Nancy Pelosi

política norte-americana, Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA

Nancy Patricia D'Alesandro Pelosi (Baltimore, 26 de março de 1940) é uma política norte-americana. Filiada ao Partido Democrata, é desde janeiro de 2019 a presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, já tendo ocupado este posto de 2007 a 2011.[2] Representante pela Califórnia desde 1987, Pelosi é a mulher que ocupou o mais alto cargo da história do país.[3] Como presidente da Câmara, é a segunda na linha de sucessão à presidência, atrás apenas do vice-presidente.[4]

Nancy Pelosi
Presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos
Período 3 de janeiro de 2019
até a atualidade
Antecessor(a) Paul Ryan
Período 4 de janeiro de 2007
a 3 de janeiro de 2011
Antecessor(a) Dennis Hastert
Sucessor(a) John Boehner
Lider da Minoria da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos
Período 3 de janeiro de 2011
a 3 de janeiro de 2019
Vice-líder Steny Hoyer
Antecessor(a) John Boehner
Sucessor(a) Kevin McCarthy
Período 3 de janeiro de 2003
a 3 de janeiro de 2007
Vice-líder Steny Hoyer
Antecessor(a) Dick Gephardt
Sucessor(a) John Boehner
Líder do Caucus Democrata da Câmara dos Representantes
Período 3 de janeiro de 2003
até a atualidade
Antecessor(a) Dick Gephardt
Congressista da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pela Califórnia
Período 2 de junho de [[1987]]
até a atualidade
Distrito 12.º Distrito (2013-)
8.º Distrito (1993-2013)
5.º Distrito (1987-1993)
Antecessor(a) Sala Burton
Presidente do Partido Democrata da Califórnia
Período 27 de fevereiro de 1981
a 3 de abril de 1983
Antecessor(a) Charles Manatt
Sucessor(a) Peter Kelly
Dados pessoais
Nome completo Nancy Patricia D'Alesandro
Nascimento 26 de março de 1940 (81 anos)
Baltimore, Califórnia, Estados Unidos
Progenitores Mãe: Nancy Lombardi
Pai: Thomas D'Alesandro Jr.
Alma mater Universidade Trinity Washington (BA)
Esposo Paul Pelosi (desde 1963)
Filhos 5
Partido Democrata
Fortuna US$ 16 milhões (2018)[1]
Assinatura Assinatura de Nancy Pelosi

Nascida em uma família ítalo-americana,[5] seu pai foi prefeito de Baltimore e Pelosi engajou-se na política desde jovem.[6] Após obter educação superior, se mudou para a Califórnia, onde passou a atuar em diversos cargos na filial local do Partido Democrata.[7] Em 1981, foi eleita presidente do Partido Democrata da Califórnia e, em 1987, para a Câmara.[8]

Tendo pertencido à ala mais à esquerda do Partido Democrata, tornou-se num dos primeiros membros do Caucus Progressista da Câmara do Representantes fundado por Bernie Sanders, chegando mesmo a ser apoiada para reeleição pelo agora Senador do Vermont.

Atualmente, Pelosi encontra-se em seu décimo sétimo mandato como representante,[9] sendo repetidamente reeleita para um distrito que compreende boa parte da cidade e condado de São Francisco.[10] Em 2003, foi eleita líder da bancada democrata na Câmara, ocupando a liderança da oposição na casa de 2003 a 2007, e novamente de 2011 a 2019.[11] Em 2007, tornou-se a primeira mulher a presidir a Câmara e, ao retornar ao cargo em 2019, foi a primeira a fazê-lo desde 1955.[12]

Durante os dois períodos em que presidiu a câmara baixa do Congresso, Pelosi liderou a oposição parlamentar aos presidentes republicanos George W. Bush e Donald Trump,[13] iniciando o processo de impeachment deste último.[14] Foi uma opositora à Guerra do Iraque e, no governo de Barack Obama, desempenhou um papel fundamental para a aprovação do Obamacare,[15] a revogação do Don't ask, don't tell e a implementação de estímulos econômicos em meio à Grande Recessão.[16]

Infância e educaçãoEditar

Pelosi nasceu em Baltimore numa família ítalo-americana. Era a única menina e a mais nova de sete filhos de Nancy D'Alesandro[17] e Thomas D'Alesandro Jr.[18] A sua mãe nasceu em Fornelli, Isernia, Molise, a sul de Itália e veio para os EUA em 1912; o seu pai poderia traçar a sua ascendência italiana em Gênova, Veneza e Abruzzo.[19] Quando Nancy nasceu, o seu pai era um congressista democrata de Maryland, chegando a tornar-se Prefeito de Baltimore, sete anos depois.[20][21]  A mãe de Pelosi também era ativa na política, organizando as mulheres democratas e ensinando à filha o valor das redes sociais.[22] O seu irmão, Thomas D'Alesandro III, também um democrata, foi eleito prefeito de Baltimore de 1967 a 1971.[23]

