Mikoyan-Gurevich MiG-29

O Mikoyan MiG-29 (nome de código da NATO Fulcrum ) é um caça utilizado em combate aéreo . Desenvolvido no início da década de 1970, entrou ao serviço da União Soviética em 1982 e mantem-se operacional até os dias de hoje na Força Aérea Russa, bem como nos países para onde foi exportado. Neste sentido, o elevado custo de manutenção tem levado a Força Aérea Russa e outros países como a Hungria a tentar se livrar de seus Mig-29, entretanto poucos países têm demonstrado interesse na aquisição destes equipamentos.[2]

MiG-29
(OTAN: Fulcrum)
Um Mig-29 russo.
Descrição
Tipo / Missão Avião caça de superioridade aérea, caça multipropósito, com motores turbofan, bimotor monoplano
País de origem  União Soviética
 Rússia
Fabricante Mikoyan-Gurevich
Período de produção 1982-presente
Quantidade produzida +1600
Custo unitário MiG-29B: US$11 milhões (1984, 1999)
(US$29 milhões corrigidos em 2009)
Primeiro voo em 6 de outubro de 1977 (43 anos)
Introduzido em julho de 1983
Variantes Mikoyan-Gurevich MiG-29K
Mikoyan-Gurevich MiG-29M
Mikoyan-Gurevich MiG-35
Tripulação 1
Especificações
Dimensões
Comprimento 17,37 m (57,0 ft)
Envergadura 11,4 m (37,4 ft)
Altura 4,73 m (15,5 ft)
Área das asas 38  (409 ft²)
Alongamento 3.4
Peso(s)
Peso vazio 11 000 kg (24 300 lb)
Peso carregado 15 300 kg (33 700 lb)
Peso máx. de decolagem 20 000 kg (44 100 lb)
Propulsão
Motor(es) 2 x turbofans Klimov RD-33
Força de empuxo (por motor) 8 300 kgf (81 400 N)
Performance
Velocidade máxima 2 400 km/h (1 300 kn)
Velocidade de cruzeiro 1 500 km/h (810 kn)
Velocidade máx. em Mach 2,25 Ma
Alcance bélico 1 430 km (889 mi)
Alcance (MTOW) 2 100 km (1 300 mi)
Teto máximo 18 013 m (59 100 ft)
Razão de subida 109 m/s
Aviônica
Tipo(s) de radar(es) Radar Phazotron N019 Rubin e Zhuk N010
Armamentos
Metralhadoras / Canhões 1 x canhão de 30 mm (1,18 in) GSh-30-1 com 150 disparos
Foguetes S-24 ou Kh-25 ou Kh-29
Mísseis 6 x mísseis ar-ar: AA-8 Aphid ou Vympel R-27 ou AA-11 Archer ou AA-12 "Adder"
Bombas FAB 500-M62, FAB-1000, TN-100
Notas
Dados de: Especificações MiG[1]
Em azul países que possuem o MiG-29 em seu inventário. Em vermelho, nações que já aposentaram esta aeronave.
Perfil em três vistas.

DesenvolvimentoEditar

A concepção do MiG-29, tal como o Su-27 Flanker da Sukhoi, iniciou-se em 1969, quando a União Soviética tomou conhecimento da existência do programa 'FX' da Força Aérea dos Estados Unidos, que iria culminar na produção do F-15 Eagle. Ainda antes do desenvolvimento deste avião, os soviéticos se deram conta de que os novos caças iriam representar avanços significativos em termos tecnológicos, comparativamente aos caças existentes. O MiG-21 Fishbed mostrava-se até então ágil, segundo os padrões da época, embora o seu tamanho inserisse deficiências no alcance, armamento e potencial de expansão. O MiG-23 Flogger, desenvolvido para equiparar o F-4 Phantom II, era rápido e dispunha de mais espaço para equipamento e combustível, mas a manobrabilidade e capacidade de combate direto (dog fighting) mostrava-se deficiente. Os soviéticos necessitavam, assim, de um caça mais equilibrado, concentrando mais agilidade e sistemas sofisticados.

Sensores e armamentosEditar

O MiG-29 representou uma evolução considerável em termos de sensores ofensivos e armamentos em relação aos equipamentos soviéticos anteriores.

Construído para abarcar o sistema de tiro RLPK-29 - que compreende o radar N019 "Rubin", com capacidade de detecção de alvos de até 100km - o MiG-29 tem uma atuação muito mais independente em relação ao controle de interceptação de solo do que modelos predecessores.[3]

Um sistema único para época, o OEPrNK-29 (S-31), que compreende o sistema eletro-óptico de aquisição de alvos OEPS-29, acoplado a tela no capacete Shchel'-3UM, permite ao piloto detectar e travar alvos sem emitir ondas de radar.[3] Uma vantagem tática já que permite um ataque furtivo a outra aeronave.

