Metro AG

Metro AG é uma empresa multinacional alemã com sede em Düsseldorf que opera em formato Cash & Carry, principalmente sob a marca METRO. Até 2020, também operava no retalho geral através dos hipermercados Real, que foram vendidos a um consórcio de investidores.

Metro AG
Metro Wholesale & Food Specialist logo.svg
Empresa de capital aberto
Fundação 1964
Sede Düsseldorf, Alemanha
Pessoas-chave
Steffen Greubel (Chairman)

Christian Baier (CFO)

Andrea Euenheim (CHRO and Labour Director)

Rafael Gasset (COO - Convenience Cluster)

Eric Poirier (COO - Hospitality Cluster) )

Empregados 97.639 (2019/20) [1]
Produtos Cash & Carry
Faturamento € 25.632 bilhões (2019/20) [2]
Website oficial www.metroag.de

Em 2020, operavam cerca de 670 lojas em 24 países da Europa e Ásia.

A empresa foi fundada em 1964 por Ernst Schmidt e Wilhelm Schmidt-Ruthenbeck. Em 2010, era a quarta maior grossista do mundo em faturação, depois de Wal-Mart, Carrefour e Tesco. O seu formato atual foi lançado em 2017 com a desagregação da antiga Metro AG, que continuou a ser um retalhista de produtos eletrónicos de consumo e se renomeou Ceconomy.

HistóriaEditar

A história do METRO começou a 8 de novembro de 1963 em Essen com a inauguração do primeiro conceito de grossista com o nome METRO, pelos irmãos Ernst Schmidt e Wilhelm Schmidt-Ruthenbeck. O planeamento e a abertura do primeiro hipermercado com o nome METRO em Essen foram responsabilidade de Walter Vieth, que foi diretor administrativo de 1963 a 1970.

Em 1964, um ano após a abertura da primeira loja METRO, a empresa Stöcker & Reinshagen ( família Schell) planeou outra loja em Mülheim an der Ruhr. Durante a fase de construção, os empresários Schmidt-Ruthenbeck, Schmidt e Schell encontraram-se e decidiram fundir as suas atividades de Cash & Carry. Assim, fundaram a Metro-SB-Großmarkt GmbH & Co. KG com sede em Mülheim, mais tarde em Düsseldorf. Em 1966, a terceira loja METRO foi inaugurada em Berlim Ocidental. Em 1967, através de uma parceria com a empresa holandesa SHV Holdings (Steenkolen Handels-Vereeniging), uma loja foi inaugurada em Utrecht, na Holanda, com o nome de makro.

Em 1980, a METRO assumiu 24,9% da Kaufhof.

 
Logotipo METRO

Em março de 1996, a METRO AG foormou-se através da fusão da METRO Cash & Carry com a Kaufhof Holding AG, Deutsche SB-Kauf AG (da empresa insolvente co op AG) e Asko Deutsche Kaufhaus AG (emergiu da Allgemeine Saar Konsum, na qual uma empresa de investimento METRO tinha anteriormente ações). O grupo também incluiu os centros comerciais Huma, as lojas de retalho de desporto Primus Sportwelt, MHB Handel AG e a fabricante de materiais de escritório e papelaria Pelikan, bem como a Media-Saturn, o negócio de eletrónicos da Media Markt e Saturn. A ação da METRO AG foi fundada retrospetivamente a 1 de janeiro e listada a 22 de julho de 1996 na Bolsa de Valores de Frankfurt e fazia parte do DAX até 2012.

Em 1998, os retalhistas de informática Vobis e Maxdata, as lojas de moda Adler e os retalhistas de calçados Reno, a discounter TiP, Möbel Roller e filiais não lucrativas da Kaufhof foram trazidos para a subsidiária Divaco, que foi fundada em conjunto com o Deutsche Bank e o Grupo Gerling, para para atrair novos compradores. Em dezembro de 2003, a METRO deixou a sua participação na Divaco KG e vendeu as suas ações ao único acionista e CEO, Siegfried Kaske. Em 2004, a METRO comprou as lojas de moda Adler de volta da Divaco.

 
Escritórios Centrais METRO em Dusseldorf

Também em 1998, foram adquiridas 94 lojas Allkauf-S, assim como Allkauf Touristik Vertriebs GmbH com 160 agências de viagens, que foram vendidas novamente pela METRO.

Em 2005, a METRO separou a divisão de reforma residencial Praktiker, que abriu capital como uma empresa independente.

