Abrir menu principal
Menahem Recanati
Nascimento 1250
Recanati
Morte 1310 (60 anos)
Ocupação rabino, filósofo, escritor
Religião Judaísmo

Menahem ben Benjamin Recanati, em hebraico מנחם בן בנימין ריקנטי. Foi um rabbi italiano e cabalista que viveu entre o final do século XIII e inicio do século XIV. Escreveu sobre cabalá, mas, também possui um trabalho halákico.[1][2][3][4][5][6][7]

Índice

Panorama geralEditar

VidaEditar

Muito pouco se sabe sobre a vida de Recanati apenas que era um rabbi italiano, cabalista e autoridade halákica, que viveu entre o final do século XIII e inicio do século XIX. Embora de acordo com a tradição familiar mencionada em Shalshelet ha-Kabbalah, ele teria sido um homem ignorante que milagrosamente se tornou cheio de sabedoria e entendimento.[8]

EscritosEditar

Recanati escreveu:

  • Perush 'Al Ha-Torah, Veneza, 1523. Uma obra cheia de deduções místicas e significados baseados em uma interpretação textual do Tanak; descreve muitas visões e revelações celestes alegadas como tendo sido experimentadas pelo autor, que foi cegado por idéias cabalísticas e expressa o mais alto respeito por todos os autores cabalísticos, mesmo os mais recentes apócrifos. O trabalho foi traduzido para o latim por Pico di Mirandola.
  • Taamei ha-Mitzvot e Perush ha-Tefillot. Publicados em conjunto; Constantinopla, 1544; Basileia, 1581. Assim como o trabalho anterior estão fortemente tingidos do misticismo alemão.
  • Pikei Halakhot o único trabalho halákico. Bolonha, 1538.

Ele raramente é original, citando quase sempre outras autoridades. Recanati cita frequentemente rabbi Azriel; Jacob ben Sheshet Gerondi;[9] Asher ben Davi;[10] José Gikatilha; Moisés ben shem Tov de Leon; Judá he-Hasid de Regensburg, Eleazar de Worms e seus discípulos, também faz alusão à cabalistas espanhóis, entre eles Nahmanides. Embora Recanati tivesse uma alta reputação de santidade, exerceu menos influência sobre seus contemporâneos do que sobre a posteridade. Para ajudá-lo em suas pesquisas cabalísticas, ele estudou lógica e filosofia; e ele se esforçou em apoiar a cabalá por argumentos filosóficos.

A parte original do trabalho de Recanati está no manuscrito Ta'amei ha-Mitzvot, na qual Recanati lida com o problema da natureza das Sefirot. De acordo com Recanati, as Sefirot não são a essência de Deus, mas revestimentos nos quais Deus se envolve e instrumentos através dos quais Ele age.

InfluênciaEditar

Um extrato inteiro de Ta'amei ha-Mitzvot é citado por Judá Hayyat em seu comentário Ma'arekhet ha-Elohut,[11] e em relação a estas questões outros cabalistas do século XVI referem-se ao seu ponto de vista de Recanati, a saber; Isaac Mor Ḥayyim,[Notas 1] Elhanan Sagi Nahor, Solomon Alkabeẓ e Moses Cordovero. Mesmo aqueles que se opõem à sua teoria referem-se a ele com admiração e respeito, com a exceção de David Messer Leon, que o ataca duramente em Magen David.[Notas 2] Dois comentários foram escritos sobre "Perush 'Al Ha-Torah" durante o século XVI; um por Mattathias Delacrut;[Notas 3][12] e por Mordecai Jaffe.[Notas 4]

