Abrir menu principal

Miss Mundo Brasil

concurso de beleza
Miss Mundo Brasil
Lema "Beleza pelo Bem"
Tipo Concursos de Beleza
Fundação 1958
Sede Rio de Janeiro Petrópolis
Proprietários Henrique & Marina Fontes
Sítio oficial CNB

Miss Mundo Brasil é um concurso de beleza feminino nacional que visa eleger, entre as representantes de cada unidade de federação, bem como ilhas e regiões turísticas/econômicas, uma candidata que represente a beleza da mulher brasileira no concurso internacional de Miss Mundo. [1] O evento acontece anualmente em um local pré-determinado pela empresa organizadora, MMB Produções, que tem como coordenador geral Henrique Fontes. [2] O país participou pela primeira vez do certame internacional em 1958 com a pernambucana Sônia Maria Campos [3] e conquistou apenas uma coroa de Miss Mundo, em 1971, com a carioca Lúcia Tavares Petterle. [4] A atual vencedora é a mineira representante do Espírito Santo Elís Miele Coelho, eleita no dia 3 de Setembro de 2019 em Bento Gonçalves. [5]

HistóricoEditar

 
A coroação da goiana Beatrice Fontoura em 2016.

Durante muito tempo as candidatas brasileiras ao título de Miss Mundo eram quase sempre escolhidas a partir da sua colocação no certame de Miss Brasil, produzido pelos Diários Associados, fundado pelo magnata Assis Chateaubriand. As representantes ficavam ou em segundo ou em terceiro lugar, fato este ocorrido no início de 1958 até 1980, até sua retomada de 1998 a 2005. [6] Durante os anos de 1981 a 1997 diversas organizações surgiram com a ideia de trazer o concurso novamente à mídia brasileira, concretizando um concurso de beleza específico para o Miss Mundo. Desde 2006 o evento é realizado de maneira independente e com transmissão nacional. Desde então o concurso foi transmitido pelo UOL, pela Rede Brasil ou então pela Record News.

 

A Miss Mundo Brasil 2017, Gabrielle Vilela durante uma ação social da "APAE-DF" em Brasília.

Em 1971 o Brasil conquista até então, sua primeira e única coroa de Miss Mundo, com a carioca e segunda colocada no Miss Brasil 1971, Lúcia Tavares Petterle. A carioca não sabia que teria de interromper seu tão sonhado curso de medicina quando ganhou a coroa em Londres. Segundo os jornais da época que cobriam o concurso, Lúcia se recusava a viajar pelo mundo cumprindo sua missão como Miss Mundo 1971, [7] o que teria causado uma situação desconfortável com a organização de Erick Morley e a brasileira. Tanto que estes boatos foram confirmados quando Lúcia não apareceu para coroar a sua sucessora no ano seguinte. Segundo a mesma e a organização do certame, a carioca havia sofrido uma queda e quebrado o braço e não pôde comparecer a coroação. [8]

Desde 2006,o concurso é realizado de forma independente do Miss Brasil BE Emotion, sendo de responsabilidade da empresa "MMB Promoções e Eventos de Beleza", comandada pelo empresário Henrique Fontes. A nova organização realizou diversas mudanças no concurso, seguindo o modelo padrão do Miss Mundo com a inclusão de provas classificatórias, denominadas Fast Tracks. Além disso, os novos donos autorizaram a participação de candidatas que segundo os franqueados teriam condições de disputarem a competição, só que representando ilhas e regiões ambientais/econômicas dos seus Estados, possibilitando assim um número maior de candidatas e não restringido que apenas uma candidata represente seu estado.

 

O diretor do CNB, Henrique Fontes junto à Miss Mundo 2017, a indiana Manushi Chhillar, em Brasília, onde foram recepcionados por autoridades locais.

O evento prima pela originalidade e responsabilidade socioambiental, tendo sido o primeiro concurso de beleza nacional de grande porte a incluir nas suas atividades oficiais provas de talento, esportes e moda, além de incentivar a prática de ações filantrópicas (seguindo seu lema, Beleza pelo Bem). Tudo isso, sem contar o privilégio e a responsabilidade de representar o Brasil - toda sua cultura e biodiversidade - no Miss Mundo, que atualmente é considerado o principal concurso de beleza do planeta, visto que foi o pioneiro mundialmente, tendo sua primeira edição realizada em 1951.

