Abrir menu principal
Nota: Se procura o livro de 1944, consulte Meu Destino É Pecar (livro); se procura o filme de 1952, veja Meu Destino É Pecar (filme).
Meu Destino É Pecar
Informação geral
Formato Minissérie
Duração 45 minutos aproximadamente
Criador(es) Euclydes Marinho
Baseado em Meu Destino É Pecar de Nelson Rodrigues
País de origem Brasil
Idioma original (português)
Produção
Diretor(es) Ademar Guerra
Denise Saraceni
Elenco ver elenco
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição (480i) SDTV
Transmissão original 21 de maio - 20 de julho de 1984

Meu Destino É Pecar é uma minissérie brasileira produzida e exibida pela Rede Globo entre 21 de maio a 20 de julho de 1984, em 35 capítulos, no horário das 22 horas. [1]

Escrtia por Euclydes Marinho e baseada no romance homônimo de Nelson Rodrigues, sob o pseudônimo de Suzana Flag é contou com a direção geral e núcleo de Ademar Guerra e Denise Saraceni.

SinopseEditar

Helena (Lucélia Santos), chamada por todos de Leninha, é recém-casada com Paulo (Tarcísio Meira) e parte para a fazenda do marido no interior do Rio de Janeiro. Ao longo da viagem, ela demonstra toda sua insatisfação por estar casada com um homem que não ama. Na fazenda, a viúva Consuelo (Nathalia Timberg) prepara-se para receber o filho e a nora, que ainda não conhece, ao lado da fiel empregada Nana (Cléa Simões). Leninha fora obrigada pelo pai, Dílson (Ivan Cândido), e pela madrasta, Clara (Nicette Bruno), a se casar com Paulo. Os dois fizeram um acordo financeiro com o jovem e rico rapaz, contra a vontade de Leninha. Ela, por sua vez, se recusa a dormir com o marido, de quem sente asco. O drama de Leninha se complica ainda mais quando conhece Mauricio (Marcos Paulo), seu cunhado. A jovem se apaixona perdidamente por ele e passa a viver um grande conflito interior: as regras sociais e morais lhe impõem um comportamento de boa esposa, fiel e companheira, mas seus desejos falam mais alto, levando-a a pecar. Ela reluta, mas não consegue evitar o desejo que sente por Maurício; desejo que é recíproco. Quem não gosta nada de ver o envolvimento de Leninha e Maurício é Consuelo, que passa a hostilizar a nora. Paulo descobre a paixão entre seu irmão e sua mulher e passa a odiar Maurício. Depois de muito conflito, Leninha decide ficar com o marido, para desespero de Maurício. Ela opta por ser uma esposa dedicada e fiel e abandona de vez o amante. No último capítulo da minissérie, Leninha e Paulo, felizes, comunicam que terão um filho, deixando todos comovidos com a notícia, até mesmo Consuelo, que perdoa a nora. Depois de muito sofrimento por ter sido abandonado, Maurício se recupera da dor pela perda de seu grande amor nos braços de Regina (Maria Zilda Bethlem). Outro casal importante, é Marcelo (Osmar Prado), um artista plástico desiludido, filho de Miguel Santa Rita (Dionísio Azevedo), proprietário da fazenda Margarida e Lídia (Esther Góes), uma mulher solitária, sobrinha de Consuelo, dona da fazenda Santa Maria e prima de Paulo e Maurício. Há muitos anos, as duas famílias de fazendeiros são rivais. É o amor entre Marcelo e Lídia que acaba mudando inteiramente a vida dos dois e apaziguando as relações entre todos.

BastidoresEditar

Adaptação do folhetim homônimo escrito por Nelson Rodrigues para O Jornal, publicação dos Diários Associados, sob o pseudônimo de Suzana Flag.

Honesta transposição do universo de Nelson Rodrigues na linguagem de minissérie, valorizada pelo soberano clima folhetinesco, que emanava da trama.

A história é narrada pelo ator Armando Bógus, que revela a intimidade de cada integrante da trama. O recurso foi criado por Euclydes Marinho para inserir na minissérie os comentários feitos por Nelson Rodrigues.

Embora o folhetim tenha sido escrito na década de 40, os preconceitos ali representados ainda tinham validade no período em que a minissérie foi exibida. Por isso os diretores preferiram não definir a época em que se passa a história.

Interpretações corretas e direção perfeita. Nenhum gigantismo, apenas Lucélia Santos sempre ótima ao interpretar Nelson Rodrigues. O próprio Nelson achava Lucélia a atriz perfeita para suas personagens ousadas. Além desta minissérie, a atriz esteve em três filmes baseados na obra do escritor: Engraçadinha, de Haroldo Marinho Barbosa, Bonitinha Mas Ordinária e Álbum de Família, ambos de Braz Chediak.

A trama acontece no meio rural carioca, em duas fazendas de famílias que se antagonizam. A locação da Fazenda Santa Maria foi feita numa casa em Paraíba do Sul (RJ). Construíram-se os cenários da Fazenda Margarida em Rio Bonito (RJ). Outras locações foram feitas em Jacarepaguá, na Colônia Penal Juliano Moreira.

ElencoEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Meu destino é pecar». Teledramaturgia. Consultado em 28 de agosto de 2016