Pelosi esteve envolvida com a política desde muito cedo. Ela ajudou o seu pai nos seus eventos de campanha, e participou no discurso inaugural do presidente, John F. Kennedy, quando ele foi empossado presidente dos Estados Unidos em janeiro de 1961.[24]

Em 1958, formou-se no Instituto de Notre Dame, uma escola secundária católica só para meninas em Baltimore. Em 1962, formou-se no Trinity College em Washington, DC, com um bacharelado em ciências políticas.[25]  Pelosi foi ajudante do senador Daniel Brewster (D-Maryland) na década de 1960 ao lado do futuro líder da maioria na Câmara, Steny Hoyer.[26]

Inicio da carreiraEditar

Depois de mudar-se para São Francisco, Pelosi tornou-se amiga do congressista do 5º distrito, Phillip Burton, e começou a trabalhar na política democrata. Em 1976, ela foi eleita membro do Comitê Nacional Democrata da Califórnia, cargo que ocupou até 1996.[27] Foi eleita presidente do partido pelo norte da Califórnia em janeiro de 1977 e quatro anos depois foi escolhida para chefiar o Partido Democrático da Califórnia, que ela liderou até 1983.[28] Posteriormente, serviu como presidente do Comitê Anfitrião da Convenção Nacional Democrata de São Francisco em 1984 e, em seguida, como presidente de finanças do Comitê de Campanha do Senado Democrata de 1985 a 1986.[29]

Câmara dos Representantes dos Estados UnidosEditar

EleiçõesEditar

 
Pelosi como membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, 1993.

Após a morte de Phillip Burton em 1983, sua esposa Sala Burton assumiu a vaga na Câmara dos Representantes. No final de 1986, Sala foi diagnosticada com câncer e decidiu não disputar as eleições legislativas de 1988, indicando Nancy Pelosi como sua sucessora política.[30] Sala veio a falecer em 1 de fevereiro de 1987, apenas um mês após assumir o segundo mandato.[31] Pelosi venceu a eleição especial empreendida para sua sucessão, derrotando o então Supervisor de San Francisco, Harry Britt, e o republicano Harriet Ross.[32][33]

Pelosi foi eleita por um dos mais estáveis distritos congressionais dos Estados Unidos. O Partido Democrata têm sido eleito desde 1949, enquanto a mais recente candidatura sólida republicana ocorreu em 1960. Pelosi tornou-se titular da vaga em 1988 e foi reeleita outras dez vezes sem oposição substancial, vencendo por uma média de 80% dos votos. Por outro lado, não têm participado de debates eleitorais desde 1987.[34] Seu resultado mais acirrado deu-se em 2016, quando Preston Picus recebeu 19% dos votos contra seus 80%.[35]

Em 2001, Pelosi foi eleita Whip da Minoria da Câmara dos Representantes, sendo vice-líder de Dick Gephardt, do Missouri. Pelosi tornou-se a primeira mulher a ocupar tal cargo na história estadunidense.[36]

Em 2002, quando Gephardt renunciou ao cargo para investir em sua indicação às eleições presidenciais de 2004, Pelosi foi selecionada como sua sucessora, tornando-se a primeira mulher a liderar um partido de maioria na câmara baixa do Congresso.[37]

Atribuição do comitéEditar

Na Câmara, ela atuou nos Comitês de Dotações e Inteligência e foi a democrata no ranking do Comitê de Inteligência até a sua eleição como líder da minoria.[38]

Pelosi é membro da Câmara Báltica do Caucus Democrata.[39]

1ª Presidência da Câmara (2007 - 2011)Editar

NomeaçãoEditar

 
Pelosi (à direita) e o então Presidente do Senado Dick Cheney assistem o Discurso sobre o Estado da União de George W. Bush em 2007. Na ocasião, Pelosi tornou-se a primeira mulher a receber um presidente no plenário do Congresso dos Estados Unidos.

