Metalcore progressivo

Metalcore progressivo (do inglês: progressive metalcore, também conhecido como metalcore ambiente ou metalcore técnico) é um subgênero do metalcore em que se a faz fusão entre o metalcore e o metal progressivo, além de ser também influenciado pelo djent, ainda que contemporâneo desse gênero. O metalcore progressivo é mais comum em lugares como Austrália, Estados Unidos da América e Inglaterra, embora de acordo com o site Metal Insider[1] as bandas de metalcore progressivo estejam aparecendo em todo o lugar.

Metalcore progressivo
Origens estilísticas Metalcore, metal progressivo
Contexto cultural Começo e metade da década de 2010 na Austrália, Estados Unidos da América e Inglaterra
Instrumentos típicos Vocal, Guitarra, Baixo, Bateria e algumas vezes Teclado
Popularidade Começo e metade da década de 2010 na Austrália, Estados Unidos da América e Inglaterra

HistóriaEditar

 
A banda Australiana Northlane em 2016, uma das mais relevantes bandas advindas do movimento Metalcore Progressivo.

O Metalcore progressivo começou a surgir e a se caracterizar ainda no final da década de 2000, a partir de bandas como After the Burial[2] e Born of Osiris,[3][4] quando começaram a fazerem músicas bem além dos limites do peso do metalcore até então feito, como através do uso de instrumentais mais complexos, como no uso dos solos mais elaborados, no uso mais constante e mais elaborado dos contratempos dos breakdown's, bem como no emprego dos arpejos e tapping com grande frequência, além também da inclusão de arranjos e sonoridades ambientes que eram executadas simultaneamente aos riff´s (característica da influência advinda do gênero djent, ainda que o Metalcore progressivo seja da mesma época desse), entre algumas outras inovações. Já a banda ERRA foi referida como a ponta da lança do movimento do Metalcore progressivo,[5] bem como a banda Northlane, tida como uma das principais contribuintes para o desenvolvimento do Metalcore progressivo, banda essa que é caracterizada pelo emprego bem intenso e típico das suas sonoridades ambientes.[6] Também sendo a banda I, the Breather considerada como influente para o desenvolvimento do Metalcore progressivo. Ainda há também a identificação de bandas do djent que foram influências pelo movimento do Metalcore progressivo, gêneros esses contemporâneos um do outro e que sofreram uma co-influência.

Lista de bandasEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Our Contributors’ Year End Lists». Metal Insider (em inglês). 17 de dezembro de 2010. Consultado em 26 de maio de 2017 
  2. a b «After the Burial | Biography & History | AllMusic». AllMusic. Consultado em 24 de maio de 2017 
  3. «I, the Breather: These Are My Sins | Mind Equals Blown». mindequalsblown.net (em inglês). Consultado em 29 de maio de 2017 
  4. a b «I, The Breather | Biography & History | AllMusic». AllMusic. Consultado em 24 de maio de 2017 
  5. a b «12 Reasons Why Metalcore Isn't Dying». www.itdjents.com (em inglês). Consultado em 24 de maio de 2017. Arquivado do original em 29 de maio de 2017 
  6. a b Deiterman, Corey (14 de outubro de 2013). «Today's 10 Most Promising Young Metal Bands». Houston Press. Consultado em 24 de maio de 2017 
  7. Records, Epitaph (10 de junho de 2014). «Architects UK Unveil "Gravedigger" Video». Epitaph Records (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2017 
  8. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome BOOS
  9. «Elitist Release New Song 'Specter' | Under the Gun Review». underthegunreview.net (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2017 
  10. a b c Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :8
  11. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :2
  12. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :5
  13. «Albuquerque Journal» 
  14. «Glass Cloud | Biography & History | AllMusic». AllMusic. Consultado em 26 de maio de 2017 
  15. «The Human Abstract stream new album | News | Killyourstereo.com». Killyourstereo.com (em inglês). Consultado em 26 de maio de 2017 
  16. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome :9
  17. Erro de citação: Etiqueta <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs de nome novelists1
  18. «The New Reign Tour Makes Its Way to Studio Seven». SMI (Seattle Music Insider) (em inglês). 2 de março de 2017. Consultado em 24 de maio de 2017 
  19. Tippell, Chris (26 de julho de 2017). «Oceans Ate Alaska – Hakiri». Ghost Cult Magazine. Consultado em 14 de dezembro de 2017 
  20. «Explicitly Intense - Periphery» 
  21. «REVIEW: Reflections – The Color Clear [2015] | New-Transcendence». new-transcendence.com (em inglês). Consultado em 27 de maio de 2017 
  22. «Silent Planet To Release "Everything Was Sound" July 1» 
  23. «LISTEN: Volumes – "Vahle" | Under the Gun Review». underthegunreview.net (em inglês). Consultado em 27 de maio de 2017