Mireille Mathieu

Mireille Mathieu
Mireille Mathieu em 2005.
Informação geral
Nome completo Mireille Mathieu
Nascimento 22 de julho de 1946 (74 anos)
Local de nascimento Avinhão, Vaucluse
França
Nacionalidade francesa
Gênero(s)
Ocupação(ões)
Progenitores Mãe: Marcelle-Sophie Poirier
Pai: Roger Mathieu
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1964-presente
Gravadora(s)
Página oficial Mireille Mathieu.com

Mireille Mathieu (Avinhão, 22 de julho de 1946) é uma cantora francesa com uma carreira nacional e internacional de mais de cinquenta anos, condecorada com a Légion d'Honneur.

BiografiaEditar

Nascida ao Sul da França, é filha do operário Roger e da dona-de-casa Marcelle, que enfrentaram grandes dificuldades econômicas para criar seus quatorze filhos: Mireille (a mais velha), Monique, Christiane, Marie-France, Réjane, Régis, Guy, Roger, Jean-Pierre, Rémy, Simone, Philippe, Béatrice e Vincent. Sua família viveu durante anos em modestíssima casa de madeira, sentindo na pele o rigor do inverno e da chuva, que atravessavam as frágeis paredes.

Mesmo quebrando pedras (literalmente), Roger, seu pai, alimentava o sonho de poder cantar, visto que possuía uma bela voz de tenor. Neste ambiente, Mireille cresceu e herdou o talento musical do pai. Aos quinze anos, quando debutante, Mireille e sua família conseguiram um apartamento de cinco cômodos e ela pôde, enfim, tomar um banho quente e decente. Segundo ela mesma, esse foi o dia mais feliz de sua vida.

Grande admiradora de Edith Piaf, Mireille cantou precocemente em público pela primeira vez aos quatro anos, na Missa do Galo da Igreja Matriz de sua cidade. Porém, para tornar-se uma grande estrela internacional, não bastava apresentar-se para a família e os amigos, que a apelidaram "la vie en rose", por motivos óbvios.

O inícioEditar

Enquanto estudava canto e ouvia atentamente os conselhos da professora Laure Collière, Mireille trabalhava duro em uma fábrica de envelopes. Aos dezoito anos, em 21 de novembro de 1965, participa de um concurso de calouros, no programa Télé Dimanche. O público prefere outra candidata, mas, para sorte de Mireille, o empresário Johnny Stark assiste à apresentação e aposta em Mireille. Seu primeiro disco, em 45 rotações, vendeu mais de um milhão de cópias, com as músicas Mon credo, C’est ton nom, Qu’elle est belle e Le funambule.

Johnny Stark teve várias e longas conversas com Mireille, explicando todas as dificuldades da profissão, mas que se ela estivesse disposta a trabalhar muito, ensaiar muito, estudar muito e fizesse o que ele mandasse, ele a transformaria numa grande estrela, que seria conhecida e admirada em toda França.

Mireille teve como mentores o maestro Paul Mauriat e o compositor André Pascal, que começaram a ensinar-lhe técnicas vocais para que usasse melhor sua potência vocal, colocar a voz mais adequadamente e respirar de maneira correta. Ao mesmo tempo, Mireille tomava aulas de francês e de inglês, além de boas maneiras, comportamento social, como caminhar num palco, num estúdio de televisão, como dominar a distância certa de cantar ao microfone e todas as inúmeras coisas, necessárias ao bom desempenho de uma cantora.

O sucessoEditar

Com uma ascensão meteórica em sua carreira, Mireille participa de programas de televisão nos Estados Unidos e apresenta-se no Olympia, em 1967. O Instituto Francês de Opinião Pública, na época, pesquisou junto ao público e declarou Mireille como a cantora preferida do povo francês.

Depois de se apresentar na tv em 1965, e de sua estréia no “Olympia” em 1966, Mireille já era uma celebridade de domínio público. Foi saudada pela imprensa com grande espalhafato e anunciada como a “próxima Edith Piaf”, pela evidente semelhança de seu timbre de voz com o de Edith, morta três anos antes.

