Miguel Andrade Gomes

esgrimista português

Miguel Barata de Andrade Gomes (Lisboa, 21 de Fevereiro 1972) é um mestre de armas português, campeão do mundo de esgrima artística (Vichy 2000)[1].

Miguel Andrade Gomes
Miguel Andrade Gomes, Fencing Master.

Miguel Andrade Gomes (fotografado em 2000)
Nome completo Miguel Barata de Andrade Gomes
Nascimento 21 de fevereiro de 1972 (52 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Mestre de Armas

Formação académica e filiações

editar

É Licenciado e Bacharel em História (UAb), frequentou o curso de Engenharia Civil (ISEL) e tem diploma tecnológico em Informática (ISTEC). Na Universidade de Coimbra foi auditor na pós-graduação em Direito Penal Económico e Europeu[2][3].

Membro efectivo da Sociedade de Geografia de Lisboa, Academia Falerística de Portugal, Liga dos Combatentes, Sociedade Histórica da Independência de Portugal, Real Associação de Lisboa, Irmandade Militar de Nossa Senhora da Conceição, Associação Portuguesa de Coleccionadores de Armas, Associação Napoleónica Portuguesa. Foi director da Federação Portuguesa de Esgrima até 2006 (dois mandatos), da Academia de Armas de Portugal até 2001.

Mestre de armas

editar

Em Paris, forma-se como mestre de armas. (Federação Francesa de Esgrima - CNFE). Frequenta o curso de esgrima do Centro Militar de Educação Física e Desportos e vários na Federação Portuguesa de Esgrima. Estudou na Asociación Española de Maestros de Armas, Académie d'Armes Internationale e International Wheelchair Fencing Committe. Na Escola de Desportos de Combate frequentou o curso de defesa pessoal, no Regimento de Lanceiros nº 2 frequentou o curso ASP.

Foi atleta federado na modalidade de Esgrima representou o Clube de Futebol Estrela da Amadora. Praticou Tiro com Arco, Tiro desportivo e Boxe no Ginásio Clube Português. [4]

No ano 2000, em Vichy, venceu o Campeonato do Mundo de Esgrima artística[5] (Vice-campeão em 1996), em 2002 obteve o título de Campeão Nacional Absoluto de Esgrima (Espada por equipes) [6].

Viveu em França, onde frequentou as mais prestigiadas salas de armas de Paris. Deu lição de esgrima na Ecole Polytechnique bem como no centro de alto rendimento desportivo do CREPS d’Île-de-France.

Especializa-se em esgrima para teatro com o mestre François Rostain (Comédie-Française e Conservatoire National Supérieur d'Art Dramatique) e em esgrima para cinema com os mestres Claude Carliez e Michel Carliez.

Coreógrafo

editar

Especialista em armas brancas, criou e coreografou duelos e lutas cénicas para o mundo do espectáculo.

No seu curriculum constam coreografias como:

E a preparação específica e geral dos elencos de:

Percurso de armas

editar
 
Miguel Andrade Gomes

O domínio de armas parece ter sido a paixão de uma vida. Surge com a primeira espada aos 5 anos, a primeira carabina (CAC) aos 8, e torna-se numa ânsia não consumada por falta de locais especializados onde pudesse treinar e aprender. Ultrapassada essa limitação com um fascínio por tudo o que na história esteja ligado a artes bélicas, combates, e reconstituição de batalhas, sempre com o cuidado intrínseco pelo detalhe, a farda, a arma.

Iniciou a sua instrução de armas frequentando aulas de esgrima histórica e artística com mestres como Ernest Foucteau, Claude Carliez, Jean Promard, Enzo Cherubino e Eugénio Roque.

