Abrir menu principal

Wikipédia β

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Monchique (desambiguação).

Monchique é uma vila portuguesa no distrito de Faro, região e sub-região do Algarve, com cerca de 2 300 habitantes.[1]

Monchique
Brasão de Monchique Bandeira de Monchique
Vista of Monchique, Algarve, Portugal. .jpg
Vista panorâmica da cidade de Monchique.
Localização de Monchique
Gentílico Monchiquense
Área 395,30 km²
População 6 045 hab. (2011)
Densidade populacional 15,3  hab./km²
N.º de freguesias 3
Presidente da
câmara municipal
Rui André (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1773
Região (NUTS II) Algarve
Sub-região (NUTS III) Algarve
Distrito Faro
Antiga província Algarve
Orago Nossa Senhora da Conceição
Feriado municipal Quinta-feira de Ascensão
Código postal 8550 - Monchique
Sítio oficial geral@cm-monchique.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

É sede de um município com 395,30 km² de área[2] e 6 045 habitantes (2011),[3][4] subdividido em 3 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelo município de Odemira, a leste por Silves, a sul por Portimão, a sudoeste por Lagos e a oeste por Aljezur.

O concelho de Monchique foi criado em 1773, por desmembramento do concelho de Silves.

Índice

PopulaçãoEditar

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
8 164 9 433 10 646 11 517 12 770 12 639 14 205 15 028 14 668 14 779 12 095 9 609 7 309 6 974 6 045

(Obs.: Número de habitantes "residentes", ou seja, que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 4 300 4 476 4 484 4 719 4 936 4 059 3 757 2 885 1 714 1 010 768 599
15-24 Anos 1 999 2 391 2 208 2 708 2 585 2 583 2 318 1 475 1 273 896 735 502
25-64 Anos 4 628 5 093 5 072 5 750 6 454 6 739 7 132 6 080 4 774 3 612 3 482 3 029
= ou > 65 Anos 556 703 841 941 1 022 1 264 1 572 1 560 1 848 1 791 1 989 1 915
> Id. desconh 1 49 21 39 19

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população "de facto", ou seja, que estava presente no concelho à data em que os censos se realizaram. Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

FreguesiasEditar

 
Freguesias do concelho de Monchique.

O concelho de Monchique está dividido em 3 freguesias:

Principais Actividades EconómicasEditar

HistóriaEditar

No centro de duas grandes serras (Fóia e Picota), o concelho de Monchique entra na história com a presença dos romanos nas Caldas de Monchique, atraídos pelo poder curativo das suas águas. Nos séculos seguintes, a serra foi-se povoando lentamente e no século XVI Monchique era já uma povoação suficientemente importante para merecer a visita do rei D. Sebastião, que pretendeu conceder-lhe o estatuto de cidade.

A tecelagem da e do linho - os sólidos sorrobecos, orianos e estopas dos tempos antigos - entre outras actividades, como as relacionadas com a madeira de castanho, contribuíram para a prosperidade e desenvolvimento de Monchique, de tal forma que em 1773 foi promovida a vila.

As alterações económicas provenientes da industrialização significaram a perda da actividade têxtil e de outras manufacturas. Hoje, Monchique é vila airosa, virada para o turismo, com um artesanato activo e uma economia diversificada.

Possuindo das florestas mais ricas do Algarve, ricas em sobreiros, eucaliptos, castanheiros, entre outros, Monchique tem também como marco distintivo esta mata que dá a conhecer aos seus visitantes através de safaris, parques zoológicos e naturais e expedições pedestres.

PatrimónioEditar

Centro históricoEditar

 
Rua típica de Monchique.

No Centro histórico de Monchique as casas têm a arquitectura algarvia tradicional nas paredes brancas, nas cantarias, nas manchas de cor das portas e janelas, embora exibam as típicas chaminés de saia, tão diferentes do litoral. O facto de treparem por colinas íngremes, de as ruas estreitas abrirem a cada passo novas perspectivas sobre a serra verdejante, dá-lhes, porém, um certo exotismo, aumentado pela presença de cameleiras e hortênsias, de árvores de fruto, evocadoras de jardins e pomares. Justificação para um prolongado passeio de descoberta de um recanto diferente do Algarve.

Para apreciar bem a beleza da cidade de Monchique, importa ir até ao largo de São Sebastião. O casario branco parece descer em degraus pelas encostas da serra, pequeno presépio envolto em verdes, flores e frescura.

ArtesanatoEditar

A cestaria e a tecelagem constituem a grande parte do artesanato tradicional de Monchique. Por ser também uma região rica em sobreiros, é possível que haja igualmente artesãos a trabalhar a cortiça.

GastronomiaEditar

Monchique é conhecido pela Suinicultura, prova disso são os conhecidos enchidos feitos com carne de porco (molho, morcela de farinha ou farinheira, morcela e chouriça) e presuntos, expostos anualmente na Feira dos Enchidos e na Feira do Presunto, respectivamente.

É também vastamente conhecida a aguardente de medronho produzida nesta região, com marca própria, que atrai gente de toda a parte para a saborear. São também procurados os licores feitos com produtos da região. A bebida licorosa mais típica de Monchique chama-se Melosa, que utiliza aguardente de medronho.[8]

No que toca a doçaria regional, Monchique não se deixa ficar para trás, tendo como principal doce típico o Bolo de Tacho.

Ligações externasEditar

Referências

  1. INE (2013). Anuário Estatístico da Região Algarve 2012 (PDF). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 26. ISBN 978-989-25-0215-1. ISSN 0873-0008. Consultado em 11 de janeiro de 2015 
  2. Instituto Geográfico Português (2013). «Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013» (XLS-ZIP). Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Consultado em 28 de novembro de 2013. Cópia arquivada em 4 de dezembro de 2013 
  3. INE (2012). Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Algarve (PDF). Lisboa: Instituto Nacional de Estatística. p. 96. ISBN 978-989-25-0183-3. ISSN 0872-6493. Consultado em 27 de julho de 2013 
  4. INE (2012). «Quadros de apuramento por freguesia» (XLSX-ZIP). Censos 2011 (resultados definitivos). Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_ALGARVE". Instituto Nacional de Estatística. Consultado em 27 de julho de 2013 
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  7. INE - http://censos.ine.pt/xportal/xmain?xpid=CENSOS&xpgid=censos_quadros
  8. Galego, Ludovina (2013). Aguardente de medronho.