Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2009). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em termos de jogos de computador, um MUD (sigla de Multi-user dungeon, dimension, ou por vezes domain) é um RPG multijogadores, que normalmente é executado em uma BBS ou em um servidor na Internet. [1]

Os jogadores assumem o papel de uma personagem e recebem informações textuais que descrevem salas, objetos, outras personagens e criaturas controladas pelo computador, também conhecidas como non-player characters (NPCs), em um mundo virtual. Eles podem interagir com outros jogadores e personagens digitando comandos que, normalmente, se encontram em inglês.

MUDs tradicionais implementam um mundo de Fantasia povoado por elfos, goblins, e outros seres místicos com os jogadores sendo cavaleiros, feiticeiros e outros. O objetivo do jogo é matar monstros, explorar um mundo rico e completar expedições. Outros MUDs possuem um ambiente de ficção científica. Ainda outros, especialmente aqueles que são baseados em MOOs, são utilizados em educação a distância ou para permitir conferências virtuais. MUDs têm também atraído o interesse de acadêmicos de muitos campos, incluindo comunicação, sociologia, direito, e economia virtual.

A maior parte dos MUDs é executada por hobby e são gratuitos para os jogadores, mas podem aceitar doações ou permitir que os jogadores comprem itens do jogo.

HistóriaEditar

Os primeiros MUDs apareceram em 1978 e suas popularidades aumentaram nos Estados Unidos durante a década de 1980[carece de fontes?], quando (falando relativamente) os computadores pessoais, domésticos e baratos, equipados com modems de 300 a 2400 baud permitiram aos jogadores de RPG se conectarem em BBSes multi-line. Jogos no estilo roguelike também estavam ficando populares naquela época.

Ao mesmo tempo na Europa, o desenvolvimento de MUD estava centralizado ao redor das redes acadêmicas, particularmente na Universidade de Essex onde eles eram jogados por muitas pessoas, de dentro e de fora da universidade. Neste contexto, foi dito que MUD significava "Multi-Undergrate Destroyer"[carece de fontes?], devido a sua popularidade entre os estudantes de faculdades e a quantidade de tempo que estes estudantes dedicavam aos MUDs.

Os MUDs originais foram inspirados em jogos como o Dungeons & Dragons e o jogo de computador Colossal Cave Adventure. O primeiro MUD foi provavelmente criado e escrito por Roy Trubshaw e Richard Bartle na Universidade de Essex no Reino Unido [1] embora o livro "Dungeon Master" de William Dear, e outras fontes sugiram que havia, anteriormente, outros jogos MUD que os autores da Essex não conheciam.

Uma versão deste primeiro MUD ainda está sendo executada no sítio www.british-legends.com, e uma versão do seu descendente MUD2 está sendo executado no sítio www.mud2.com.

Outros MUDs que apareceram nos meados de 1985 incluíram Mirrorworld, executado por Pip Cordrey e desenvolvido e escrito por Tim Rogers, Lorenzo Wood e Nathaniel Billington, e SHADES, o primeiro MUD comercial do mundo. Este era acessível no Reino Unido através do sistema Prestel. Mirrorworld foi o primeiro MUD a ter 'rolling resets'.

Outro MUD popular foi o AberMUD, escrito em 1988 por Alan Cox, também conhecido como Anarchy, nomeado depois da Universidade de Gales, Aberystwyth[carece de fontes?]. Avalon, the Legend Lives, iniciado em 1989, foi o primeiro MUD a combinar um enredo consistente de fantasia com uma aventura comercial.

Os jogos MUD ainda estão bem vivos na Internet e podem ser acessados pelos clientes telnet padrões, ou clientes de MUD especializados que dão uma experiência mais agradável ao usuário.

Como jogarEditar

Para entrar em um MUD basta apenas um cliente de telnet ou um cliente específico para muds, tal como RoAClient, MUSHclient, zMUD, Tinyfugue, etc.

Variantes MUDEditar

Através do tempo as variantes se diversificaram em outros modelos enquanto mantinham o mesmo formato textual, como os LPMuds, MUCKs, MUSHes, Talkers e MOOs.

Ligações externasEditar

Referências

  1. Bartle, Richard A. (2004). Designing Virtual Worlds (em inglês). [S.l.]: New Riders, p. 2. ISBN 9780131018167