Nas eleições de meio de mandato de 2006 , os democratas assumiram o controle da Câmara, conquistando 30 cadeiras.[40]  A mudança no controle significava que como líder da minoria na Câmara, Pelosi era amplamente esperada para tornar-se a presidente da Câmara no Congresso seguinte.[41][42] A 16 de novembro de 2006, a bancada democrata escolheu Pelosi por unanimidade como a candidata democrata a presidente.[43]

Pelosi apoiou o seu amigo de longa data, John Murtha, da Pensilvânia, para a posição de líder da maioria na Câmara, o segundo posto na bancada democrata na Câmara. O seu concorrente era o vice-líder Steny Hoyer da minoria da Câmara de Maryland, que tinha sido o segundo em comando de Pelosi desde 2003.[44] Hoyer foi eleito como líder da maioria na Câmara sobre Murtha por uma margem de 149-86 dentro do caucus.[45]

A 3 de janeiro, Pelosi derrotou o republicano John Boehner, de Ohio, por 233 votos a 202, na eleição para presidente da Câmara.[46] Rahm Emanuel, de Illinois, seria o novo presidente do Caucus Democrata da câmara.[47]

Com a sua eleição, Pelosi tornou-se a primeira mulher, a primeira californiana e a primeira ítalo-americana a ter o cargo de presidente da Câmara.[48]

Durante o seu discurso, ela discutiu a importância histórica de ser a primeira mulher a ocupar o cargo de Presidente da Câmara:[49]

Ela também disse que o Iraque é a principal questão enfrentada pelo 110º Congresso, ao incorporar algumas crenças do Partido Democrata:[50]

MandatoEditar

Pelosi foi reeleita presidente da câmara em 2009. Numa pesquisa da CBS News de março de 2010 descobriu-se que 37% dos eleitores registrados tinham uma opinião desfavorável sobre ela, com 11% a aprovando. De acordo com uma pesquisa nacional Rasmussen de março de 2010 , 64% dos eleitores viram Pelosi desfavoravelmente e 29% favoravelmente.[51]

Durante e após seu mandato como presidente, foi vista como uma figura política contenciosa, com os candidatos republicanos frequentemente tentando amarrar os seus oponentes democratas a ela e os democratas moderados buscando mostrar a sua boa fé moderada expressando oposição a ela.[52][53][54][55][56]

Reforma na saúdeEditar

Pelosi foi creditada para liderar a lei de saúde de Obama  quando parecia condenada à derrota.[57] Depois que o republicano Scott Brown ganhou a antiga cadeira do democrata Ted Kennedy no Senado na eleição especial de Massachusetts de janeiro de 2010, custando aos democratas sua maioria à prova de obstrução, Obama concordou com a ideia do então chefe de gabinete Rahm Emanuel de fazer iniciativas menores que poderiam ser aprovadas facilmente. Mas Pelosi rejeitou o remorso de Obama, zombando das suas ideias reduzidas como "cuidados infantis".[58] Depois de convencê-lo de que essa seria a única chance de reforma do sistema de saúde por causa da grande maioria democrata no Congresso, ela reuniu o seu caucus ao iniciar uma "maratona inacreditável" de uma sessão de dois meses para elaborar o projeto de lei, que foi aprovado na Câmara por 219 a 212. Nos comentários de Obama antes de sancionar o projeto de lei, ele atribuiu a Pelosi o título de "uma dos melhores presidentes da Câmara dos Representantes".[59][60][61]

2ª Presidência da Câmara (2019 - presente)Editar

Os democratas recuperaram a maioria na Câmara dos Representantes nas eleições de meio de mandato de 2018, e Pelosi foi reconduzida à presidência da Câmara no início do ano letivo, em 3 de janeiro de 2019.

Sob a presidência de Pelosi, a Câmara dos Representantes aprovou 2 impeachments contra o ex-presidente Donald Trump, tornando ele o primeiro presidente a sofrer 2 impeachments, sendo o primeiro em 18 de dezembro de 2019 e o segundo em 13 de janeiro de 2021. No primeiro processo, Trump era acusado de pressionar o presidente da Ucrânia Vladimir Zelensky a investigar Joe Biden, seu adversário nas eleições que aconteceriam em novembro de 2020. O segundo processo teve como base o argumento de que o presidente Trump incitou seus apoiadores a uma insurreição e a atacar o Congresso dos Estados Unidos durante o processo de confirmação da eleição de Joe Biden e Kamala Harris para presidente e vice-presidente dos EUA. Trump foi absolvido pelo Senado nos dois casos.