Em 2013 a competição nacional intitulada Miss Mundo Brasil passou a se chamar Miss World Brasil, segundo os organizadores do evento, a iniciativa fez parte de um processo de padronização internacional da marca, algo que é constantemente exigido pela Miss World Organization. Nas primeiras edições sob o comando de Fontes, ele teve a parceria de Luis Kaufmann, ex-diretor do Miss Brasil Supranacional. A parceria durou por apenas 4 anos e desde 2013, os concursos são realizados separadamente.

 

A Miss Mundo 2017, a indiana Manushi Chhillar sendo recebida pelo ex-governador Rodrigo Rollemberg.

Desde 2015, o Miss Mundo Brasil é produzido por uma equipe intitulada "Concurso Nacional de Beleza", uma vez que do concurso surgem representantes para diversos outros concursos internacionais de beleza.

Desde que assumiu a coordenação do concurso em 2006, Henrique Fontes vem tentando consolidar a imagem da etapa brasileira junto a organização do Miss World ao trazer as vencedoras dos concursos para prestigiar o certame. A visita da britânica Julia Morley, CEO da disputa internacional em 2013 para assistir e acompanhar de perto a eleição da mais bela brasileira, consolidou o trabalho de Fontes a frente da organização a mais de dez anos. Entre as detentoras da faixa de Miss Mundo que já estiveram presentes na cerimônia nacional, destacam-se: Unnur Birna, islandesa eleita Miss Mundo 2005, veio ao Brasil para prestigiar a eleição de Jane Borges na disputadíssima competição de Miss Mundo Brasil 2006; [9] Sete anos após a vinda de Unnur, foi a vez da chinesa Yu Wenxia [10] participar da eleição da mais bela brasileira de 2013 que coroou a gaúcha Sancler Frantz como a campeã; A terceira e última vez que uma Miss Mundo pisou em solo brasileiro foi com Manushi Chhillar em 2018 como parte de seu tour do "Beauty with a Purpose" [11] em polos de importância política do País, como Brasília. [12]

VencedorasEditar

  • Abaixo estão as cinco últimas vencedoras do concurso:
Ano Representação Vencedora Cidade Natal R
  2015   Ilhabela Catharina Choi São Paulo, São Paulo [13]
  2016   Goiás Beatrice Fontoura Natal, Rio Grande do Norte [14]
  2017   Rio de Janeiro Gabrielle Vilela Angra dos Reis, Rio de Janeiro [15]
  2018   Piauí Jéssica Carvalho Parnaíba, Piauí [16]
  2019   Espírito Santo Elís Miele Ipatinga, Minas Gerais [17]

Galeria das VencedorasEditar

ConquistasEditar

Por EstadoEditar

Títulos Estados Vitórias
9   Rio Grande do Sul 1969, 1977, 1984, 1985, 1991, 1997, 2011, 2013, 2014
8   Rio de Janeiro 1961, 1962, 1963, 1971, 1983, 1999, 2012, 2017
7   São Paulo 1970, 1972, 1979, 1981, 1992, 2001, 2015
6   Paraná 1967, 1982, 1990, 1994, 1995, 2005
5   Minas Gerais 1965, 1968, 1973, 2004, 2008
4   Santa Catarina 1986, 2000, 2002, 2007
  Pernambuco 1958, 1959, 1960, 1987
3   Goiás 2003, 2006, 2016
  Distrito Federal 1974, 1976, 1980
2   Espírito Santo 1996, 2019
  Bahia 1975, 1978
1   Piauí 2018
  Pará 2010
  Roraima 2009
  Rondônia 1998
  Alagoas 1993
  Mato Grosso 1966
  Sergipe 1964
     Título adquirido para o Estado sob a representação de Ilha e/ou região turística/econômica.