Sua versão “La dernière valse”, que era um sucesso em inglês do cantor britânico Engelbert Humperdinck – “The Last Waltz”- foi uma ponte segura para tornar Mireille muito popular no Reino Unido.

Com seus repetidos sucessos foi parar no Canadá e nos Estados Unidos, onde se apresentou no famoso e indispensável “The Ed Sullivan Show” e no outro dia, 50 milhões de pessoas já conheciam Mireille Mathieu. Cantou em Las Vegas, ao lado de Dean Martin e Frank Sinatra e foi um sucesso quase surpreendente. De público e crítica.

A carreiraEditar

Mireille já provou sua qualidade superior e se tornou a embaixatriz da cultura francesa ao redor do mundo. Seus fãs se espalham da China ao Brasil, incluindo a antiga União Soviética. Frequenta os palcos sofisticados de Monte Carlo e tem a humildade de se curvar diante de sua musa Edith Piaf. Ainda muito requisitada, continua se apresentando pelo mundo, fazendo turnês(digressões) regularmente pelo Carnegie Hall de Nova York, no “Sport Palais” do Canadá ou no “The Ice Palace” de San Petersburg.

Nos seus mais de 50 anos de carreira, Mireille, já gravou mais de 1 200 músicas, vendeu mais de 130 milhões de cópias de seus álbuns e mais de 55 milhões de singles foram vendidos.[1] Já cantou em nove línguas e foi a primeira artista do ocidente a fazer um concerto de música popular na China.

Ao longo de todos esses anos, ela cantou e gravou com nomes como Paul Anka, Charles Aznavour, Barry Manilow, Tom Jones, Julio Iglesias e o alemão Peter Alexander.

Gravou o disco “Mireille Mathieu chante Edith Piaf” (1993), no qual canta 13 das mais famosas e populares músicas do seu ídolo eterno.

Comemorou seus 40 anos de carreira em 2005, com grande apresentação no “Olympia”, onde foi gravado seu primeiro DVD, “Mireille à l’Olympia”, além de um CD, que lhe deu o prêmio “Disque d’Or”.

Em 2007, participou de um super espetáculo de televisão na Alemanha, um dos países de público mais fiel, para receber o prêmio de “Melhor Cantora Internacional do País”.

DuetosEditar

DiscografiaEditar

Mireille Mathieu gravou mais de 1.200 canções e cantou em onze idiomas (francês, alemão, inglês, espanhol, italiano, russo, finlandês, japonês, chinês, catalão e occitano). De acordo com sua gravadora, ela vendeu mais de 130 milhões de álbuns e 55 milhões de singles no planeta. Em 2005, a cantora recebeu um disco honorário de rubi, anunciando a venda de 122 milhões de discos, contudo (não reconhecido pelo SNEP).

Na França Mireille Mathieu vendeu cerca de 23 milhões de álbuns.

Na Alemanha Mireille Mathieu vendeu quarenta milhões de discos, a cantora classificou 5 músicas no Top 10. Além da França, onde recebeu 8 discos de ouro, a cantora também recebeu quatro discos de ouro no Canadá.

