Abrir menu principal
Murade Bei desenhado por Dutertre na Description de l'Égypte, em 1809

Murade Bei (Tbilisi[1], 1750Sohag (província), 7 de abril de 1801) foi um líder mameluco egípcio comandante da cavalaria e governador do Egito em nome do sultão otomano, juntamente com Ibraim Bei.

Ele se casou com uma viúva rica, e com o dinheiro da mulher tornou-se general. Depois de sua derrota contra o general Napoleão Bonaparte na famosa Batalha das Pirâmides em (22 de julho 1798), Murade Bei fugiu para o Alto Egito, onde organizou uma campanha de guerrilha contra o general Louis Charles Antoine Desaix [2] com duração de aproximadamente um ano. Foi ao perseguir Murade Bei no Alto Egito que os franceses descobriram os monumentos em Dendera, Tebas, Edfu e Filas. [1]

Em 1800, Murade Bei assinou o tratado de paz com o general Jean Baptiste Kléber deslocando-se para o Cairo, onde morreu de peste bubônica no ano seguinte, durante uma epidemia.[1]

Referências

  1. a b c Mikaberidze, Alexander (2006). "Gregory Fremont-Barnes". The Encyclopedia of the French Revolutionary and Napoleonic Wars, Vol. 2. [S.l.]: ABC-CLIO, Inc. p. 663 
  2. Martha-Beker, F. (1852). "Comte de Mons, Le Général L. C. A. Desaix". Paris: [s.n.] 

‏‎