Não conformista

Na história da igreja inglesa, um não conformista era um protestante que não "se conformava" com o governo e as práticas da Igreja Anglicana. No final do século XIX, o termo incluía especificamente os cristãos reformados (presbiterianos, congregacionalistas), além dos batistas e metodistas.[1]

Página de título de uma coleção de Sermões de Despedida pregados por ministros não conformistas expulsos de suas paróquias em 1662.

Um influente ministro não conformista foi Matthew Henry, que, a partir de 1710, publicou seu Comentário em vários volumes que ainda é usado e está disponível no século XXI. Isaac Watts é um ministro não conformista igualmente reconhecido cujos hinos ainda são cantados pelos cristãos em todo o mundo.

HojeEditar

Hoje, igrejas protestantes independentes da Igreja Anglicana da Inglaterra ou da Igreja Presbiteriana Escocesa são frequentemente chamadas de "igrejas livres", o que significa que elas estão livres do controle do Estado. Este termo é usado de forma intercambiável com "Não Conformista". Na Escócia, a Igreja Episcopal Escocesa Anglicana é considerada não conformista e, na Inglaterra, a Igreja Reformada Unida, principalmente uma união de presbiterianos e congregacionalistas, está em uma posição similar.

Veja tambémEditar

Referências

  1. «Não conformista». Encyclopædia Britannica Online (em inglês). Consultado em 26 de dezembro de 2020