Moacir Fenelon de Miranda Henriques (Patrocínio do Muriaé, 5 de novembro de 1903Rio de Janeiro, 14 de agosto de 1953), mais conhecido como Moacyr Fenelon, foi um cineasta e produtor brasileiro, membro da família luso-brasileira dos Miranda Henriques.

Moacyr Fenelon
Nome completo Moacir Fenelon de Miranda Henriques
Nascimento 5 de novembro de 1903
Patrocínio do Muriaé
Morte 14 de agosto de 1953 (49 anos)
Rio de Janeiro
Ocupação Diretor
Produtor
Roteirista
Crítico de cinema
Atividade 1929 - 1953

Foi um dos fundadores da Atlântida Cinematográfica[1] (juntamente com José Carlos Burle). Destacou-se como importante batalhador em defesa do cinema brasileiro. Seus primeiros filmes, É proibido sonhar (1943),[2] Gente Honesta (1944) e Vidas Solidárias (1945), revelam uma preocupação social e um realismo raros na época.[carece de fontes?] Em 1946 dirigiu Sob a Luz do Meu Bairro.[3] Em 1952 dirigiu Tudo Azul, considerado seu melhor filme, produzido na Flama Filmes, de sua propriedade.

Filmografia editar

Ano Título Diretor Roteirista Produtor Departamento de Som
1929 Acabaram-se os Otários        
1931 O Babão        
Coisas Nossas        
1935 Estudantes        
1936 Alô Alô Carnaval        
João Ninguém        
1937 Maria Bonita        
1939 Banana da Terra        
Futebol em Família        
Aves Sem Ninho        
Anastácio        
1940 Pega Ladrão        
Laranja da China        
1944 O Simpático Jeremias        
Gente Honesta        
É Proibido Sonhar        
1945 Vidas Solidárias        
1946 Sob a Luz do Meu Bairro        
Fantasma por Acaso        
1948 Asas do Brasil        
Obrigado, Doutor        
Poeira de Estrelas        
1949 Estou Aí?        
O Dominó Negro        
O Homem que Passa        
1950 A Inconveniência de Ser Esposa        
Todos Por Um        
1951 O Falso Detetive        
Milagre de Amor        
1952 Com o Diabo no Corpo        
Tudo Azul        
1953 Agulha no Palheiro        

Referências

  1. «Biografia de Moacyr Fenelon». anoticiaonline.com.br. Consultado em 28 de dezembro de 2021 
  2. Cinemateca Brasileira, É proibido sonhar [em linha]
  3. Cinemateca Brasileira, Sob a Luz do Meu Bairro [em linha]