Abrir menu principal

Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde novembro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Uma criança saudando um soldado da MONUSCO.

A Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO, anteriormente MONUC), sigla do francês: Mission de l'Organisation des Nations Unies pour la stabilisation en République démocratique du Congo), é um das missões de manutenção de paz da ONU em vigor na República Democrática do Congo, que foi criado pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas para acompanhar o processo de paz da Segunda Guerra do Congo, embora muito do seu foco, posteriormente voltou-se para o conflito em Ituri, e o conflito de Kivu.

Em maio de 2010, o Conselho de Segurança, adopta a Resolução 1925 , anunciando que a MONUC seria rebatizada em julho de 2010 para Missão das Nações Unidas de Estabilização da República Democrática do Congo (MONUSCO).[1]

Em abril de 2013, foi escolhido o General de divisão brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz para suceder o tenente-general indiano Chander Prakash Wadhwa no comando da missão.[2][3]

OrganizaçãoEditar

Comandantes militaresEditar

Quartéis-generais dos SetoresEditar

Comando da missãoEditar

Em setembro de 2013, o pessoal do Comando da missão MONUSCO compreende:[4]

Países contribuintesEditar

Em 30 de Junho de 2013, o número total do pessoal da missão é 20,438:[5]

País Policiais Especialistas Tropas
  Argélia 5
  Bangladesh 390 18 2,542
  Bélgica 1 23
  Benim 32 11 454
  Bolívia 10
  Bósnia e Herzegovina 5
  Burkina Faso 28 7
  Brasil 2
  Camarões 23 5
  Canadá 9
  República Centro-Africana 7
  Chade 28
  China 13 221
  Colômbia 10
  Costa do Marfim 36
  República Checa 3
  Dinamarca 2
  Djibouti 3
  Egito 140 21 1,007
  França 9 5
  Gana 24 465
  Guatemala 1 151
  Guiné 31 1
  Hungria 2[6]
  Índia 269 34 3,731
  Indonésia 15 177
  Irlanda 3
  Jordânia 10 17 230
  Quênia 17 11
  Madagáscar 20
  Malawi 9 5
  Malásia 6 7
  Mali 21 16
  Mongólia 2
  Marrocos 1 858
  Nepal 20 1,029
  Níger 31 15 1
  Nigéria 4 18 2
  Noruega 1
  Omã 2
  Paquistão 41 3,714
  Paraguai 17
  Peru 13 2
  Filipinas 6 2
  Polónia 2
  Portugal 1 3
  Roménia 16 22
  Rússia 2 27
  Senegal 277 12 11
  Sérvia 8
  África do Sul 3 1,223
  Sri Lanka 4
  Suécia 5 4
  Suíça 1 1 3
  Tanzânia[7] 1,247
  Togo 7
  Tunísia 13 31 2
  Turquia 13
  Ucrânia 5 11 161
  Reino Unido 6
  Estados Unidos 3
  Uruguai 15 1,175
  Iêmen 4 6
  Zâmbia 20 2

CivisEditar

Empregados e voluntários civis internacionais e nacionais da RDC: 2,636

Referências

  1. «Security Council extends mandate of United Nations Organization Mission in Democratic Republic of Congo until 30 June». ONU. 28 de maio de 2010. Consultado em 1 de janeiro de 2011 
  2. Giraldi, Renata (24 de abril de 2013). «General brasileiro vai comandar missão de paz no Congo». Agência Brasil. Consultado em 27 de novembro de 2013 
  3. Stochero, Tahiane (27 de novembro de 2013). «ONU nomeia general do Brasil para comandar missão de paz no Congo». G1.com. Consultado em 17 de maio de 2013 
  4. «MONUSCO Leadership - United Nations Organization Stabilization Mission in the Democratic Republic of the Congo». un.org. Consultado em 2 de setembro de 2013 
  5. «UN Mission's Contributions by Country» (PDF). Page 5, UN. 30 de junho de 2013. Consultado em 17 de julho de 2013 
  6. Magyar katonák küzdelme afrikai hadurakkal. Kitekinto.hu. Retrieved on 2013-09-04.
  7. «Last batch of Tanzanian troops now in Goma for the Force Intervention Brigade». MONUSCO. 12 de junho de 2013. Consultado em 17 de julho de 2013 


  Este artigo sobre a ONU é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.