Defensivamente o MiG-29 conta com sistema de detecção de emissões de radar SPO-15LM Beryosa [4]e o sistema de identificação amigo-inimigo (IFF) STR-700. [5] O sistema BVP-30M é responsável pelas contramedidas de mísseis guiados a infravermelho e a radar. [6]

O armamento padrão do MiG-29 é constituído de um canhão interno de 30 mm GSh-301 com 150 munições.[7] A aeronave também possui seis estações para armamentos sob as asas para mísseis ar-ar de curto alcance e guiados por infravermelho, como o Vympel R-60 (OTAN: AA-8 "Aphid") e o Vympel R-73 (OTAN: AA-11 "Archer"), assim como mísseis de médio alcance guiados por radar, como o Vympel R-27R/T (OTAN: AA-10 "Alamo"). As versões modernizadas da aeronave, como o MiG-29M e MiG-29STM, podem levar mísseis de radar ativo Vympel R-77 (OTAN: AA-12 "Adler").[6]

Apesar de ser um caça e graças ao sistema de armamentos SUV-29, o MiG-29 também é capaz de realizar ataque ao solo utilizando bombas e foguetes não guiados. As variantes mais recentes são capazes de levar armas ar-solo guiadas, como os mísseis Vympel Kh-29 (OTAN: AS-14 "Kedge") e míssil anti-radar Vympel Kh-31P (OTAN: AS-17 "Krypton"). [8]

História de combateEditar

Apesar das suas virtudes aparentes, o MiG-29 não foi tão bem sucedido em combate real. Voou em combate na Guerra do Golfo, sobre a Sérvia, e na Guerra Eritreia-Etiópia em 1999. Pelo menos uma dúzia foram atingidos, sem registo de victórias. Porém, a maioria das aeronaves destruídas estava no solo e as poucas perdidas em combate aéreo se deve ao fato da tecnologia superior utilizada pelos EUA, como aeronaves AWACS e mísseis mais modernos, além do alto grau de treinamento dos pilotos americanos. Alguns técnicos consideram estes valores reveladores das deficiências do MiG-29. No ambiente hostil do Iraque e Sérvia, os Estados Unidos tomaram a iniciativa e asseguraram a sua superioridade aérea desde muito cedo, restando poucas hipóteses aos MiG-29s de responder. No entanto, algumas análises de potencial, quando comparados paralelamente, indicam que o MiG-29 poderia ser equiparado ao F-15 Eagle. Análises efetuadas pela Federação dos Cientistas Americanos (FAS) revelaram que o MiG-29 é igual ou superior ao F-16, após os exercícios conjuntos DACT, realizado entre pilotos alemães (que herdaram o MiG-29 da antiga Alemanha Oriental) e pilotos americanos, em razão de seu sistema de mira montado no capacete (HMS) dos pilotos e da grande manobrabilidade do MiG-29 à baixa velocidade.[9] [carece de fontes?]

