Melo Viana (Coronel Fabriciano)

Disambig grey.svg Nota: Para o distrito, veja Senador Melo Viana. Para outros significados, veja Melo Viana.
Melo Viana
  Bairro do Brasil  
Vista parcial do Melo Viana a partir de um prédio situado na Avenida Magalhães Pinto
Vista parcial do Melo Viana a partir de um prédio situado na Avenida Magalhães Pinto
Localização
Unidade federativa  Minas Gerais
Zona Setor 4
Distrito Senador Melo Viana
Município Coronel Fabriciano
Características geográficas
Área total 0,5 km²
População total (2010) 5 192 hab.
Densidade 10 912,47 hab./km²
Outras informações
Domicílios 1 896
Limites Júlia Kubitschek, Surinan, Planalto, São Domingos, Olaria, Vila Bom Jesus, Santo Eloy e Giovannini
Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)[1]/

Melo Viana é um bairro do município brasileiro de Coronel Fabriciano, no interior do estado de Minas Gerais. Localiza-se no distrito Senador Melo Viana, estando situado no Setor 4.[2] De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sua população no ano de 2010 era de 5 192 habitantes, sendo 2 476 homens e 2 716 mulheres, possuindo um total de 1 896 domicílios particulares distribuídos em uma área de 0,5 km².[1]

HistóriaEditar

 
Avenida Geraldo Inácio, onde se concentra o comércio.

O bairro Melo Viana marca onde ocorreu o início do povoamento de Coronel Fabriciano, através do surgimento do povoado de Santo Antônio do Calado, também chamado de Santo Antônio de Piracicaba ou Santo Antônio do Gambá, por volta de 1919. Os primeiros moradores utilizavam o local para agricultura e pecuária e o ribeirão Caladão era aproveitado para pesca e lazer. Com o passar do tempo afixaram-se várias casas de madeira e os primeiros estabelecimentos comerciais — pequenos armazéns — onde surgiu uma estrada[3] que deu origem à chamada Rua 1, criada na década de 1920.[4]

Pela lei estadual nº 823, de 7 de setembro de 1923, foi criado o distrito com a denominação de Melo Viana, subordinado a Antônio Dias. Tinha sua sede no atual bairro, mas a instância foi transferida para o atual Centro de Fabriciano em 1933, devido à longa distância percorrida pelo então escrivão José Zacarias da Silva Roque até a Estação do Calado. O distrito passou a se chamar Coronel Fabriciano em 1938 e foi emancipado em 1948.[5] Todavia, o nome original foi mantido pelo bairro e aproveitado para denominar o distrito Senador Melo Viana, criado na década de 1960, sendo uma referência ao ex-senador, secretário de interior e vice-presidente da república Fernando de Melo Viana.[6]

A atividade comercial ganhou impulso após a década de 1950, sobretudo na antiga Rua 1, que originou a Avenida Geraldo Inácio. Esse nome é uma homenagem a Geraldo Inácio da Silva, ex-vereador e comerciante, natural do município de Mesquita, que atuou em prol da criação do distrito Senador Melo Viana e foi assassinado em março de 1964.[4] Na década de 60 foi estruturada a Avenida Magalhães Pinto, facilitando o acesso ao bairro e ao distrito.[7] Em 1965 foi inaugurado o Cine Alvorada, na Avenida Geraldo Inácio, concebido como uma das principais salas de cinema da cidade.[8] Devido ao esgotamento de imóveis na região do Centro de Fabriciano, houve um grande crescimento do comércio do Melo Viana e dos bairros próximos após a década de 90.[9]

InfraestruturaEditar

A Avenida Geraldo Inácio, que corta o bairro Melo Viana, corresponde a uma das principais áreas comerciais da cidade fora do Centro. Dentre os ramos que podem ser encontrados cabem ser ressaltados supermercados, padarias, farmácias, açougues e lojas de confecções.[9] O desenvolvimento econômico dessa região implicou a valorização imobiliária da localidade e de bairros vizinhos.[10] Parte do Melo Viana também está incluída entre os 20 aglomerados subnormais da cidade, envolvendo um total de 1 162 moradores juntamente com o bairro vizinho Júlia Kubitschek.[11]

Dentre outros atrativos, abriga a Igreja Santo Antônio, que é sede da Paróquia Santo Antônio, criada em 20 de janeiro de 1963.[12] Também há o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEUs), que possui cerca de 5 mil m² e conta com pista de caminhada, quadra poliesportiva coberta, pista de skate e equipamentos de ginástica, além de cineteatro, biblioteca e playground.[13]

Praça Josino Bhering com a Igreja Santo Antônio em segundo plano
Córrego São Domingos em meio a habitações
Rua Josino Bhering, rua residencial no interior do bairro.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (16 de novembro de 2011). «Sinopse dos dados - Setor: 311940110000002 - Melo Viana». Consultado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014 
  2. Assessoria de Comunicação (3 de julho de 2009). «População/Setores». Prefeitura. Consultado em 16 de dezembro de 2009. Arquivado do original em 9 de junho de 2014 
  3. Jornal Diário do Aço (23 de janeiro de 2011). «Distrito tem motivos para comemorar». Consultado em 9 de junho de 2014. Arquivado do original em 9 de junho de 2014 
  4. a b Jornal Nosso Vale (23 de junho de 2010). «Uma Avenida de História». Consultado em 15 de agosto de 2011 
  5. Cidades@ - IBGE (2007). «Histórico de Coronel Fabriciano». Arquivado do original em 25 de outubro de 2014 
  6. Leonardo Gomes (janeiro de 2012). «Grande Guia dos Bairros de Coronel Fabriciano». Revista Nosso Vale (nº 10): pag. 10. Consultado em 9 de junho de 2014. Arquivado do original em 22 de março de 2014 
  7. Neto, Mário de Carvalho (2014). Vale do Aço Antes & Depois. Coronel Fabriciano (MG): MCN Comunicação e Editora. p. 25; 32 
  8. Rotary International. «Rotary Club: atuações na Canaã do estado de Minas». Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). p. 182. Consultado em 9 de junho de 2014. Arquivado do original em 13 de outubro de 2014 
  9. a b Jornal Vale do Aço (25 de maio de 2007). «Bairros já concentram 30% do comércio de Fabriciano». Consultado em 9 de junho de 2014. Arquivado do original em 9 de junho de 2014 
  10. Jornal Diário do Aço (12 de outubro de 2011). «Imóveis registram 100% de valorização em 5 anos». Consultado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014 
  11. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (21 de dezembro de 2011). «População residente em domicílios particulares ocupados em aglomerados subnormais (Pessoas)». Consultado em 9 de junho de 2014. Cópia arquivada em 9 de junho de 2014 
  12. Paróquia Santo Antônio (7 de agosto de 2013). «História da Paróquia Santo Antônio». Consultado em 9 de junho de 2014. Arquivado do original em 9 de junho de 2014 
  13. Jornal Diário Popular (18 de novembro de 2014). «Obras da Praça do CEUs avançam em Fabriciano». Consultado em 14 de julho de 2017. Arquivado do original em 14 de julho de 2017 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Melo Viana
  Este artigo sobre bairros é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.