Honras e condecoraçõesEditar

Referências

  1. Paul V. Fontelo e David Hawkings (Fevereiro de 2018). «Ranking the Net Worth of the 115th». Roll Call. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  2. «Nancy Pelosi». Enciclopédia Britânica. 1º de agosto de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  3. Sheryl Gay Stolberg (2 de janeiro de 2019). «Nancy Pelosi, Icon of Female Power, Will Reclaim Role as Speaker and Seal a Place in History». The New York Times. Consultado em 28 de setembro de 2019. Arquivado do original em 28 de setembro de 2019 
  4. Alexandra Hutzler (3 de agosto de 2019). «Presidential line of sucession order: Nancy Pelosi now behing only Donald Trump, Mike Pence after becoming speaker». Newsweek. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  5. Elissa Ruffino (5 de janeiro de 1987). «Nancy Pelosi becomes first italian-american to lead U.S. Congress». The National Italian American Foundation. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  6. Walt Hickey, Grace Panetta e Mariana Alfaro (26 de março de 2019). «Today is Nancy Pelosi's 79th birthday — here's how she went from San Francisco housewife to the most powerful woman in US politics». Business Insider. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  7. Anthony Zurcher (2 de janeiro de 2019). «Nancy Pelosi: The remarkable comeback of America's most powerful woman». BBC. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  8. «Nancy Pelosi Fast Facts». CNN. 26 de setembro de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  9. Paul Bedard (13 de fevereiro de 2019). «Pelosi running again, 80 on Election Day, soon to become oldest speaker ever». Washington Examiner. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  10. Sofia Petkar (9 de fevereiro de 2019). «MADAM SPEAKER How old is Nancy Pelosi, who is her husband Paul and how long has she been part of Congress?». The Sun. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  11. Robert Draper (19 de novembro de 2018). «Nancy Pelosi's Last Battle». The New York Times. Consultado em 28 de setembro de 2019. Arquivado do original em 28 de setembro de 2019 
  12. Kelsey Snell e Brian Naylor (3 de janeiro de 2019). «Pelosi Retakes Gavel As House Speaker With New Session Of Congress». National Public Radio. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  13. «Nancy Pelosi». Barcelona Centre for International Affairs. 25 de fevereiro de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  14. Kyle Cheney, Heather Caygle e John Bresnahan (24 de fevereiro de 2019). «'Betrayal of his oath of office': Pelosi opens impeachment inquiry». Politico. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  15. «A volta por cima de Nancy Pelosi, a mulher mais poderosa dos EUA». BBC. 4 de janeiro de 2019. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  16. Michael A. Keshmiri (28 de novembro de 2018). «Nancy Pelosi is the right person to be Speaker of the House». The Daily Pennsylvanian. Consultado em 28 de setembro de 2019 
  17. January 4, Ron Cassie |; 2019; Am, 08:01 (4 de janeiro de 2019). «The Gavel Goes Back to Nancy D'Alesandro Pelosi of Little Italy». Baltimore Magazine (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  18. «Nancy Pelosi Doesn't Care What You Think of Her». Time. Consultado em 22 de março de 2021 
  19. «Nancy Pelosi Doesn't Care What You Think of Her». Time. Consultado em 22 de março de 2021 
  20. «Nancy Pelosi Doesn't Care What You Think of Her». Time. Consultado em 22 de março de 2021 
  21. «Baltimore City History of Mayors - THOMAS J. D'ALESANDRO III». msa.maryland.gov. Consultado em 22 de março de 2021 
  22. Stolberg, Sheryl Gay (2 de janeiro de 2019). «Nancy Pelosi, Icon of Female Power, Will Reclaim Role as Speaker and Seal a Place in History». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 22 de março de 2021 
  23. Barnes, Bart. «Thomas D'Alesandro III, Maryland political prince who gave up the throne, dies at 90». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 22 de março de 2021 
  24. «Nancy Pelosi Doesn't Care What You Think of Her». Time. Consultado em 22 de março de 2021 
  25. «Nancy Pelosi | Biography & Facts». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  26. «Pelosi Splits Democrats With Push For Murtha». 1 de dezembro de 2017. Consultado em 22 de março de 2021. Cópia arquivada em 1 de dezembro de 2017 
  27. «Nancy Pelosi | Biography & Facts». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  28. «Nancy Pelosi: is this the most powerful woman in US history?». the Guardian (em inglês). 26 de março de 2010. Consultado em 22 de março de 2021 
