eleito melhor filme europeu em 2011». Consultado em 19 de outubro de 2012 
  8. O Globo. «'A árvore da vida', de Terrence Malick, conquista a Palma de Ouro em Cannes». Consultado em 19 de outubro de 2012 
  Este artigo sobre um filme de ficção científica é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.