Red Bull Powertrains

(Redirecionado de Motores RBPT na Fórmula 1)

A Red Bull Powertrains, também conhecida como RBPT, é uma empresa de desenvolvimento, fabricação e manutenção de motores de Fórmula 1 de propriedade do conglomerado austríaco Red Bull GmbH. A empresa foi formada em 2021 para assumir a operação dos motores da Fórmula 1 desenvolvidos pela Honda a partir de 2022, após a saída da fabricante japonesa da categoria em 2021.[2][3]

Red Bull Powertrains Limited
Empresa privada
Atividade Automotiva e esporte a motor
Fundação 15 de fevereiro de 2021 (1 ano)
Fundador(es) Dietrich Mateschitz, Christian Horner e Helmut Marko
Sede Milton Keynes, Reino Unido
Proprietário(s) Red Bull GmbH
Pessoas-chave Dietrich Mateschitz (diretor executivo)
Christian Horner (chefe)
Ben Hodgkinson (diretor técnico)[1]
Website oficial www.redbullpowertrains.com

HistóriaEditar

Em fevereiro de 2021, a Red Bull Advanced Technologies assinou um acordo de distribuição exclusiva de motores de Fórmula 1 com a Honda para começar na temporada de 2022, após a montadora japonesa deixar a Fórmula 1 no final da temporada de 2021. Os motores são comprados e rebatizados como Red Bull. A Red Bull Powertrains fornece motores para suas duas equipes que atualmente competem na Fórmula 1, a Red Bull Racing e a Scuderia AlphaTauri, desde a temporada de 2022, depois que a Honda permitiu que a Red Bull usasse sua tecnologia de Fórmula 1.[4]

Em 23 de abril de 2021, foi anunciado a contratação de Ben Hodgkinson como diretor técnico da Red Bull Powertrains. Com Hodgkinson, que era o chefe de engenharia mecânica da Mercedes AMG High Performance Powertrains desde 2017, e tendo trabalhado na sede da montadora em Brixworth por 20 anos, se tornando na primeira grande contratação para a divisão de motores da Red Bull.[5][6] No dia 6 do mês seguinte, a Red Bull anunciou a contratação de mais cinco funcionários seniores de motores da Mercedes, são eles: Steve Blewett (que será o diretor de produção da unidade de potência da Red Bull), Omid Mostaghimi (chefe de motorizações, eletrônicos e recuperação de energia), Pip Clode (chefe de design mecânico do setor de recuperação de energia), Anton Mayo (chefe do projeto da unidade de potência a combustão) e Steve Brodie (líder de operações do motor a combustão).[7][8] Em 31 de julho de 2022, foi anunciado a contratação de Phil Prew, que trabalhava na divisão de motores da Mercedes desde 2016.[9] Com essas contratações tendo o objetivo de fornecer capacidade técnica à empresa austríaca para a operação e manutenção das unidades de potência fabricadas pela Honda e, também, impulsionar seu possível novo projeto de desenvolvimento e fabricação de suas próprias unidades de potência a partir da temporada de 2026, quando a Fórmula 1 introduzirá um novo regulamento de motores.[7][10]

Em 2022, a Honda continuou montando as unidades de potência e fornecendo suporte de operação na pista e na corrida, antes que a Red Bull Powertrains assumisse total responsabilidade por sua montagem e operação a partir de 2023, como estava programado inicialmente.[11] No entanto, no Grande Prêmio do Japão de 2022, a Honda e a Red Bull anunciaram o fortalecimento de sua parceria, com a marca Honda retornando às pinturas da Red Bull e AlphaTauri para o restante da temporada de 2022.[12] Com as unidades de potência continuaram sendo propriedade intelectual da Honda e, devido a um congelamento de desenvolvimento, a Red Bull Powertrains não precisa desenvolver elas.[13][14]

