Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2013). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Mozarildo Cavalcanti
Foto:Marcos Oliveira/Agência Senado
Senador por Roraima
Período 1º de fevereiro de 1999
até 1º de fevereiro de 2015
(2 mandatos consecutivos)
Deputado Federal por Roraima
Período 1º de fevereiro de 1983
até 31 de janeiro de 1991
(2 mandatos consecutivos)
Dados pessoais
Nascimento 11 de junho de 1944 (75 anos)
Boa Vista, Roraima
Esposa Geilda Monteiro Cavalcanti
Partido Sem partido
Profissão Médico
linkWP:PPO#Brasil

Francisco Mozarildo de Melo Cavalcanti (Boa Vista, 11 de junho de 1944) é um político brasileiro. É filho de Mozart Cavalcanti e de Cléa de Melo Cavalcanti.[1] Casou-se com Geilda Monteiro Cavalcanti, com quem teve três filhos.[1]

BiografiaEditar

Foi o primeiro roraimense formado em medicina no Estado, assim como o primeiro roraimense presidente do CRM-RR (Conselho Regional de Medicina de Roraima).[2] Médico formado na Universidade Federal do Pará no ano de em 1969[1], é professor concursado da Universidade Federal de Roraima.[3]

Pertenceu a Arena, PDS, no qual se elegeu deputado federal em 1982 pelo ainda Território Federal de Roraima. Participou das comissões de Serviço Público (1983-1984), do Interior (1984-1987) e do Índio (1983-1987). Não esteve presente na seção de 25 de abril de 1984, na qual foi rejeitada a Proposta de Emenda Constitucional Dante de Oliveira, que permitiria eleições diretas para presidente da República. Faltaram 22 votos para que o projeto pudesse ser encaminhado até a aprovação pelo Senado Federal[1]. Como a emenda foi rejeitada, a eleição para Presidente da República de 1985 ocorreu de modo indireto.[4] Mozarildo votou no candidato da oposição, Tancredo Neves.[1] Mesmo escolhido pelo Congresso Nacional como próximo presidente, Tancredo não tomou posse, uma vez falecido em 21 de abril de 1985.[4]

Reeleito em 1986, já pelo PFL, Mozarildo foi deputado constituinte. Retirou-se do cargo para ocupar a Secretaria de Saúde de Roraima, o que ocorreu durante a gestão de Romero Jucá (1988-1991).

Em 1998 elegeu-se Senador pelo PPB. Porém antes mesmo de tomar posse, voltou ao PFL, ao assumir a presidência do diretório regional do partido. [1] Filiou-se ao partido Popular Socialista (PPS) em janeiro de 2003 e foi líder do partido no Senado Federal até o mês de fevereiro de 2004. No ano seguinte, filiou-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), reelegendo-se no Senado Federal nas eleições de 2006, após árdua campanha contra Teresa Jucá.[5] . Foi líder do PTB no Senado de fevereiro de 2005 a janeiro de 2007.[1]

Em 2014 perdeu o seu mandato para senador para o ex-vereador de Boa Vista Telmário Mota.

Em fevereiro de 2017, anunciou sua saída do PTB, visto que o Senador Telmário Mota se filiou ao partido. [6]

Referências

  1. a b c d e f g «FVG - CPDOC». Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  2. «Conselho Regional de Medicina de Roraima completa 50 anos». www.crmrr.org.br. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  3. «Tropical94» 
  4. a b Noblat, Ricardo. «O que foi a emenda "Dante de Oliveira"». Ricardo Noblat. Consultado em 24 de setembro de 2018 
  5. «Terra Eleições 2006» 
  6. «Ex-senador Mozarildo anuncia saída do PTB após entrada do senador Telmário». Folha de Boa Vista 

Ligações externasEditar