Néstor Almendros

Néstor Almendros Cuyás (30 de outubro de 1930 - 4 de março de 1992) foi um diretor de fotografia de cinema espanhol.

Néstor Almendros
Nome completo Néstor Almendros Cuyás
Nascimento 30 de outubro de 1930
Barcelona, Catalunha,
Flag of Spain.svg Espanha
Morte 4 de março de 1992 (61 anos)
Nova Iorque,  Nova Iorque,
 Estados Unidos
Ocupação Diretor de Fotografia
Oscares da Academia
Melhor Fotografia
1979 - Days of Heaven

Aos 18 anos de idade mudou-se para Cuba, para acompanhar seu pai, um exilado antiFranco. Em Havana, ele fundou um cineclube e escrevia para revistas de cinema. A seguir, foi para Roma, onde estudou no Centro Sperimentale. De volta à Havana, dirigiu seis curta-metragens, e mais dois em Nova Iorque.

Após a Revolução Cubana de 1959, fez diversos documentários pró-Fidel Castro, mas acabou banido e transferiu-se para Paris. Lá tornou-se o cinegrafista favorito de Eric Rohmer e François Truffaut. Em 1978, iniciou sua impressionante carreira em Hollywood.

Entre os inúmeros prêmios e homenagens que recebeu em sua carreira, destacam-se as quatro indicações ao Oscar, na categoria de melhor fotografia: em 1979, por Days of Heaven (1978), em 1980, por Kramer vs. Kramer (1979), em 1981, por The Blue Lagoon (1980), e em 1983, por Sophie's Choice (1982), tendo vencido em 1979. Em 1981 recebeu o Prêmio César pela fotografia do filme Le dernier métro (1980), dirigido por François Truffaut.

Em seus últimos anos de vida, codirigiu dois documentários sobre a situação dos direitos humanos em Cuba: Mauvaise conduite (1984) (sobre a perseguição aos gays) e Nadie escuchaba (1987). Fotografou diversos comerciais para Giorgio Armani e Calvin Klein.

Foi membro do júri do Festival de Cannes em 1985 e do Festival de Veneza em 1989.

Néstor Almendros morreu aos 61 anos de idade, em consequência de complicações de saúde decorrentes de AIDS.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.