A Honda também retornou como nome de fornecedora de unidades de potência para a temporada de 2023, fornecendo unidades de potência com o emblema Honda RBPT.[15] Após uma mudança na gestão desde que foi tomada a decisão de sair da Fórmula 1, a montadora japonesa permaneceu presente nas discussões sobre os futuros regulamentos da Fórmula 1 junto com outros fabricantes e manteve discussões com a Red Bull Racing sobre as possibilidades futuras de uma parceria renovada a partir da temporada de 2026, em diante, quando os novos regulamentos da unidade de potência entrarão em vigor.[16] Com a Honda Racing Corporation, em dezembro de 2022, se registrando oficialmente seu interesse na FIA para ser fornecedora de unidades de potência em 2026.[17][18] Porém, a Red Bull Powertrains também se inscreveu junto a FIA como fabricante de unidades de potência a partir da temporada de 2026.[19]

Fornecimento de motoresEditar

Ano Equipe Motor
2022   Red Bull Red Bull RBPTH001 1.6 V6 Turbo[20]
  AlphaTauri Red Bull RBPTH001 1.6 V6 Turbo

Ver tambémEditar

Referências

  1. «F1: Mercedes e Red Bull chegam a acordo sobre novo diretor técnico da equipe austríaca». motorsport.uol.com.br. 21 de janeiro de 2022. Consultado em 22 de janeiro de 2022 
  2. «F1: Red Bull cria empresa para seguir com programa de motores». motorsport.uol.com.br. 12 de fevereiro de 2021. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  3. «Red Bull assume programa da Honda a partir de 2022 e passa a ser a própria fornecedora de motores na F1». motorsport.uol.com.br. 15 de fevereiro de 2021. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  4. «Red Bull agree deal to run Honda engine technology until 2025». F1.com. 15 de fevereiro de 2021. Consultado em 19 de fevereiro de 2021 
  5. «F1: Red Bull contrata ex-Mercedes para liderar projeto de motores». motorsport.uol.com.br. 23 de abril de 2021. Consultado em 23 de abril de 2021 
  6. «Red Bull deve manter seu próprio motor na F1, sem novos fornecedores no futuro». F1 Mania. 23 de abril de 2021. Consultado em 23 de abril de 2021 
  7. a b «F1: Red Bull contrata mais cinco engenheiros de motor da Mercedes». motorsport.uol.com.br. 6 de maio de 2021. Consultado em 6 de maio de 2021 
  8. «F1: Após disputa na pista, Red Bull 'rouba' cinco engenheiros da Mercedes». www.uol.com.br. Consultado em 22 de janeiro de 2022 
  9. «F1: Red Bull contrata nome importante da Mercedes para cargo senior na Red Bull Powertrains». motorsport.uol.com.br. 31 de julho de 2022. Consultado em 25 de agosto de 2022 
  10. «F1 – Red Bull contrata mais cinco funcionários da Mercedes». autoracing.com.br. 6 de maio de 2021. Consultado em 6 de maio de 2021 
  11. «F1: Red Bull e Honda estendem contrato de suporte técnico até 2025». motorsport.uol.com.br. 2 de agosto de 2022. Consultado em 25 de agosto de 2022 
  12. «Honda Strengthens Relationship With Oracle Red Bull Racing». Red Bull (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  13. «Red Bull agrees Honda engine IP use, reveals post-2021 plan». The Race (em inglês). 7 de outubro de 2021. Consultado em 6 de janeiro de 2022 
  14. «Entenda como funcionará o congelamento de motores da F1 até 2026 e seu impacto na categoria». motorsport.uol.com.br. 25 de março de 2022. Consultado em 25 de março de 2022 
  15. «Honda Strengthens Relationship With Oracle Red Bull Racing». Red Bull (em inglês). Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  16. Mitchell-Malm, Scott (4 de outubro de 2022). «Honda meeting and 2026 talks kick off pivotal Red Bull week». The Race. Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  17. «Honda se registra como fornecedora de motores para 2026». F1 Mania. 12 de dezembro de 2022. Consultado em 10 de janeiro de 2023 
  18. Medland, Chris (13 de dezembro de 2022). «Honda subsidiary registers interest in 2026 F1 regulations». RACER. Consultado em 17 de dezembro de 2022 
  19. «"Porsche e Honda desistem da Red Bull Powertrains, mais duas opções"». autoracing.com.br. 18 de dezembro de 2022. Consultado em 10 de janeiro de 2023 
  20. «F1 – Red Bull contrata mais cinco funcionários da Mercedes». newsdirectory3.com (em inglês). 16 de fevereiro de 2022. Consultado em 7 de março de 2022 

Ligações externasEditar