Menahem Recanati

Menahem ben Benjamin Recanati (em hebraico: מנחם בן בנימין ריקנטי; Recanati, 1223 ou 1250 – Recanati, 1290 ou 1310) foi um rabino italiano e cabalista que screveu sobre cabalá e possui um trabalho halákico.[1][2][3][4][5][6][7]

Menahem Recanati
Nascimento 1250
Recanati
Morte 1310 (59–60 anos)
Ocupação rabino, filósofo, escritor
Religião Judaísmo

BiografiaEditar

Muito pouco se sabe sobre a vida de Recanati apenas que era um rabino italiano, cabalista e autoridade halákica, que viveu entre o final do século XIII e início do século XIV. Embora de acordo com a tradição familiar mencionada em Shalshelet ha-Kabbalah, ele teria sido um homem ignorante que milagrosamente se tornou cheio de sabedoria e entendimento.[8]

EscritosEditar

Recanati escreveu:

  • Perush 'Al Ha-Torah, Veneza, 1523. Uma obra cheia de deduções místicas e significados baseados em uma interpretação textual do Tanak; descreve muitas visões e revelações celestes alegadas como tendo sido experimentadas pelo autor, que foi cegado por ideias cabalísticas e expressa o mais alto respeito por todos os autores cabalísticos, mesmo os mais recentes apócrifos. O trabalho foi traduzido para o latim por Pico di Mirandola.
  • Taamei ha-Mitzvot e Perush ha-Tefillot. Publicados em conjunto; Constantinopla, 1544; Basileia, 1581. Assim como o trabalho anterior estão fortemente tingidos do misticismo alemão.
  • Pikei Halakhot o único trabalho halákico. Bolonha, 1538.

Ele raramente é original, citando quase sempre outras autoridades. Recanati cita frequentemente rabino Azriel; Jacob ben Sheshet Gerondi;[9] Asher ben Davi;[10] José Gikatilha; Moisés ben shem Tov de Leon; Judá he-Hasid de Regensburg, Eleazar de Worms e seus discípulos, também faz alusão à cabalistas espanhóis, entre eles Nahmanides. Embora Recanati tivesse uma alta reputação de santidade, exerceu menos influência sobre seus contemporâneos do que sobre a posteridade. Para ajudá-lo em suas pesquisas cabalísticas, ele estudou lógica e filosofia; e ele se esforçou em apoiar a cabalá por argumentos filosóficos.

A parte original do trabalho de Recanati está no manuscrito Ta'amei ha-Mitzvot, na qual Recanati lida com o problema da natureza das Sefirot. De acordo com Recanati, as Sefirot não são a essência de Deus, mas revestimentos nos quais Deus se envolve e instrumentos através dos quais Ele age.

InfluênciaEditar

Um extrato inteiro de Ta'amei ha-Mitzvot é citado por Judá Hayyat em seu comentário Ma'arekhet ha-Elohut,[11] e em relação a estas questões outros cabalistas do século XVI referem-se ao seu ponto de vista de Recanati, a saber; Isaac Mor Ḥayyim,[a] Elhanan Sagi Nahor, Solomon Alkabeẓ e Moses Cordovero. Mesmo aqueles que se opõem à sua teoria referem-se a ele com admiração e respeito, com a exceção de David Messer Leon, que o ataca duramente em Magen David.[b] Dois comentários foram escritos sobre "Perush 'Al Ha-Torah" durante o século XVI; um por Mattathias Delacrut;[c][12] e por Mordecai Jaffe.[d]