Em julho de 2006, a METRO comprou as 85 lojas alemãs do Wal-Mart. As lojas Wal-Mart foram amplamente integradas à marca de vendas Real.[3]

Em julho de 2008, a rede de supermercados Extra, com cerca de 250 localizações e vendas de cerca de 1,6 mil milhões de euros, foi vendida ao Grupo Rewe. A METRO vendeu as lojas de moda Adler para a empresa associada BluO em fevereiro de 2009. [4]

Em novembro de 2012, a METRO vendeu os seus 91 hipermercados Real na Polónia, Roménia, Rússia e Ucrânia para a Auchan por 1,1 mil milhões de euros. Em 2014, a METRO vendeu 12 hipermercados na Turquia.[5] Em 2017, a METRO vendeu os últimos quatro hipermercados restantes na Roménia.[6]A 15 de junho de 2015, a METRO AG concordou em vender a Galeria Kaufhof para o conglomerado de retalho canadense Hudson's Bay Company por $ 3,2 bilhões. [10]

A 30 de março de 2016, o grupo METRO anunciou que se iria dividir em duas empresas independentes: [11] Um spin-off do setor grossista da METRO AG será responsável pelas divisões do grupo em duas empresas independentes e listadas publicamente. Ambas terão perfis próprios de gestão, conselho fiscal e empresas independentes. METRO AG foi renomeado Ceconomy, incluindo Media Markt e Saturn, enquanto uma nova empresa com o nome METRO AG foi formada, incluindo METRO Cash & Carry e Real.

Em setembro de 2018, a METRO anunciou que queria vender a sua parte do hipermercado Real na Alemanha para se concentrar inteiramente no negócio da distribuição grossista.[7] Em fevereiro de 2020, os hipermercados Real foram vendido para o consórcio germano-russo da X-Bricks e SCP Group.[8] O negócio foi concluído em junho de 2020.[9]

OperaçãoEditar

A empresa opera com lojas sob a marca METRO na Europa, Índia, Japão, Cazaquistão, Mianmar e Paquistão. Na Bélgica, Holanda, Polónia, Portugal, Espanha e República Checa, as lojas operam sob a marca Makro, que foram adquiridas inteiramente da SHV Holdings em 1998.

 
Logotipo METRO Cash&Carry

A Bélgica é o único país onde funcionam lojas não empresariais, com 6 filiais da marca Makro. Existem também 10 lojas METRO para membros empresariais.

Em junho de 2019, a METRO operava com cerca de 769 lojas em 26 países.[10]

 
Loja METRO em Moscovo, Rússia
País Abertura Lojas
Alemanha 1964 107
França 1971 98
China 1996 94
Rússia 2001 93
Itália 1972 49
Espanha* 1972 37
Turquia 1990 33
Ucrânia 2003 31
Romania 1996 30
Polónia* 1994 29
India 2003 28
Holanda* 1968 17
Bélgica 1970 17
República Checa* 1997 13
Hungria* 1994 13
Austria 1971 12
Bulgária 1999 11
Portugal* 1990 10
Japão 2002 10
Sérvia 2005 9
Croácia 2001 9
Paquistão 2007 9
Cazaquistão 2009 6
Eslováquia 2000 6
Moldávia 2000 3

*Operam com marca Makro

Antigas OperaçõesEditar

A METRO abriu a primeira loja em 1971 no subúrbio de Glostrup em Copenhaga. Desde então, as lojas foram abrindo em Aarhus, Kolding, Sydhavnen em Copenhaga e Aalborg por ordem cronológica. A Dinamarca foi um dos primeiros países a começar a operar com serviços de entrega fora das lojas e tinha a sua própria frota de camiões que cobria toda a Dinamarca. A METRO deixou a Dinamarca em dezembro de 2014.

Reino UnidoEditar

Em 2012, a METRO vendeu as suas 30 lojas Makro no Reino Unido para o Booker Group.[11]

GréciaEditar

Em 2014, a METRO vendeu o negócio grego Makro, composto por 9 lojas, para a Sklavenitis.[12]

EgiptoEditar

A primeira loja foi inaugurada em junho de 2010 e a segunda em outubro de 2010.[13] Ambas as lojas foram fechadas entre 2013 e 2015, quando a empresa começou a retirar-se dos mercados deficitários.