ImagensEditar

OperadoresEditar

Variantes[10]Editar

  • MiG-29 (izdeliye 9.12) Fulcrum-A: Primeira versão de produção em série de 1982 a 1991. Unidades produzidas: 840.[11]
  • MiG-29UB (izdeliye 9.51) Fulcrum-A: Versão biplace de treinamento. Não possuía radar e o sistema de contramedidas, porém foi mantido o sistema de mira eletro-óptico. Produção em série iniciada em 1985 com 197 unidades produzidas.
  • MiG-29 (izdeliye 9.12A), versão de exportação "A" Fulcrum-A: Voltada para exportação aos aliados do Pacto de Varsóvia a partir de 1988, até 1991. Como hábito da política bélica soviética, todas os equipamentos militares possuem versões de exportações que sofriam downgrades. No caso da versão "A", a aeronave possuía radar, sistema de mira, eletro-óptico e IFF desaprimorados.
  • MiG-29 (izdeliye 9.12B), versão de exportação "B" Fulcrum-A: Versão com ainda mais downgrade em equipamentos, voltada principalmente para países alinhados aos soviéticos, porém de fora do Pacto de Varsóvia. Radar, sistema eletro-óptico e de navegação muito simplificados, também não possui datalink.  Produzidos entre 1986 e 1996.
  • MiG-29UB (izdeliye 9.51A) Fulcrum-A: Biplace de treinamento da versão de exportação "A".
  • MiG-29UB (izdeliye 9.51B) Fulcrum-A: Biplace de treinamento da versão de exportação "B".
  • MiG-29 (izdeliye 9.12P) Fulcrum-A: Versão produzida em poucos exemplares para shows aéreos. Seu sistema de navegação era compatível com a navegação ocidental, permitindo o sobrevoo de espaço aéreo internacional.
  • MiG-29G (izdeliye 9.12) Fulcrum-A: Após a reunificação alemã, em 1990, a nova Luftwaffe incorporou os dois esquadrões de MiG-29 (9.12) pertencentes até então à República Democrática Alemã (DDR). Para se adequar ao padrão OTAN as aeronaves passaram por uma processo de ocidentalização, principalmente nos seus sistemas de comunicação, navegação e IFF.
  • MiG-29GT (izdaliye 9.51) Fulcrum-A: Versão ocidentalizada biplace para treinamento da Força Aérea Alemã.
  • MiG-29 (izdeliye 9.13) Fulcrum-C : Primeira versão aprimorada do MiG-29. Possuí mais combustível interno (240 litros, 4540 litros no total), capacidade de levar dois tanques extras PTB-1150 de 1150 litros sob as asas, sistema de contramedidas eletrônicas Gardeniya-1FU e 1000kg adicionais de armamentos. Mais de 400 unidades produzidas entre 1986 e 1991.
  • MiG-29S (izdeliye 9.13S) Fulcrum-C: Segunda versão aprimorada com melhorias para o combate ar-ar. Utiliza sistema de tiro RLPK-29M, baseado no radar NO019M "Topaz", integrado a versões aprimoradas do míssil R-27ET/ER e ao R-77. Além de um novo sistema eletro-óptico OEPrNK-29-1. Seu sistema de mira e aquisição de alvos é mais resistente a contra medidas inimigas. Ano de produção 1993. Unidades produzidas: 16
  • MiG-29S (izdeliye 9.12S) Fulcrum-C: Upgrade pós-produção das aeronaves da versão inicial 9.12 para o padrão "S", porém sem o sistema de contramedidas Gardeniya-1FU e sem o combustível interno adicional.
  • MiG-29SD (izdeliye 9.12SD) Fulcrum-C: Versão de exportação para países do terceiro mundo do upgrade 9.12S. Possuí uma sonda de reabastecimento em voo semi-retrátil, equipamentos de navegação ocidentais e, graças ao sistema RPLK-2929ME, com o radar NO019E "Topaz", capacidade para lançar mísseis R-77 contra dois alvos simultaneamente. Pode levar até três tanques de combustível extras, totalizando 8.000 litros e sua capacidade de armamento foi ampliada para 4.000kg. Inicio da produção: 1995
  • MiG-29SE (izdeliye 9.13SE) Fulcrum-C: Outra versão de exportação, desta vez da versão 9.13S mas com as mesmas melhorias do MiG-29SD. Assim como o modelo 9.13S, também possui o incremento de combustível interno e com o sistema de tiro RPL-29ME. Ano de produção: 1992 Unidades produzidas: 30
  • MiG-29SM (izdeliye 9.13SM) Fulcrum-C: versão modernizada da variante 9.13S. Compreende principalmente melhorias na capacidade ar-solo do equipamento. Podem levar mísseis guiados ar-solo Kh-29L, Kh-25ML e o anti-radar Kh-31P, além de bombas guiadas Kab-500Kr. Seu rol de armamentos ar-ar também foi ampliado para até seis R-77 e dois R-73 ou uma mistura de R-27 e R-73. Para cumprir sua missão ar-solo foi implementado a tela multifunção (MFD) MFI-54 e para sua defesa o casulo de contramedidas eletrônicas MSP-418K.
  • MiG-29N Fulcrum-C: Versão final de desenvolvimento para a Real Força Aérea Malaia. Sua principal diferença está na utilização de instrumentos russos, porém calibrados para o sistema de medida imperial, além da ocidentalização do IFF, transponder, TACAN e VOR/ILS. A vida útil dos motores RD-33 também foi estendida para além da versão original. Ano de produção: 1995 a 1998. Unidades produzidas: 16
  • MiG-29UBN Fulcrum-C: Versão biplace do MiG-29N malaio.
  • MiG-29BM Fulcrum-C: Upgrade bielo-russo muito parecido com a versão "SM". Difere por possuir uma sonda de reabastecimento fixa, em vez da retrátil.
  • MiG-29SMP (izdeliye 9.13SMP) Fulcrum-C: Desenvolvida a partir da versão "SM" para equipar a Força Aérea Peruana. As mudanças compreendem a adoção do radar N010ME Zhuk-ME e a sonda retrátil de abastecimento em voo.
  • MiG-29UBP (izdeliye 9.51P) Fulcrum-C: Variante biplace de treinamento da Força Aérea Peruana.
  • MiG-29MU1 (izdeliye 9.13) Fulcrum-C: Upgrade ucraniano produzido localmente. Possui melhorias no radar (N019U2), sistema SATCOM e ocidentalização dos sistemas de navegação e comunicação. Além do armamento típico do modelo, também foi modernizado para levar o míssil ar-ar de curto alcance e guiado por infravermelho ucraniano GRAM.
  • MiG-29MU2 (izdeliye 9.13) Fulcrum-C: Enquanto a versão MU1 foi vista como um paliativo, a Ucrânia investiu em uma versão mais completa capaz tanto de capacidade ar-ar, quanto de capacidade ar-solo. Esta versão incorpora alguns sistemas de navegação e sensores produzidos localmente.
  • MiG-29K : Versão naval deste caça, adaptada especialmente para a operação a partir de porta-aviões, com asas dobráveis e trens de pouso reforçados.
  • MiG-35 - nova versão aeronave.

