O Modena Volley, também conhecido como Valsa Group Modena por questões de patrocínios, é um time italiano de voleibol masculino da cidade de Módena, na região da Emília Romanha. Atualmente o clube disputa a SuperLega, a primeira divisão do campeonato italiano, do qual é o maior campeão da história com doze títulos.[1]

Modena Volley
Voleibol
Cores          
Informações
Cidade Módena
País Itália
Competição SuperLega
Fundação 1966
Ginásio PalaPanini
(Capacidade: 5 211)
Presidente Giulia Gabana
Técnico Andrea Giani
Resultados
Títulos
conquistados
4 Liga dos Campeões
4 Taça CEV
5 Taça Challenge
1 Supercopa Europeia
12 Campeonato Italiano
12 Copa Itália
4 Supercopa Italiana
Uniformes
Cores do Time
Principal
Cores do Time
Alternativo
Cores do Time
Líbero
Página Oficial

Histórico editar

O clube foi fundado em Módena, cidade considerada como "berço" do voleibol italiano. Com três equipes na Série A, a cidade experimentou nos anos cinquenta e sessenta um período de grande esplendor neste esporte. Entre 1953 e 1962–63 as equipes de Módena venceram todos os onze títulos da liga disputados. Três foram conquistados pelo Crocetta Villa d'Oro, três pela Minelli e cinco pelo Avia Pervia, de Franco Anderlini.

Com a dissolução deste último clube por problemas econômicos, seguido pela ascensão do Ruini Firenze e do Virtus Bologna ao topo, em 1964 Anderlini passou a treinar a equipe do Corpo de Bombeiros de Módena, o Menegola, então militante na Série B. Em 1966, por iniciativa dos irmãos Benito e Giuseppe Panini, nasce o Grupo Esportivo Panini, financiado pela empresa homônima produtora de figurinhas; o clube absorveu o Menegola e, com Anderlini no banco, a partir da Série C, alcançou a principal divisão em 1968, apenas dois anos depois de sua fundação.

No final da temporada 1969–70 a Panini ganhou seu primeiro campeonato com a lenda checa Josef Musil no banco. Durante os anos setenta a equipe azul e amarela dominou o cenário nacional, conquistando mais três títulos (1971–72, 1973–74 e 1975–76) e permaneceu constantemente no topo. Em 1978–79 e 1979–80 venceu as primeiras duas edições da Copa Itália; ainda em 1980, com a Taça dos Vencedores de Taças, ganhou o seu primeiro título europeu.

Uma nova série de vitórias se abriu em 1985, com a contratação do técnico argentino Julio Velasco; entre as temporadas 1985–86 e 1988–89 a Panini ganhou quatro campeonatos consecutivos. O clube tinha campeões como Luca Cantagalli, Lorenzo Bernardi, Fabio Vullo e Andrea Lucchetta, representantes da chamada "geração de fenômenos". Os anos oitenta terminaram com o abandono de Velasco e do financiamento da Panini. Apesar de sua primeira vitória na Liga dos Campeões em 1990 o clube viveu dois anos de grave crise econômica e de resultados.

Em 1993 o clube foi comprado por Giovanni Vandelli, industrial da cerâmica, que mudou a razão social para Daytona Volley, do nome de sua empresa. Recuperado, o clube voltou ao topo graças ao retorno de Cantagalli e Vullo à equipe e às chegadas, dentre outras, de Marco Bracci, Bas Van der Goor, Juan Carlos Cuminetti e Andrea Giani, que se tornou o capitão. A equipe, duelando em várias ocasiões com a Sisley Volley de Treviso ganhou os campeonatos de 1994–95 e 1996–97.

O último título da equipe foi conquistado na temporada 2001–02, após uma primeira fase inconstante e uma campanha surpreendente nos playoffs, batendo na final seu grande rival Treviso. Em 2004 o clube pode contar novamente com Julio Velasco como técnico e contratou o levantador brasileiro Ricardo Garcia, que acabara de conquistar o título olímpico. Ainda assim, a equipe terminou a temporada com um de seus piores resultados da história, em uma decepcionante décima primeira colocação.

Em 10 de maio de 2005 a equipe passa das mãos de Giovanni Vandelli para uma sociedade composta por Antonio Barone, Catia Pedrini e Giuliano Grani. Com isso, a equipe passou a ter a razão social pela qual é conhecida até os dias atuais, Pallavolo Modena. Nas temporadas seguintes o clube teve poucos resultados expressivos, como a conquista da Taça Challenge em 2008, o vice-campeonato da Top Teams Cup em 2007 e o quarto lugar na temporada 2010–11. Durante este período a equipe pode contar com vários jogadores de nível internacional, tais como os brasileiros Murilo Endres, Bruno Rezende e Sidão, o cubano Angel Dennis, o russo Yuri Berejko, entre outros.

Títulos editar

 
PalaPanini, ginásio do Modena Volley.

Campeonatos continentais editar

  Liga dos Campeões

  Taça CEV

  Taça Challenge

  Supercopa Europeia

Campeonatos nacionais editar

  Campeonato Italiano

  Copa da Itália

  Supercopa Italiana

Elenco atual editar

Atletas selecionados para disputar a temporada 2022–23.[2]

Camisa Nome Altura (m) Posição
1   Bruno Rezende (C) 1,90 Levantador
3   Lorenzo Pope 2,05 Ponteiro
5   Riccardo Gollini 1,94 Líbero
6   Giovanni Sanguinetti 2,02 Central
7   Dragan Stanković 2,05 Central
9   Earvin N'Gapeth 1,94 Ponteiro
10   Lorenzo Sala 2,00 Oposto
11   Tobias Krick 2,11 Central
12   Adis Lagumdzija 2,11 Oposto
15   Elia Bossi 2,02 Central
16   Nicola Salsi 1,86 Levantador
21   Salvatore Rossini 1,85 Líbero
24   Andrea Malavasi 1,92 Ponteiro
90   Tommaso Rinaldi 2,00 Ponteiro
Técnico:   Andrea Giani

Referências

  1. Lega Pallavolo Serie A. «Legavolley - Squadra: Casa Modena» (em italiano). Consultado em 2 de fevereiro de 2013 
  2. «New season starts in two days» (em inglês). Consultado em 2 de outubro de 2022 

Ligações externas editar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Modena Volley