Abrir menu principal

Minduri

município brasileiro do estado de Minas Gerais

Minduri é um município brasileiro do estado de Minas Gerais.

Município de Minduri
"Terra dos queijos finos dinamarqueses"
Bandeira de Minduri
Brasão de Minduri
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 12 de dezembro
Fundação 12 de dezembro de 1953
Gentílico minduriense
Prefeito(a) José Ronaldo da Silva [1] (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Minduri
Localização de Minduri em Minas Gerais
Minduri está localizado em: Brasil
Minduri
Localização de Minduri no Brasil
21° 40' 55" S 44° 36' 14" O21° 40' 55" S 44° 36' 14" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008[2]
Microrregião Andrelândia IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Aiuruoca, Carrancas, Cruzília, São Vicente de Minas, Serranos
Distância até a capital 295 km
Características geográficas
Área 220,425 km² [3]
População 3 840 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 17,42 hab./km²
Altitude 1.000 m
Clima tropical de altitude cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,658 médio PNUD/2010[5]
PIB R$ 26 378,906 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 7 160,40 IBGE/2008[6]
Página oficial
Prefeitura www.minduri.mg.gov.br

Índice

HistóriaEditar

AdministraçãoEditar

  • Prefeito: José Ronaldo da Silva (2017/2020)
  • Vice-prefeito: José Darcy Teixeira
  • Presidente da câmara: João Luiz Lindolfo (2013/2014)
  • Vereadores: Adão Rodrigues de Oliveira, Adilson de Oliveira, Amarildo Izalino da Silva, Giovani Vilela Alves, João Luiz Lindolfo, João Francelino, Maria Cecilia Alves Vilela, Peterson Andrade Ferracciu e Raquel Aparecida da Silva. (2013/2016)

Suspeitas de Trabalho EscravoEditar

Em 2013 a Polícia Federal, com apoio do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e do Ministério Público do Trabalho (MPT) deflagou a "Operação Canaã", com o objetivo de fiscalizar fazendas e estabelecimentos comerciais da seita religiosa "Comunidade Evangélica Jesus a Verdade que Marca". Segundo as investigações de campo realizadas pela polícia federal, os líderes circulavam em veículos luxuosos e mantinham os adeptos em profunda doutrinação religiosa.[7] Em 2015 a Polícia Federal realizou a operação "De volta a Canaã", que prendeu temporariamente seis supostos líderes da seita[8]. Entre os presos estavam dois vereadores, um de Minduri e outro de São Vicente de Minas[9].

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 29 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 15 de junho de 2015 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. «PF deflagra Operação Canaã para investigar seita religiosa». Agência de Notícias - Polícia Federal. Consultado em 9 de outubro de 2016 
  8. «PF prende líderes de seita religiosa que teriam escravizado fiéis». Fausto Macedo 
  9. «Líderes de seita presos em operação da Polícia Federal deixam presídios». Sul de Minas. 22 de agosto de 2015 

Ligações externasEditar