  29. Research, CNN Editorial (1 de março de 2013). «Nancy Pelosi Fast Facts - CNN Politics». CNN (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  30. «Is this the new face of Democratic Party». The Nation. 3 de fevereiro de 2010 
  31. Morain, Dan (2 de fevereiro de 1987). «Rep. Sala Burton, Who Replaced Husband in Congress, Dies at 61». Los Angeles Times 
  32. «Democrat elected in San Francisco». The New York Times. 3 de junho de 1987 
  33. «It began in Baltimore: The life and times of Nancy Pelosi». San Francisco Chronicle. 2 de janeiro de 2007 
  34. Epstein, Edward (20 de outubro de 2006). «CAMPAIGN 2006: Eighth Congressional District / 3 challengers fight for Pelosi seat». San Francisco Chronicle 
  35. «Nancy Pelosi». Ballotpedia 
  36. Eilperin, Juliet (10 de outubro de 2001). «Democrats Pick Pelosi as House Whip; Top Rank Ever for Woman in Congress». Washington Post 
  37. «Speaker Nancy Pelosi». Câmara dos Representantes dos Estados Unidos 
  38. «Pelosi to be first woman to lead Congress - USATODAY.com». usatoday30.usatoday.com. Consultado em 22 de março de 2021 
  39. «House Baltic Caucus». House Baltic Caucus. Consultado em 22 de março de 2021 
  40. Benenson, Bob. «Pelosi Officially Elected Speaker of the U.S. House - New York Times». Consultado em 22 de março de 2021. Cópia arquivada em 29 de novembro de 2018 
  41. News, A. B. C. «Pelosi to Make History as First Woman Speaker of the House». ABC News (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  42. Eilperin, Juliet (8 de novembro de 2006). «Nancy Pelosi Set to Be First Female Speaker» (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 22 de março de 2021 
  43. Hulse, Carl (17 de novembro de 2006). «Pelosi Rebuffed Over Her Choice for Majority Leader». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 22 de março de 2021 
  44. «FOXNews.com - Hoyer Wins House Majority Leader Race, Giving Pelosi First Setback - Politics | Republican Party | Democratic Party | Political Spectrum». 19 de novembro de 2006. Consultado em 22 de março de 2021. Cópia arquivada em 19 de novembro de 2006 
  45. «CORRECTED - Democrats defy Pelosi, elect Hoyer House leader | The Star». www.thestar.com.my. Consultado em 22 de março de 2021 
  46. «Pelosi becomes first woman House speaker - CNN.com». web.archive.org. 6 de janeiro de 2007. Consultado em 22 de março de 2021 
  47. «Oath of Office | US House of Representatives: History, Art & Archives». history.house.gov (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  48. «Pelosi becomes first woman House speaker - CNN.com». web.archive.org. 6 de janeiro de 2007. Consultado em 22 de março de 2021 
  49. «Text of Nancy Pelosi's speech». SFGATE (em inglês). 4 de janeiro de 2007. Consultado em 22 de março de 2021 
  50. «Text of Nancy Pelosi's speech». SFGATE (em inglês). 4 de janeiro de 2007. Consultado em 22 de março de 2021 
  51. «Congressional Favorability Ratings». www.rasmussenreports.com (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021. Cópia arquivada em 14 de junho de 2010 
  52. Dickinson, Tim; Dickinson, Tim (8 de julho de 2018). «Nancy Pelosi: 'They Come After Me Because I'm Effective'». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  53. Dickinson, Tim; Dickinson, Tim (25 de junho de 2018). «The Power of Nancy Pelosi». Rolling Stone (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  54. Caygle, Heather; Debenedetti, Gabriel. «GOP turns to familiar foil amid Trump woes: Pelosi». POLITICO (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  55. Gilbert, Craig. «Exclusive: Nancy Pelosi targeted in more than a third of GOP House commercials». USA TODAY (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  56. «List of Democrats opposing Pelosi». NBC News (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  57. Gautreaux, Ryan J. «Framing the Patient Protection and Affordable Care Act: A Content Analysis of Democratic and Republican Twitter Feeds» (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  58. «- The Washington Post». Why it took a woman to fix health care (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 22 de março de 2021 
  59. «Health Care Overhaul Boosts Pelosi's Clout». NPR.org (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  60. Stolberg, Sheryl Gay; Zeleny, Jeff; Hulse, Carl (20 de março de 2010). «Health Vote Caps a Journey Back From the Brink». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 22 de março de 2021 
  61. Thrush, Glenn; Brown, Carrie Budoff. «Pelosi steeled W.H. for health push». POLITICO (em inglês). Consultado em 22 de março de 2021 
  62. «Pelosi On. Nancy Decorated». Palácio do Quirinal. 2 de junho de 2007 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Imagens e media no Commons
  Notícias no Wikinotícias