Abrir menu principal

Miguel Díaz-Canel

político cubano, 17° Presidente de Cuba
Miguel Díaz-Canel
Miguel Díaz-Canel
17º Presidente de Cuba
Período 19 de abril de 2018
até atualidade
Vice-presidente Salvador Valdés Mesa
Antecessor Raúl Castro
Sucessor -
3º Vice-presidente de Cuba
Período 24 de fevereiro de 2013
até 19 de abril de 2018
Presidente Raúl Castro
Antecessor José Ramón Machado Ventura
Sucessor Salvador Valdés Mesa
Dados pessoais
Nome completo Miguel Díaz-Canel Bermúdez
Nascimento 20 de abril de 1960 (59 anos)
Villa Clara, Cuba
Cônjuge Lis Cuesta[1]
Filhos 2
Partido Partido Comunista de Cuba
Religião Ateu

Miguel Mario Díaz-Canel Bermúdez[2] (Villa Clara, 20 de abril de 1960) é um professor universitário e político cubano[3][1] que é o atual Presidente do Conselho de Estado de Cuba desde 19 de abril de 2018 e o primeiro nascido após a revolução de 1959 a atingir tal posto.[1] É membro do Politburo do Partido Comunista de Cuba desde 1997 e ocupou o cargo de ministro da Educação Superior de 2009 a 2012, sendo então promovido para o cargo de Vice-Presidente do Conselho de Ministros em 2012. Um ano depois, em 24 de fevereiro de 2013, foi eleito primeiro vice-presidente do Conselho.[4]

Em 18 de abril de 2018, foi eleito em Assembleia como novo presidente de Cuba, tendo tomado posse no dia seguinte.[5]

Díaz-Canel é, portanto, o primeiro presidente a não ser um membro da família Castro desde Osvaldo Dorticós Torrado e o terceiro pós-revolução, incluindo o próprio Dorticós e também Manuel Urrutia Lleó. É provável que Miguel Díaz-Canel suceda a Raúl Castro como Primeiro Secretário do Partido Comunista de Cuba, a posição mais importante em Cuba, em 2021.[6]

Índice

Início da vida e educaçãoEditar

Díaz-Canel nasceu em 20 de abril de 1960 em Placetas, Villa Clara, filho de Aída Bermúdez, professora, e Miguel Díaz-Canel, operário de uma usina mecânica em Santa Clara.[7][8] De descendência paterna espanhola (asturiana) direta; seu bisavô Ramón Díaz-Canel partiu de Castropol, Astúrias para Havana no final do século XIX.[9][10]

Ele se formou na Universidade Central de Las Villas em 1982 como engenheiro eletrônico e depois se juntou às Forças Armadas Revolucionárias Cubanas.[3] A partir de abril de 1985, ele lecionou em sua alma mater. Em 1987, ele completou uma missão internacional na Nicarágua como Primeiro Secretário da Liga Jovem Comunista de Villa Clara.

Carreira políticaEditar

Em 1993, Díaz-Canel começou a trabalhar com o Partido Comunista de Cuba e, um ano depois, foi eleito Primeiro Secretário do Comitê do Partido Provincial da Província de Villa Clara (cargo equivalente a um governador regional).[3][11] Ele ganhou uma reputação de competência neste cargo,[11] durante o qual ele também defendeu os direitos LGBT em um momento em que muitos na província desaprovavam a homossexualidade.[12] Em 2003, ele foi eleito para o mesmo cargo na província de Holguín.[3][13] No mesmo ano, ele foi cooptado como membro do Politburo do Partido Comunista de Cuba.[14]

Díaz-Canel foi nomeado Ministro do Ensino Superior em maio de 2009, cargo que ocupou até 22 de março de 2012, quando se tornou Vice-Presidente do Conselho de Ministros (vice-primeiro ministro).[3][15] Em 2013 ele também se tornou primeiro vice-presidente de Cuba.[3]

Presidente de CubaEditar

 
Díaz-Canel com Vladimir Putin no Kremlin, 2 de novembro de 2018

Como Primeiro Vice-Presidente do Conselho de Estado, Díaz-Canel atuou como suplente do presidente, Raúl Castro. Em 2018, Castro, de 86 anos, deixou a presidência, embora tenha mantido a poderosa posição de primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba e comandante-em-chefe das Forças Armadas Revolucionárias Cubanas.[16][17] Em 18 de abril de 2018, Díaz-Canel foi escolhido como o único candidato a suceder Castro como presidente.[11] Ele foi confirmado por uma votação da Assembleia Nacional em 19 de abril[11] e prestou juramento no mesmo dia.[18]