MarrocosEditar

Em 2010, a METRO vendeu a subsidiária Makro em Marrocos.[14]

VietnameEditar

Em 2014, a METRO assinou um acordo para vender a sua subsidiária no Vietname, composta por 19 lojas, para o grupo tailandês Berli Jucker no valor de 665 milhões de euros[15].

ChinaEditar

A primeira loja na China foi aberta em 1996 em Xangai, em uma joint-venture com o Grupo Jinjiang. A 23 de abril de 2020, a METRO concluiu a venda da participação maioritária na METRO China, que opera com 97 lojas, para o Wumei Technology Group por mais de 1,5 mil milhões de euros. A participação de 20% da METRO na joint venture permite que ela explore várias oportunidades de parceria estratégica com a Wumei e o seu parceiro de tecnologia Dmall. [16]

METRO: O nomeEditar

A METRO teve os direitos do nome da marca protegidos numa fase inicial, incluindo um acordo com a gigante Hollywood Metro-Goldwyn-Mayer, que era possível na época sem remuneração.

A METRO tentou garantir os seus direitos de uso do termo "Metro" em vários processos. A empresa ferroviária da Baixa Saxônia MetroRail teve que mudar o seu nome para Metronom Eisenbahngesellschaft mbH, mas ainda pode chamar os seus comboios de Metro. Além disso, Metro Rapid Successors Metro Express foi renomeado após ser ameaçado com uma ação legal. Em Nabburg (Alto Palatinado), a discoteca Metro foi processada e teve que mudar de nome. Processos judiciais contra as empresas de transporte público Berliner Verkehrsbetriebe (BVG), Hamburger Hochbahn (HHA), Hamburger Verkehrsverbund (HVV) e Munich Transport Company (MVG) por causa do nome Metro-Bus para algumas das principais rotas de autocarros foram rejeitados em primeira instância. A segunda instância confirmou os acordos, mas restringiu significativamente o uso das empresas de transporte público do nome Metro. Na área do Ruhr, o sistema de aluguer de bicicletas Metrorad ruhr teve que ser renomeado como Metropolradruhr.

Em 2012, face a um conflito de marca iminente, a Microsoft renomeou a sua interface de usuário Metro do sistema operacional de computador Microsoft Windows 8.[17]

Referências

  1. «METRO AG - Annual Report 2012019». www.metroag.de. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  2. «METRO AG - Annual Report 2019/20». www.metroag.de. Consultado em 23 de setembro de 2020 
  3. «Unternehmensmeldungen - Meldungen - Investor - FAZ.NET». web.archive.org. 12 de março de 2007. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  4. «manager magazin | Wirtschaftsnachrichten». www.manager-magazin.de. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  5. «Metro sells Real stores in Turkey - Latest News». Hürriyet Daily News (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  6. «Încă o tranzacţie în retail: Grupul german Metro a vândut cele patru hipermarketuri Real pe care le mai deţinea în România». ZF.ro (em romeno). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  7. AG, METRO (13 de setembro de 2018). «METRO starts sales process for Real and focuses on wholesale business». www.metroag.de (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  8. Mitsis, Konstantinos. «Real geht an deutsch-russisches Konsortium: Beim Besuch einer Filiale stoßen wir auf eine Überraschung». CHIP Online (em alemão). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  9. «METRO AG Completes Sale of Real, Moves Toward Becoming a Purely Wholesale Company». Deli Market News (em inglês). 30 de junho de 2020. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  10. AG, METRO. «About us». www.metro-wholesale.com (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  11. Brooks2012-05-30T09:22:00+01:00, Beth. «Booker swoops to buy up beleaguered Makro». The Grocer (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  12. Staff, Reuters (25 de novembro de 2014). «UPDATE 1-Germany's Metro sells nine Greek cash-and-carry stores». Reuters (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  13. «مترو | TOP-LEVEL». web.archive.org. 16 de fevereiro de 2013. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  14. Staff, Reuters (25 de novembro de 2014). «UPDATE 1-Germany's Metro sells nine Greek cash-and-carry stores». Reuters (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  15. VnExpress. «Metro Vietnam acquisition by Thai retail giant under scrutiny - VnExpress International». VnExpress International – Latest news, business, travel and analysis from Vietnam (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  16. «Majority stake in Metro sold to Wumei Technology Group in 1.5b euro deal - Chinadaily.com.cn». www.chinadaily.com.cn. Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  17. Staff, Ars (2 de agosto de 2012). «Microsoft: "Metro" out, "Windows 8-style UI" in, amid rumors of a trademark dispute». Ars Technica (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2021 
  Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.