NotasEditar

  1. Rabino Issac Mor Hayyim O rabino Isaac ben Shemuel Mar-Hayyim era um cabalista da Espanha que partiu para a terra de Israel em 1491, pouco antes da expulsão espanhola ocorrida em 1492. Isso é sabido, já que no seu caminho ele enviou duas epístolas da Itália. Assumiu-se que ele realmente chegou a Israel desde que sua assinatura foi encontrada em uma emenda tributária feita em Jerusalém em 1508/9, e foi ainda assumido que ele então se mudou para Safed - onde, de acordo com uma carta para Yaakov Berav, datado de 1523/4, ele era um juiz. Desde que o rabino que escreve da Itália foi descrito como venerável e envelhecido em 1491, e desde então há variações numerosas no nome Mor Hayyim (ibn Hayyim, b "r Hayyim, Mo" r Hayyim, M "r Hayyim, Mr Hayyim, m ' Hayyim, e até mesmo Moreh Hayyim), alguns estudiosos sugeriram que de fato havia dois rabinos separados, um (o filho de Hayyim) que veio da Espanha e enviou as epístolas da Itália, e outro (cujo sobrenome era Mor ou Mar Hayyim), que estava em contato com Ya'akov Berav.Além disso, alguns sugeriram que o rabino que estava em contato Ya'akov Berav, pode nunca ter estado em Safed, mas residiu em Damasco. - Parte do glossário do Centro Internacional para o Pensamento Judaico de Goldstein-Goren - Universidade Ben-Gurion do Negev, Israel
  2. ms Montefiore 290
  3. Neubauer, Cat, nos. 1615, 1623, 3
  4. Be'ur Levush Even Yekarah; Lublin, 1605; Lemberg, 1840–41

Referências

  1. «ATSS - Archivio di Testi per la Storia dello Spinozismo». www.iliesi.cnr.it (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2018 
  2. Idel, Moshe (17 de maio de 2011). «R. Menahem ben Benjamin Recanati» (em inglês). doi:10.12987/yale/9780300126266.001.0001/upso-9780300126266-chapter-9 
  3. Borghesi, Francesco (2011). «Review of Menahem Recanati, Commentary on the Daily Prayers Flavius Mithridates’ Latin translation, the Hebrew text, and an English version; Gersonide: Commento al Cantico dei cantici nella traduzione ebraico-latina di Flavio Mitridate». Renaissance Quarterly. 64 (1): 269–271. doi:10.1086/660440 
  4. Idel, Moshe (2011). Kabbalah in Italy, 1280-1510: a survey (em inglês). New Haven: Yale University Press. ISBN 9780300126266 
  5. Lewental, D Gershon. «Recanati Family» (em inglês) 
  6. «Recanati, Menahem ben Benjamin - Dictionary definition of Recanati, Menahem ben Benjamin | Encyclopedia.com: FREE online dictionary». www.encyclopedia.com (em inglês). Consultado em 9 de junho de 2018 
  7. Library, World. «Menahem Recanati | World Library - eBooks | Read eBooks online». www.worldlibrary.org. Consultado em 9 de junho de 2018 
  8. «Shalshelet ha-Kabbalah». Europeana Collections. Consultado em 9 de junho de 2018 
  9. «JACOB BEN SHESHET GERONDI - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  10. «ASHER BEN DAVID - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  11. «ḤAYYAṬ, JUDAH BEN JACOB - JewishEncyclopedia.com». www.jewishencyclopedia.com. Consultado em 20 de abril de 2018 
  12. «Delacrut, Mattathias ben Solomon - Dictionary definition of Delacrut, Mattathias ben Solomon». www.encyclopedia.com (em inglês). Consultado em 20 de abril de 2018 

BibliografiaEditar

  • Güdemann, Gesch. ii. 180 et seq.;
  • Zunz, Literaturgesch. p. 369;
  • idem, in Geiger's Jüd. Zeit. iv. 139;
  • Gedaliah ibn Yaḥya, Shalshelet ha-Ḳabbalah, p. 48b.
  • Zunz, Lit Poesie, 369ff.;
  • Guedemann, Gesch Erz, 2 (1884), 180–2; I. Sonne, in: ks, 11 (1934/35), 530;
  • G. Scholem, ibid., 185; Scholem, Mysticism, index s.v.Menahem of Recanati;
  • idem, Ursprung und Anfaenge der Kabbala (1962), index; idem, Von der mystischen Gestalt der Gottheit (1962), index;
  • idem, On the Kabbalah and its Symbolism (1965), index;
  • Y. Nadav, in: Tarbiz, 26 (1956/57), 440–58;
  • J. Ben-Shelomo, Torat ha-Elohut shel R. Moshe Cordovero (1965), index;
  • E. Gottlieb, Ha-Kabbalah be-Khitvei Rabbenu Baḥya ben Asher (1970), 259–63. [Efraim Gottlieb]
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Menahem Recanati