Ele é um tecnocrata do partido que era pouco conhecido do público antes de se tornar presidente. Os especialistas em política esperavam que ele buscasse uma reforma cautelosa das políticas econômicas de seus antecessores, preservando a estrutura social do país.[17] Ele é o primeiro presidente nascido após a Revolução Cubana de 1959 e o primeiro desde 1976 a não ser um membro da família Castro.[12]

Em março de 2019, Díaz-Canel e sua esposa hospedaram Carlos, Príncipe de Gales e Camila, Duquesa da Cornualha, em Havana, como os primeiros integrantes da realeza britânica a visitar a ilha.[19]

Vida pessoalEditar

Díaz-Canel tem dois filhos com sua primeira esposa, Martha, e atualmente mora com sua segunda esposa, Lis Cuesta.[20]

Referências

  1. a b c «Saiba quem é Miguel Díaz-Canel, provável herdeiro político de Cuba». G1. 25 de fevereiro de 2013. Consultado em 26 de fevereiro de 2013 
  2. Llano, Pablo de (18 de abril de 2018). «A nova cara de Cuba depois de Fidel e Raúl Castro». EL PAÍS 
  3. a b c d e f Damien Cave (24 de fevereiro de 2013). «Raúl Castro Says His Current Term as President of Cuba Will Be His Last». The New York Times 
  4. «Ratificado Raúl como presidente del consejo de Estado». Cuba Debate. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  5. Fleck, Isabel (18 de abril de 2018). «Assembleia em Cuba indica Miguel Díaz-Canel para suceder Raúl Castro». Folha de S.Paulo. Consultado em 18 de abril de 2018 
  6. «Miguel Diaz-Canel named Cuba's new president». CNN. 20 de abril de 2018. Still, Castro made clear Díaz-Canel will ultimately succeed him as head of the Communist Party when he steps down form that post in 2021. 
  7. «Díaz-Canel no es un relevo histórico». Martinoticias. 25 de fevereiro de 2013. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  8. Ahmed, Azam; Robles, Frances (19 de abril de 2018). «Who Is Miguel Díaz-Canel, Cuba's New President?». The New York Times. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  9. «Cuba ya tiene un nuevo presidente, de ascendencia asturiana». ileon. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  10. «De ruta por las raíces asturianas de Miguel Díaz-Canel». El Comercio. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  11. a b c d Press, Associated (19 de abril de 2018). «Miguel Díaz-Canel: Cuba selects first non-Castro president since Fidel». The Guardian (em inglês). Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  12. a b Augustin, Ed (18 de abril de 2018). «After six decades of Castro rule, Cubans greet end of era with a shrug». The Guardian (em inglês). Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  13. «En sustitución de Juan Vela es designado Miguel Díaz Canel ministro de Educación Superior». cubaheadlines.com 
  14. Ryan Villarreal (26 de fevereiro de 2013). «Sustaining The System: Cuba's New VP Diaz-Canel Marks Ascent Of Younger Generation». International Business Times 
  15. «Nota oficial». www.granma.cubasi.cu 
  16. «Raul Castro to lead Cuba's Communist Party until 2021». FRANCE 24. 19 de abril de 2018. 'I confirm to this assembly that Raul Castro, as first secretary of the Communist Party, will lead the decisions about the future of the country,' Diaz-Canel said. 
  17. a b Andrés Oppenheimer (20 de abril de 2018). «Cuba's new 'babysaur' to replace a dinosaur is no cause of celebration—it's shameful!». Miami Herald. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  18. «Cuba's Raúl Castro hands over power to Miguel Díaz-Canel». BBC News. 19 de abril de 2018. Consultado em 18 de janeiro de 2019 
  19. «Prince Charles and Camilla make history in Cuba». BBC News (em inglês). 25 de março de 2019. Consultado em 21 de maio de 2019 
  20. «Quién es Miguel Díaz-Canel, el sucesor de Fidel y Raúl Castro». 25 de fevereiro de 2013. Consultado em 18 de janeiro de 2019 

Ligações externasEditar