NotasEditar

  1. Rabino Issac Mor Hayyim O rabino Isaac ben Shemuel Mar-Hayyim era um cabalista da Espanha que partiu para a terra de Israel em 1491, pouco antes da expulsão espanhola ocorrida em 1492. Isso é sabido, já que no seu caminho ele enviou duas epístolas da Itália. Assumiu-se que ele realmente chegou a Israel desde que sua assinatura foi encontrada em uma emenda tributária feita em Jerusalém em 1508/9, e foi ainda assumido que ele então se mudou para Safed - onde, de acordo com uma carta para Yaakov Berav, datado de 1523/4, ele era um juiz. Desde que o rabino que escreve da Itália foi descrito como venerável e envelhecido em 1491, e desde então há variações numerosas no nome Mor Hayyim (ibn Hayyim, b "r Hayyim, Mo" r Hayyim, M "r Hayyim, Mr Hayyim, m ' Hayyim, e até mesmo Moreh Hayyim), alguns estudiosos sugeriram que de fato havia dois rabinos separados, um (o filho de Hayyim) que veio da Espanha e enviou as epístolas da Itália, e outro (cujo sobrenome era Mor ou Mar Hayyim), que estava em contato com Ya'akov Berav.Além disso, alguns sugeriram que o rabino que estava em contato Ya'akov Berav, pode nunca ter estado em Safed, mas residiu em Damasco. - Parte do glossário do Centro Internacional para o Pensamento Judaico de Goldstein-Goren - Universidade Ben-Gurion do Negev, Israel
  2. ms Montefiore 290
  3. Neubauer, Cat, nos. 1615, 1623, 3
  4. Be'ur Levush Even Yekarah; Lublin, 1605; Lemberg, 1840–41

Referências

  1. «ATSS - Archivio di Testi per la Storia dello Spinozismo». www.iliesi.cnr.it (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2018 
  2. Idel, Moshe (17 de maio de 2011). «R. Menahem ben Benjamin Recanati» (em inglês). doi:10.12987/yale/9780300126266.001.0001/upso-9780300126266-chapter-9 
  3. Borghesi, Francesco (2011). «Review of Menahem Recanati, Commentary on the Daily Prayers Flavius Mithridates’ Latin translation, the Hebrew text, and an English version, , ; Gersonide: Commento al Cantico dei cantici nella traduzione ebraico-latina di Flavio Mitridate». Renaissance Quarterly. 64 (1): 269–271. doi:10.1086/660440 
  4. Idel, Moshe (2011). Kabbalah in Italy, 1280-1510: a survey (em inglês). New Haven: Yale University Press. ISBN 9780300126266 
  5. Lewental, D Gershon. «Recanati Family» (em inglês) 
  6. «Recanati, Menahem ben Benjamin - Dictionary definition of Recanati, Menahem ben Benjamin | Encyclopedia.com: FREE online dictionary». www.encyclopedia.com (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2018 
  7. Library, World. «Menahem Recanati | World Library - eBooks | Read eBooks online». www.worldlibrary.org. Consultado em 9 de junho de 2018 
  8. «Shalshelet ha-Kabbalah». Europeana Collections. Consultado em 9 de junho de 2018 
  9. «JACOB BEN SHESHET GERONDI - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  10. «ASHER BEN DAVID - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  11. «ḤAYYAṬ, JUDAH BEN JACOB - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  12. «Delacrut, Mattathias ben Solomon - Dictionary definition of Delacrut, Mattathias ben Solomon | Encyclopedia.com: FREE online dictionary». www.encyclopedia.com (em inglês). Consultado em 20 de abril de 2018 

Este artigo incorpora texto da Enciclopédia Judaica (Jewish Encyclopedia) (em inglês) de 1901–1906, uma publicação agora em domínio público.

BiografiaEditar

  • Güdemann, Gesch. ii. 180 et seq.;
  • Zunz, Literaturgesch. p. 369;
  • idem, in Geiger's Jüd. Zeit. iv. 139;
  • Gedaliah ibn Yaḥya, Shalshelet ha-Ḳabbalah, p. 48b.
  • Zunz, Lit Poesie, 369ff.;
  • Guedemann, Gesch Erz, 2 (1884), 180–2; I. Sonne, in: ks, 11 (1934/35), 530;
  • G. Scholem, ibid., 185; Scholem, Mysticism, index s.v.Menahem of Recanati;
  • idem, Ursprung und Anfaenge der Kabbala (1962), index; idem, Von der mystischen Gestalt der Gottheit (1962), index;
  • idem, On the Kabbalah and its Symbolism (1965), index;
  • Y. Nadav, in: Tarbiz, 26 (1956/57), 440–58;
  • J. Ben-Shelomo, Torat ha-Elohut shel R. Moshe Cordovero (1965), index;
  • E. Gottlieb, Ha-Kabbalah be-Khitvei Rabbenu Baḥya ben Asher (1970), 259–63. [Efraim Gottlieb]