Álbuns de estúdioEditar

FrançaEditar

Nome Ano Gravadora
En direct de l'Olympia 1966 Barclay
Made in France 1967 Barclay
Le merveilleux petit monde de Mireille Mathieu chante Noël 1968 Barclay
Sweet Souvenirs of Mireille Mathieu 1968 Barclay
La Première Étoile 1969 Barclay
Olympia 1969 Barclay
Mireille... Mireille... 1970 Barclay
Bonjour Mireille 1971 Barclay
Mireille Mathieu chante Francis Lai 1972 Barclay
Mireille Mathieu 1972 Barclay
C'est l'amour et la vie que je te dois 1973 Philips
Olympia 1973 Philips
Le vent de la nuit 1974 Philips
Mireille Mathieu chante Ennio Morricone 1974 Philips
Apprends-moi 1975 Philips
Et tu seras poète 1976 Philips
Sentimentalement vôtre 1977 Philips
Fidèlement vôtre 1978 Philips
Romantiquement vôtre 1979 Philips
Mireille Mathieu chante Paul Anka "Toi et Moi" 1979 Philips
Un peu... beaucoup... passionnément... 1980 Philips
Je vous aime 1981 Philips
Trois milliards de gens sur Terre 1982 Philips
Je veux l'aimer 1983 Ariola
Chanter 1984 Ariola
Les grandes chansons françaises 1985 Ariola
La demoiselle d'Orléans 1985 Ariola
Après toi 1986 Ariola
Rencontres de femmes 1987 Ariola
L'américain 1989 Carrère
Hymne à l'amour (Hymno al amor) 1990 Carrère
Ce soir je t'ai perdu 1990 Carrère
Mireille Mathieu 1991 Carrère
Mireille Mathieu chante Piaf 1993 Carrère
Vous lui direz 1995 East West
De tes mains 2002 Emi
Mireille Mathieu chante Piaf (réédition) 2003 Emi
Mireille Mathieu 2005 Emi
Mireille Mathieu chante Piaf (Predefinição:3e) 2012 Ariola
Mes classiques 2018 Sony Music

AlemanhaEditar

Nome Ano Gravadora
Mireille Mireille 1969 Ariola
Merci Mireille 1971 Ariola
Bonjour Mireille 1972 Ariola
Meine Traüme 1972 Ariola
Mireille Mathieu 1973 Ariola
mm 1973 Ariola
Und der Wind wird ewig singen 1974 Ariola
Wünsch Dir was - Eine musikalische Weltreise mit Mireille Mathieu 1975 Ariola
Rendezvous mit Mireille 1975 Ariola
Herzlichst Mireille 1976 Ariola
Und wieder wird es Weihnachtszeit 1976 Ariola
Die schönsten deutschen Volkslieder 1977 Ariola
Das neue Schlageralbum 1977 Ariola
Der Rhein und Das Lied von der Elbe 1978 Ariola
Alle Kinder dieser Erde 1978 Ariola
So ein schöner Abend 1979 Ariola
Gefühle 1980 Ariola
Die Liebe einer Frau 1981 Ariola
Ein neuer Morgen 1982 Ariola
Nur für dich 1983 Ariola
Welterfolge aus Paris 1985 Ariola
In Liebe Mireille 1986 Ariola
Tour de l'Europe 1987 Ariola
Unter dem Himmel von Paris 1993 Ariola
In meinem Traum 1996 Ariola
Alles nur ein Spiel 1999 Ariola
In meinem Herzen 2007 Sony Music
Nah bei dir 2009 Sony Music
Wenn mein Lied deine Seele küsst 2013 Sony Music

EspanhaEditar

Nome Ano Gravadora
Embrujo 1989 Ariola
Una Mujer 1991 Ariola

ItáliaEditar

Nome Ano Gravadora
Mireille Mathieu canta Edith Piaf 1997 RTI Music

Estados UnidosEditar

Nome Ano Gravadora
The Fabulous New French Singing Star 1966 Atlantic
Mireille Mathieu Sings Paul Anka: You And I 1979 Ariola

Mireille Mathieu no BrasilEditar

Em 1971, Mireille esteve no Brasil e se apresentou na entrega do Prêmio Molière, em Brasília, evento veiculado pela TV Record. Uma menina-prodígio, uma revelação da música francesa, que seria a sucessora de Edith Piaf, imagem que ela gradativamente foi eliminando, ao adquirir personalidade própria. Desde então, Mireille não voltou a se apresentar no Brasil, apesar de lançar novos discos, cada vez vendendo mais.

Referências

  1. Sputnik. «Mireille Mathieu à Sputnik: il y a une très grande histoire d'amour entre la Russie et moi». fr.sputniknews.com (em francês). Consultado em 23 de fevereiro de 2018 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mireille Mathieu