Museu de Arqueologia Nacional (França)

O Musée d'Archéologie Nationale é um dos principais museus franceses de arqueologia, abrangendo dos tempos pré-históricos ao período merovíngio. Ele está localizado no Château de Saint-Germain-en-Laye no departamento de Yvelines, cerca de 19 km a oeste de Paris.

Museu de Arqueologia Nacional, domínio nacional de Saint-Germain-en-Laye
(em francês) Musée d’Archéologie nationale, domaine national de Saint-Germain-en-Laye
Fachada oeste do castelo, tal qual se vê a partir da praça Charles de Gaulle
Inauguração 1862
Visitantes 113 023 (em 2014)
Website [http://en.musee-archeologienationale.fr/ Página oficial
Geografia
País França
Localidade Place Charles de Gaulle
78100 Saint-Germain-en-Laye, France
Coordenadas 48° 53' 52" N 2° 05' 44" E
[[File:Predefinição:Mapa de localização/France|300px|Museu de Arqueologia Nacional, domínio nacional de Saint-Germain-en-Laye está localizado em: Predefinição:Mapa de localização/France]]
<div style="position: absolute; z-index: 2; top: Erro de expressão: caractere "[" não reconhecido%; left: Erro de expressão: caractere "[" não reconhecido%; height: 0; width: 0; margin: 0; padding: 0;"><div style="position: relative; text-align: center; left: -Erro de expressão: caractere "[" não reconhecidopx; top: -Erro de expressão: caractere "[" não reconhecidopx; width: Predefinição:Mapa de localização/Francepx; font-size: Predefinição:Mapa de localização/Francepx;">
<div style="font-size: 90%; line-height: 110%; position: relative; top: -1.5em; width: 6em; Erro de expressão: Operador < inesperado">Museu de Arqueologia Nacional, domínio nacional de Saint-Germain-en-Laye
Geolocalização no mapa: France

ConstruçãoEditar

 Ver artigo principal: Castelo de Saint-Germain-en-Laye

O castelo foi uma das mais importantes residências reais da França na região de Paris desde o século 12. Após a mudança da corte para Versalhes, o castelo recebeu a corte de James II de Inglaterra no exílio, tornou-se uma escola de cavalaria, em 1809, e, finalmente, uma prisão militar de 1836 a 1855.[1] O castelo, que estava em muito mau estado, foi classificado como monument historique em 8 de abril de 1863.

O interior era um labirinto de células, corredores, pisos falsos e divisórias. O exterior foi dilapidado e coberto por um revestimento preto.[2] Ao arquiteto Eugène Millet, um aluno de Eugène Viollet-le-Duc, foi dada a tarefa de restaurar o castelo para receber o planejado Museu Nacional de Antiguidades em 1855, tendo que remover todos os vestígios de células que o Ministério da Guerra instalou quando ele foi usado como prisão. Em 1857, ele informou que todas as partições formando as células e masmorras tinham sido demolidas e o castelo, limpo.[3] Trabalhos de construção começaram em 1862, com a destruição do pavilhão Oeste.[3] O objetivo de Millet era restaurar o edifício ao estado em que era no período de Francisco I de França.[2] Millet morreu em Cannes , em 24 de fevereiro de 1879.[4] A restauração foi continuada por Auguste Lafollye e Honoré Daumet, e, finalmente, concluída em 1907.

HistóriaEditar

O museu foi chamado:

  • Museu das Antiguidades Galo-Romanas (Musée des Antiquités Gallo-Romaines) em 1862
  • Museu das Antiguidades Célticas e Galo-Romanas (Musée des Antiquités Celtiques et Gallo-Romaines)
  • Museu das Antiguidades Nacionais (Musée des Antiquités Nationales), em 1879
  • Museu de Arqueologia Nacional (Musée d'Archéologie Nationale), em 2005
  • Museu de Arqueologia Nacional, domínio nacional de Saint-Germain-en-Laye (Musée d'Archéologie Nationale, domaine national de Saint-Germain-en-Laye), desde 2009

AcervosEditar

O museu abriga cerca de 3 milhões de objetos arqueológicos, dos quais cerca de 30.000 estão em exibição, tornando-o um dos mais ricos acervos na Europa. Esses objetos, descobertos no território francês, estão apresentados por ordem cronológica: Paleolítico, Neolítico, Idade do Bronze, Idade do Ferro, período Romano e primeira Idade Média (Gália Merovíngia). Uma coleção de objetos arqueológicos e etnológicos estrangeiros é apresentada no quarto de arqueologia comparativa.

PaleolíticoEditar

As coleções paleolíticas incluem objetos como ferramentas de pedra (bifaces, micrólitos) e indumentos de osso e chifre (agulhas, arpões). O museu apresenta a evolução do gênero homo, como o crânio do homo erectus e do homem de neandertal.[5]

Entre os mais notórios objetos da coleção paleolítica, está a Vênus de Brassempouy, encontrada em uma das inúmeras escavações de Édouard Piette, nos Pireneus. Muitos objetos coletados por Piette estão expostos em uma sala própria (Salle Piette). 

NeolíticoEditar

O neolítico (cerca de 5800 de 2100 A.C.) é o segundo período da pré-história. Aí, as populações tornaram-se sedentárias, com o aparecimento da agricultura e da pecuária. As primeiras aldeias são construídas e as primeiras estruturas megalíticos, erguidas. Esse período é caracterizado por inovações técnicas, como o polimento da pedra, o aparecimento da cerâmica e a tecelagem.[6]

Idade do BronzeEditar

Na Idade do Bronze (cerca de 2100 a 750 A.C.), a sociedade ainda é bastante semelhante à do neolítico, mas os avanços técnicos, com o trabalho do bronze, muda a sociedade, que se torna progressivamente hierárquica.[7]

Idade do FerroEditar

A primeira Idade do Ferro (780-480 A.C.), correspondente à cultura de Hallstatt, é um período caracterizado pelo sepultamento em túmulos das pessoas mais poderosas. [8]

Gália RomanaEditar

Romana da Gália (de 52 A.C. ao final do século 5 D.C.): como resultado da conquista da Gália por Júlio César, a Gália está integrada no Império Romano. A urbanização está avançando com a chegada de cidades e a construção de edifícios públicos. A rede rodoviária está formada por toda a Gália.

Arqueologia ComparadaEditar

A sala da "arqueologia comparada" foi concebida no início do século xx por Henri Hubert e Marcel Mauss, que queriam ilustrar "o museu etnográfico da história da Europa e da humanidade" desde as origens do homem até a Idade Média.

VisitantesEditar

Visitantes anuais no período 2003-14 foram:[9][10][11]

  • 61.759 em 2003
  • 64.775 em 2004
  • 65.925 em 2005
  • 78.250 em 2006
  • 98.246 em 2007
  • 110.197 em 2008
  • 91.894 em 2009
  • 95.594 em 2010
  • 92.266 em 2011
  • 98.691 em 2012
  • 101.222 em 2013
  • 113.023 em 2014

Referências

FontesEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Museu de Arqueologia Nacional (França)

Ligações externasEditar