Abrir menu principal
Monumento Rodoviário Belvedere
Estilo dominante Art decô, Modernista
Arquiteto Raphael Galvão
Engenheiro Mario Chagas Doria e Christiani & Nielsen
Início da construção 18 de maio de 1926
Fim da construção 21 de janeiro de 1938 (81 anos)
Inauguração 13 de maio de 1938 (81 anos)
Função inicial Ponto turístico
Função atual Abandonado
Website www.saopauloantiga.com.br%2Fmonumento-rodoviario%2F&h=sAQG-ir42
Geografia
País  Brasil
Cidade Piraí,  Rio de Janeiro
Coordenadas 22° 40' 22.9" S 43° 49' 57.0" O

O Monumento Rodoviário Belvedere[1], popularmente conhecido como Monumento Rodoviário da Rodovia Presidente Dutra, ou ainda por Monumento Rodoviário da Serra das Araras, é um monumento, que possui uma área de 54 mil metros quadrados de construção, projetado com o objetivo de marcar o início da chamada "Era Rodoviária do Brasil" (década de 1920) e ser um símbolo da integração nacional[1]. Fica localizado no km 80 da antiga Estrada Rio–São Paulo, e atualmente às margens da Rodovia Presidente Dutra, na pista de descida da Serra das Araras (Km 225 da rodovia), no município de Piraí, estado do Rio de Janeiro.

A construção do Monumento iniciou-se em 18 de maio de 1926, em uma iniciativa do Touring Club do Brasil. Projetado pelo arquiteto Raphael Galvão e com a participação dos engenheiros Chagas Doria e Christiani Nielsen, o local foi planejado para ser um ponto de observação turística e área de descanso para viajantes. Assim, no local há um prédio de dois andares que abriga também um farol, todo construído em Art déco.

Desde a sua inauguração[2], em 13 de maio de 1938, contou com as instalações de um restaurante, e possuía quatro painéis do artista plástico Candido Portinari, medindo 0,96 por 7,68 metros, os primeiros com tema social e nacionalista do pintor. Na porção externa do monumento, existiam os oito painéis de baixo relevo do escultor francês Albert Freyhoffer[2]. Todas estas obras com o tema "Construindo Uma Rodovia".

Os painéis têm importância fundamental no conjunto da obra dos dois artistas e marcam a relevância das temáticas sociais nas décadas de 1930 e 1940 nos movimentos de arte no Brasil.

Em 1978[3][4][5][6], o monumento foi fechado, e o restaurante, desativado.

Em 27 de agosto de 1990, foi registrado como patrimônio cultural, mas seguiu fechado.

Em outubro de 2000, as obras de Portinari foram retiradas para restauração e levadas para o Museu de Belas Artes do Rio, onde se encontram desde então.

Atualmente, o monumento necessita de reformas, e encontra-se abandonado.[carece de fontes?]

Ação Civil PúblicaEditar

Em outubro de 2015, o Ministério Público Federal de Volta Redonda entrou com uma ação civil pública para garantir a restauração, a recuperação e a manutenção deste patrimônio histórico, contra "a Concessionária NovaDutra, a União, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o Instituto Do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac)"[7][8].

Diante disso, um plano para o restauro foi aprovado em meados de 2016, mas até a presente data não houve avanços nas obras[9].

Referências

  1. a b g1.globo.com/ Monumento rodoviário de Piraí, RJ, está com estrutura comprometida
  2. a b Douglas Nascimento (2 de agosto de 2013). «Além da Divisa > Monumento Rodoviário». São Paulo Antiga. Consultado em 7 de junho de 2016. Cópia arquivada em 20 de março de 2015 
  3. Vera Guedes (12 de abril de 2014). «"Monumento Rodoviário" na Serra das Araras em Piraí-RJ encontra-se abandonado». JORNALIS. Consultado em 7 de junho de 2016. Cópia arquivada em 27 de abril de 2016 
  4. Julia (28 de agosto de 2015). «O Farol da Serra das Araras». Fora da toca - Blog de viagens. Consultado em 7 de junho de 2016. Cópia arquivada em 27 de abril de 2016 
  5. «Um farol no topo da serra». Saúde Visual - Um foco no olhar. Consultado em 7 de junho de 2016. Arquivado do original em 27 de abril de 2016 
  6. Francisco Edson Alves (3 de junho de 2014). «Farol na Serra das Araras: descaso que já dura 35 anos». O Dia. Consultado em 7 de junho de 2016. Cópia arquivada em 27 de abril de 2016 
  7. g1.globo.com/ Monumento rodoviário de Piraí, RJ, está com estrutura comprometida
  8. prrj.mpf.mp.br/ MPF exige proteção e restauração do Monumento Belvedere na Serra das Araras
  9. aventurasnahistoria.uol.com.br/ Monumento rodoviário da Dutra já abrigou obras de Candido Portinari