Abrir menu principal

Nagoia

(Redirecionado de Nagóia)
Nagoya
Do topo, à esquerda: Porto de Nagoia, Zoológico e Jardim Botânico Higashiyama, Centro de Nagoia, Castelo de Nagoia, Torre de televisão de Nagoia.
Do topo, à esquerda: Porto de Nagoia, Zoológico e Jardim Botânico Higashiyama, Centro de Nagoia, Castelo de Nagoia, Torre de televisão de Nagoia.
Símbolos
Bandeira de Nagoya
Bandeira
Brasão de armas de Nagoya
Brasão de armas
Localização
Nagoya está localizado em: Japão
Nagoya
Mapa da Nagoya
Coordenadas 35° 11' N 136° 54' E
País  Japão
Região Chūbu
Prefeitura Aichi
Administração
Prefeito Takashi Kawamura
Características geográficas
Área total 326,43 km²
População total 228 328 hab.
 • População metropolitana 6 871 632
city.nagoya.jp

Nagoia[a] (名古屋市 Nagoya-shi) é a maior cidade da região de Chubu no Japão. É a capital e maior região metropolitana da província de Aichi e quarto centro urbano mais populoso do país com 2 266 249 habitantes. Situada entre Tóquio, a leste, e Quioto, a oeste, Nagoya é considerado o maior centro econômico da região central do Japão, a cidade detém um dos maiores portos do Japão, contribuindo para que seja classificada como a terceira mais rica do país, atrás apenas de Tóquio e de Osaka.

EtimologiaEditar

O nome da cidade foi historicamente escrito como 那古野 ou 名護屋 (ambos lidos como Nagoya). Uma origem possível é o adjetivo nagoyaka (な ご や か), que significa 'pacífico'.[1]

HistóriaEditar

A história de Nagoya data de 1610, quando um grande castelo foi erguido pelo ramo Owari do poderoso shogunato de Tokugawa. Após a Restauração Meiji (1868), que marcou o fim do governo shogunal, Nagoya continuou como um centro comercial. O desenvolvimento do porto de Nagoya, especialmente após a Segunda Guerra Mundial, e as vantagens da localização central da cidade e da abundante energia hidrelétrica dos rios do centro de Honshu estimularam o crescimento da indústria pesada. As manufaturas tradicionais de relógios, bicicletas e máquinas de costura foram seguidas pela produção de aços especiais, produtos químicos, petróleo e petroquímicos, à medida que as indústrias de automóveis, aviação e construção naval da região floresciam.[2]

GeografiaEditar

Nagoya fica ao norte da baía de Ise, na Planície de Nōbi. A cidade foi construída em planaltos de baixo nível para afastar as águas da enchente. A planície é uma das áreas mais férteis do país. O rio Kiso flui para o oeste ao longo da fronteira da cidade e o rio Shōnai vem do nordeste e vira para o sul em direção à baía. O rio Hori, feito pelo homem, foi construído como um canal em 1610. Flui de norte a sul, como parte do sistema do rio Shonai.

ClimaEditar

Nagoya tem um clima subtropical úmido (classificação climática de Köppen: Cfa), com verões quentes e invernos frios. O verão é notavelmente mais úmido que o inverno, embora a chuva caia ao longo do ano.[3]

DemografiaEditar

Um dos primeiros censos, realizado em 1889, contava 157.496 residentes. A população atingiu a marca de 1 milhão em 1934 e em dezembro de 2010 tinha uma população estimada em 2.259.993 com uma densidade populacional de 6.923 pessoas por km². Também em dezembro de 2010, estima-se que 1.019.859 famílias residissem na cidade - um aumento significativo de 153.370 no final da Segunda Guerra Mundial em 1945.[4]

PolíticaEditar

SubdivisõesEditar

EconomiaEditar

Nagoya é um dos principais centros de pesquisa e desenvolvimento e indústrias automobilísticas do Japão. Lexus está sediada nesta cidade. A P&D da Mitsubishi Motors está localizada em Okazaki e em Nagoya. Toyota Motors tem a sua sede na cidade vizinha de Toyota. Fornecedores automotivos como Denso, Toyota Industries, Aisin Seiki e JTEKT situam-se nesta cidade. Os principais fornecedores estrangeiros do setor automotivo como a Magna International também estão sediados nesta cidade. A empresa têxtil Marukawa e outras empresas do setor aerospacial e de electrónica estão sediadas nesta cidade. Nagoia é o lar do pachinko. Nagoya tem sido responsável por 70% do superávit comercial do Japão a partir de 2003.

Indústria da aviaçãoEditar

 
Aeródromo de Nagoya

A história da aviação tem sido historicamente importante desde a industrialização. Durante a guerra, o caça Mitsubishi A6M Zero foi construído em Nagoya. A tradição da aviação continua com a Mitsubishi Aircraft Corporation, com sede no edifício do terminal do Aeródromo de Nagoya em Komaki. A aeronave Mitsubishi Regional Jet (MRJ) é produzida em uma fábrica adjacente ao aeroporto.[5] O MRJ é uma parceria entre o proprietário majoritário Mitsubishi Heavy Industries e a Toyota[6] com assistência de projeto da Fuji Heavy Industries, afiliada da Toyota, que já é fabricante de aeronaves. É o primeiro avião projetado e produzido no Japão desde o NAMC YS-11 da década de 1960.[7][8] O primeiro voo do MRJ foi realizado em 11 de novembro de 2015.[9][10]