Referências

  1. "MiG-29/MiG-29UB/MiG-29SE." Arquivado em 7 de agosto de 2014, no Wayback Machine. (em inglês) - RAC MiG.
  2. (em inglês) Strategypage - Take My MiG-29s, Please.
  3. a b GORDON, Yefim; Komissarov, Dmitriy (2019). Mikoyan Gurevich MiG-29/MiG-35: Russian Fourth-Generation Classic. Manchester, Reino Unido: Crécy Publishing Ltd. p. 69. ISBN 978-1910809228 
  4. GORDON, Yefim; KOMISSAROV, Dmitriy (2019). Mikoyan Gurevich MiG-29/MiG-35: Russian Fourth-Generation Classic. Manchester, Reino Unido: Crécy Publishing Ltd. p. 167. ISBN 978-1910809228 
  5. BAKER, David (2017). MiG-29: Owners' Workshop Manual. Newbury Park, Califórnia, Estados Unidos: Haynes Publishing. p. 150. ISBN 978-0857333971 
  6. a b BAKER, David (2017). Mikoyan MiG-29: Owners' Workshop Manual. Newbury Park, Califórnia, Estados Unidos: Haynes Publishing. p. 156. ISBN 978-0857333971 
  7. GORDON, Yefim; KOMISSAROV, Dmitriy (2019). Mikoyan Gurevich MiG-29/MiG-35: Russian Fourth-Generation Classic. Manchester, Reino Unido: Crécy Publishing Ltd. p. 70. ISBN 978-1910809228 
  8. BAKER, David (2017). Mikoyan MiG-29: Owners' Workshop Manual. Newbury Park, Califórnia, Estados Unidos: Haynes Publishing. p. 153. ISBN 978-0857333971 
  9. «How To Win In A Dogfight: Stories From A Pilot Who Flew F-16s And MiGs». Foxtrot Alpha (em inglês). Consultado em 20 de outubro de 2020 
  10. GORDON, Yefim; KOMISSAROV, Dmitriy (2019). Mikoyan Gurevich MiG-29/MiG-35: Russian Fourth-Generation Classic. Manchester, Reino Unido: Crécy Publishing Ltd. pp. 67–134. ISBN 978-1910809228 
  11. BAKER, David (2017). Mikoyan MiG-29: Owners' Workshop Manual. Newbury Park, Califórnia, Estados Unidos: Haynes Publishing. pp. 45–46. ISBN 978-0857333971 

BibliografiaEditar

Baker, David. Mikoyan MiG-29: Owners' Workshop Manual. Newbury Park, Califórnias, Estados Unidos. Haynes Publishing, 2017. ISBN 978-0857333971

Gordon, Yefim e Komissarov, Dmitriy. Mikoyan Gurevich MiG-29/MiG-35: Russian Fourth-Generation Classic. Manchester, Reino Unido: Crécy Publishing Ltd, 2019. ISBN 978-1910809228

Ligações externasEditar

Artigos relacionados:
Desenvolvimento:
Equivalência: Sukhoi Su-27 - F/A-18
Série: MiG-23 - MiG-25 - MiG-27 - MiG-29 - MiG-31 - MiG-33 - MiG-35
Listas relacionadas: Lista de aviões


Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Imagens e media no Commons
  Este artigo sobre aviação é um esboço relacionado ao Projeto Aviação. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.