Movimento Hazzm

A bandeira do grupo.

Movimento Hazzm (árabe: حركة حزم , Harakat Hazzm, que significa Movimento da Constância[1]) é uma divisão militar rebeldes cujos líderes são moderados autodeclarados e é a principal divisão militar de rebeldes na Guerra Civil Síria.[2][3] O grupo foi abastecido com míssil anti-tanque BGM-71 TOW. [4] por uma "fonte ocidental".[5] Alguns dos grupos que estão envolvidos na aliança faziam parte das Brigadas Farouq.[4] Os grupos que se tornaram o Exército de Mujahedeen foram originalmente indo para aderir ao Movimento Hazzm.[6] O grupo se chamava Harakat Zaman Mohamed e é apoiado pela Irmandade Muçulmana síria.[6] O grupo foi uma das 3 organizações rebeldes que condenaram os ataques contra o Estado Islâmico, junto com a Al Nusra e 3000 desertores do Exército Sírio Livre na fronteira libanesa.[7][8] O movimento islâmico sírio também defende uma reconciliação regional.[9]

Referências

  1. «Syrian rebels who received first U.S. missiles of war see shipment as 'an important first step'». Washington Post. 28 de abril de 2014. Consultado em 15 de maio de 2014 
  2. Erin Banco. «US Airstrikes In Syria Weaken ISIS, But Strengthen Support For Al Qaeda Offshoot» (HTML). International Business Times. International Business Times 
  3. «Syrian insurgents acquire TOW missiles». IHS Jane's 360. 7 de abril de 2014. Consultado em 15 de maio de 2014 
  4. a b «American Anti-Tank Weapons Appear in Syrian Rebel Hands (Updated)». Huffington Post. 11 de abril de 2014. Consultado em 15 de maio de 2014 
  5. «Syrian army enters Homs neighbourhoods». Al Jazeera English. 15 de abril de 2014. Consultado em 15 de maio de 2014 
  6. a b «Harakat Hazm: America's new favorite jihadist group». Al Akhbar. 25 de maio de 2014. Consultado em 14 de setembro de 2014 
  7. «3,000 FSA Fighters Defect to ISIS in the Qalamoun Mountains» (HTML). Almada News (em inglês). Almada News 
  8. Erin Banco. «US Airstrikes In Syria Weaken ISIS, But Strengthen Support For Al Qaeda Offshoot» (HTML). International Business Times. International Business Times. "People are becoming more sympathetic to Al Nusra because they were targeted in the attacks,” Khalid Saleh, one of the main leaders of the Harakat Hazzm Movement, the main U.S.-backed rebel group in Syria, said. 
  9. Trump advisor Bolton coordinated US strike on Syria with Israel