InfraestruturaEditar

EducaçãoEditar

As duas principais instituição de ensino superior da cidade são a Universidade de Nagoyia e o Instituto de Tecnologia de Nagoia. As faculdades e universidades estão localizadas principalmente na região leste da cidade. Algumas instituições de estilo ocidental foram fundadas no início da era Meiji, com mais abertura durante as eras Taishō e [[Era Showa|Shōwa]. A Universidade de Nagoya foi criada em 1871 como uma escola de medicina e produziu seis ganhadores do Prêmio Nobel.[11]

Nagoya possui principalmente escolas primárias e secundárias administradas pelo estado. A área nos limites da cidade inclui escolas internacionais, como o Colégio Brasil Japão Prof. Shinoda, uma escola brasileira.[12]

TransportesEditar

Nagoia é servida pelo Aeroporto Internacional de Chubu (Centrair, NGO) na cidade de Tokoname e pelo Aeroporto de Komaki (NKM) localizado nas cidades de Komaki e Kasugai. Em 17 de Fevereiro de 2005, todos os voos comerciais do Aeroporto de Komaki foram transferidos para o Aeroporto Internacional de Chubu, ficando o primeiro como infra-estrutura de aviação geral.

A Estação de Nagoia, a maior do mundo em relação à área de superfície, situa-se nas linhas de Tokaido Shinkansen. As linhas Meitetsu e Kintetsu ligam vários pontos da região de Tokai e Kansai. A cidade possui também metrô.

Em Nagoia situa-se um dos maiores portos marítimos do Japão, que movimenta a maior quantidade em valores do país e tem como um dos principais produtos a exportação de automóveis e autopeças.

CulturaEditar

Pontos turísticosEditar

Entre os pontos turísticos mais procurados de Nagoia está o Castelo de Nagoia (名古屋城 Nagoya-jō) e o Santuário xintoísta de Atsuta (熱田神宮 Atsuta Jingū). Há também o belo Aquário Público de Nagoya (Nagoya Public Aquarium)[13], situado em Minato-Ku e a bela região de Sakai, no centro da cidade, onde existem bons restaurantes, pubs, lojas de todos os tipos, e todos os tipos de atividades culturais.

O castelo Nagoya jō foi construído em 1612. Durante a Segunda Guerra Mundial foi totalmente destruído, restando somente a sua base de pedra. Em 1959 foi reconstruído segundo os planos originais. Nagoya-jō é também famoso pelos seus dois opulentos Kin no Shachi (金の鯱 Orcas douradas) no telhado, que são frequentemente utilizados como símbolo da cidade. O Santuário de Atsuta é considerado o segundo santuário mais venerado no Japão. Possui vários tesouros nacionais, dos quais o mais importante é, sem dúvida, uma espada sagrada chamada kusanagi no mitsurugi (草薙神剣 ou "a espada sagrada de Kusanagi") – uma das três relíquias imperiais do Japão. Durante o ano decorrem cerca de 70 festas diferentes, que atraem muitos visitantes ao santuário. Estão aí guardados mais de 4 400 tesouros nacionais, representando dois milénios de história.

Ver tambémEditar

NotasEditar

[a] ^ Por vezes é usada a grafia Nagoya.

Referências

  1. chimei-allguide.com. Acessado em 19 de novembro de 2019.
  2. Enciclopédia Britânica (ed.). «Nagoya». Consultado em 19 de novembro de 2019 
  3. 気象庁 / 平年値(年・月ごとの値). Japan Meteorological Agency 
  4. 平成22年12月1日現在の世帯数と人口(全市・区別) [Population and Number of Households as of 1 December, Heisei 22] (em japonês). Nagoya City. 20 de dezembro de 2010. Consultado em 7 de janeiro de 2011. Cópia arquivada em 15 de janeiro de 2011 
  5. Kohase, Yusuke (5 de janeiro de 2015). 三菱航空機、名古屋空港に本社移転 小牧南工場に隣接. Aviation Wire. Consultado em 16 de janeiro de 2015 
  6. Toyota to sink $67.2 mln in Mitsubishi passenger jet, China Economic Net, May 23, 2008 Arquivado em 10 de julho de 2009 no Wayback Machine.
  7. Anselmo, Joe. "Milestone for the MRJ" Aviation Week & Space Technology, 24 de outubro de 2014. Acessado em 25 de outubro de 2014.
  8. Mecham, Michael & Anselmo, Joe. "Big ambitions" Aviation Week & Space Technology, 17 de março de 2008. Acessado em 25 de outubro de 2014.
  9. «Dawn of a new era for Japan's aviation industry with MRJ debut flight». The Japan Times Online. 11 de novembro de 2015. Consultado em 12 de abril de 2017 
  10. Pfanner, Eric (11 de novembro de 2015). «Mitsubishi Aims for the Sky After Jet Takes Off». Consultado em 12 de abril de 2017 – via www.wsj.com 
  11. «Nagoya University World Class Researchers». nagoya-u.ac.jp. Consultado em 12 de abril de 2017 
  12. «Archived copy». Consultado em 7 de fevereiro de 2008. Cópia arquivada em 18 de outubro de 2015  Escolas Brasileiras Homologadas no Japão
  13. «Welcome to the Port of Nagoya Public Aquarium». www.nagoyaaqua.com. Consultado em 5 de janeiro de 2016 

Ligações externasEditar