Contudo, pouco depois, Miguel Andrade Gomes reconhece que pela ausência de uma certa componente marcial este tipo de esgrima não completava a sua formação. Se por um lado à Esgrima artística (coreografada) correspondem os movimentos largos e bem desenhados, a postura impecável, as espadas e trajes de época, é na esgrima competitiva de vertente olímpica que se obtém a noção de tempo, de espaço, de acção/reacção, técnica e táctica. Surge então o convite para iniciar o seu treino competitivo na Secção de Esgrima do Estrela da Amadora com o mestre José Bartissol. Durante os oito anos seguintes faz esgrima de competição à Espada e ao Sabre, tendo subido onze vezes ao pódio em provas civis e militares a nível nacional, culminando com a vitória do Campeonato Nacional Absoluto 2002 (Espada por equipes) permitindo-o no ano seguinte participar na Taça dos Clubes Campeões Europeus na cidade de Heidenheim na Alemanha. É igualmente seleccionado para representar Portugal em várias provas da Taça do Mundo, pontuando para o ranking mundial F.I.E.

A mestria destas duas vertentes da Esgrima dera a oportunidade de entrar finalmente no grande círculo internacional e concorrer ao mesmo nível com os melhores na arte de esgrimir. Já em 1996, integrando a equipe Portuguesa alcança a medalha de prata no campeonato do Mundo de Esgrima Artística, em 1998, no Campeonato Internacional de França, a sua prestação valeu uma medalha de Bronze, mas foi no ano 2000, em Vichy, que chegou finalmente ao topo. Já como coreógrafo, apresenta o seu trabalho "Fantaisie pour Épée et orchestre" interpretado por Maria Salvado à avaliação dos mais consagrados mestres mundiais e por unanimidade foi atribuído à prestação Portuguesa a Medalha de Ouro do Campeonato do Mundo de Esgrima artística, homologada pela Federação Internacional de Esgrima (FIE) e pela Academia de Armas Internacional (AAI). [19]

Palmarés

editar

Taça de Portugal [20]

  • 1999
    •  Medalha de Prata (F. A.) - Espada por Equipas - X Torneio Academia da Força Aérea.
  • 2000
  • 2001
    •  Medalha de Bronze (F.P.E.) - Espada individual - Campeonato Nacional de 3ªs Categorias 2001.
  • 2002
    •  Medalha de Ouro (F.P.E.) - Espada por equipes – Campeonato Nacional 2002.
    •  Medalha de Bronze (F.P.E.) - Espada individual - 1ª Preparação Campeonato Nacional 2002.
    •  Medalha de Ouro (CDUL) - Espada por equipes no Torneio Nacional “Dr. H. Pimentel” 2002.
    •  Medalha de Bronze (CDUL) - Espada individual no Torneio Nacional “Dr. H. Pimentel” 2002.
    •  Medalha de Ouro (F.P.E.) - Espada individual - Campeonato Nacional de 3ªs Categorias 2002.
  • 2003


Campeonato do mundo de Esgrima Artística [21]

Referências

  1. Jornal Expresso, 3 de Fevereiro de 2001
  2. Diário as Beiras. Diário as Beiras, 14 Fevereiro de 2006
  3. Diário as Beiras. Diário as Beiras, 14 Fevereiro de 2006
  4. O Distrito de Setúbal. Jornal O Distrito de Setúbal, 13 de Agosto de 2002
  5. Jornal Público, 19 de Novembro de 2001
  6. Record. Jornal Record, Junho de 2001
  7. [1]. Uma Pedra no Sapato.
  8. [2]. Jornal Público 11 de Novembro de 2021.
  9. [3]. Jornal Expresso 15 de Fevereiro de 2019.
  10. [4]. Jornal Expresso 22 de Setembro de 2018.
  11. Macbeth. TNSJ.
  12. CYRANO DE BERGERAC. TNDMII.
  13. Caso Hamlet. Jornal PÚBLICO 2014
  14. Dom João. Teatro Municipal Joaquim Benite
  15. TNDMII.
  16. TNDMII.
  17. ENSEMBLE.
  18. Visão, 14 de Fevereiro de 2002
  19. Jornal Duas-Colunas (adaptação). Teatro Nacional São João. 2004
  20. Federação Portuguesa de Esgrima
  21. Diário as Beiras. Diário as Beiras, 14 Fevereiro de 2006

Ligações externas

editar