Por RegiãoEditar

Vitórias Região Último Estado Vencedor
22   Região Sudeste   (2019)
19   Região Sul   (2014) - 05 anos atrás
9   Região Nordeste   (2018) - 01 ano atrás
7   Região Centro-Oeste   (2016) - 03 anos atrás
3   Região Norte   (2010) - 09 anos atrás

Concurso Nacional de Beleza (CNB)Editar

AtuaisEditar

Antigas e/ou RecorrentesEditar

  • Miss Bikini Brasil
    • (Concurso internacional descontinuado)
  • Miss Brasil Friendship
    • (Concurso internacional descontinuado)
  • Miss Brasil Caraibes Hibiscus
    • (Envio das candidatas descontinuado)
  • Miss All Nations Brasil
    • (Envio das candidatas descontinuado)

Ver TambémEditar

Etapas EstaduaisEditar

ReferênciasEditar

  1. DE PAULA, Fábio Luis (5 de agosto de 2018). «Etapa brasileira do Miss Mundo celebra 60 anos com 48 candidatas nesta quarta!». F5 - Folha de São Paulo 
  2. REDAÇÃO, Da (5 de agosto de 2018). «Etapa brasileira do Miss Mundo celebra 60 anos com 48 candidatas!». Correio do Estado 
  3. MACHADO, Fernando (14 de agosto de 2018). «Sônia Maria Campos no Miss Brasil Mundo!». Blog de Fernando Machado 
  4. REDAÇÃO, Da (30 de junho de 2018). «Veja quais foram as primeiras brasileiras mais bonitas do mundo!». Lifestyle - Notícias ao Minuto 
  5. GREGÓRIO, Leó (4 de setembro de 2019). «Elis Miele, do Espírito Santo, vence o Miss Brasil Mundo 2019!». Globo - Revista QUEM 
  6. REDAÇÃO, Da (29 de junho de 2015). «Entenda as diferenças entre Miss Universo e Miss Mundo!». UOL 
  7. REDAÇÃO, Da (22 de novembro de 2018). «Por não ir ao Vietnã, carioca perdeu o título de Miss Mundo!». Almanaque Brasil 
  8. DAILY, Tucson (29 de junho de 2015). «Brazilian Picked as news Miss World!». Tucson Daily News 
  9. ANTÔNIO, Luiz (13 de março de 2006). «A islandesa Unnur Birna Vilhjalmsdottir, a Miss Mundo 2005, estará em Curitiba no dia 29 de julho, na festa de escolha da Miss Brasil Mundo 2006!». Tribuna do Paraná 
  10. REDAÇÃO, Da (2 de abril de 2013). «Sem visto, chinesa vencedora do Miss Mundo é barrada no RJ!». G1 - Portal da Globo 
  11. NANDES, Renata (7 de abril de 2018). «Miss Mundo Manushi Chillar visita o Brasil como parte do tour mundial "Beleza com Propósito"!». Cidade Cult 
  12. CAVALCANTE, Isabella (16 de abril de 2018). «Miss Mundo visita Brasília e fala sobre importância da saúde!». Metrópoles 
  13. CORRÁ, Daniel (29 de junho de 2015). «'Dormi vice e acordei miss', diz nova coroada no Miss Mundo Brasil!». G1 - Portal da Globo 
  14. REDAÇÃO, Da (25 de junho de 2016). «Beatrice Fontoura, de Goiás, é eleita Miss Mundo Brasil 2016!». Clic RBS 
  15. REDAÇÃO, Da (14 de agosto de 2017). «Gabrielle Vilela e Matheus Song são eleitos Miss Brasil Mundo e Mister Brasil CNB 2017!». G1 - Portal da Globo 
  16. DE PAULA, Fábio Luis (12 de agosto de 2018). «Representante do Piauí vence Miss Brasil Mundo 2018 e leva o título ao Estado pela primeira vez!». F5 
  17. REDAÇÃO, Da (4 de setembro de 2019). «Elis Miele é eleita Miss Brasil Mundo 2019!». ISTOÉ 

Links ExternosEditar

Sites
Plataformas digitais