Abrir menu principal
Naufrágio do Hableány
Hableány visto em abril de 2017
Nome nativo Hableány
Nome em português Sereia
Hora 21:05 CEST (UTC+2)
Data 29 de maio de 2019 (2019-05-29)
Localização Danúbio, Budapeste, Hungria
Coordenadas 47° 30′ 50″ N, 19° 02′ 40″ L
Tipo Naufrágio
Causa Colisão com outro cruzeiro
Mortes 27[1][2]
Lesões não fatais 7
Desaparecimentos 1
O corrimão da Ponte Margaret decorado com a bandeira da Coreia do Sul e com flores de luto e lembranças, em 3 de junho de 2019.

O Hableány (Sereia, em português) era um navio de cruzeiro fluvial (de 27 metros de comprimento) operado pela Panorama Deck no rio Danúbio em Budapeste, Hungria. Tinha dois pavimentos e uma capacidade de 45 pessoas quando operava como navio de turismo.[3] Em 29 de maio de 2019, o navio estava viajando no Danúbio, em Budapeste, com 35 pessoas a bordo, quando colidiu com outro cruzeiro muito maior (o navio-hotel Viking Sigyn, de 135 metros de comprimento), sob a Ponte Margaret, perto do Edifício do Parlamento.[4][5]

Todos os turistas a bordo eram da Coreia do Sul, sendo que a maioria estava participando de uma excursão planejada pela empresa Very Good Tour, incluindo uma criança.[4]

Das pessoas que estavam à bordo, 27 morreram e 1 turista ainda está desaparecido.[1][2] O nível da água no rio havia aumentado devido a fortes chuvas recentes.[6][7] Sete sobreviventes foram resgatados, sendo que vários foram encontrados a jusante, incluindo um na Ponte Petőfi a aproximadamente 3,2 quilômetros ao sul da colisão.[6]

Após o incidente, a polícia começou a investigar as circunstâncias do incidente no âmbito do processo penal, ameaçando o transporte por via aquática com a suspeita de um desastre em massa mortal de um crime contra um culpado desconhecido. As autoridades envolveram especialistas no procedimento.[8]

A polícia húngara também lançou uma investigação criminal sobre a colisão. O capitão do Viking Sigyn, um ucraniano de 64 anos, foi entrevistado e depois preso no dia seguinte por suspeita de ter causado um acidente em massa durante a operação de um barco.[9] Entretanto, em 11 de junho de 2019, ele foi libertado sob fiança de 15 milhões de forintes (aproximadamente 47.000 euros), com seus advogados negando que ele fosse culpado de qualquer irregularidade.[10]

Em 31 de maio, o Ministério do Interior anunciou que as tentativas de levantar e recuperar o Hableány durante os dois primeiros dias não tinham sido bem-sucedidas e que buscava novas maneiras de revistar o convés inferior para os passageiros presos.[11]

Uma semana depois do acidente, a embaixada húngara em Seul anunciou que parentes das vítimas e membros das autoridades coreanas poderiam viajar gratuitamente entre Seul e Budapeste, em cooperação com a LOT Polish Airlines.[12]

Em 20 de junho de 2019, começou-se uma nova investigação sobre o fracasso da polícia húngara em ignorar o abandono e os primeiros socorros. Com um novo desenvolvimento, também foi relatado que o capitão não detectou a colisão com base nos depoimentos dos passageiros do navio-hotel, porque no momento do acidente ele fez uma selfie com um dos passageiros do Viking Sigyn.[13]

Referências

  1. a b Gergely, Koroknai (3 de junho de 2019). «Felhoztak egy holttestet a Hableánynál merülő dél-koreai búvárok» (em húngaro). Index. Consultado em 3 de junho de 2019 
  2. a b Kovács, Dávid (4 de junho de 2019). «Kulcsnál találták meg a Hableány-tragédia legújabb áldozatát» (em húngaro). Index. Consultado em 5 de junho de 2019 
  3. «Hungary: Seven dead and many missing after boat capsizes in Budapest». BBC News. 29 de maio de 2019. Consultado em 30 de maio de 2019 
  4. a b «7 South Koreans dead, 19 missing after tourist boat sinks in Hungary». CNN. 29 de maio de 2019. Consultado em 30 de maio de 2019 
  5. Marianna, Kárpáti Márton, Flachner Balázs, Sajó Dávid, Tenczer Gábor, Biró (29 de maio de 2019). «Ütközött, felborult és elsüllyedt egy hajó a Dunán a Parlamentnél, legalább 7 ember meghalt» (em húngaro). Index. Consultado em 30 de maio de 2019 
  6. a b Novak, Benjamin (29 de maio de 2019). «Boat Sinks in Danube, Killing at Least 7 on Tour of Budapest». The New York Times. Consultado em 30 de maio de 2019 
  7. Dunai, Marton (29 de maio de 2019). «Seven South Korean tourists killed, 19 missing after Hungarian boat capsizes on Danube». Reuters. Consultado em 30 de maio de 2019 
  8. Sándor, Czinkóczi (30 de maio de 2019). «Büntetőeljárásban vizsgálják a dunai hajóbaleset körülményeit» (em húngaro). 444. Consultado em 30 de maio de 2019 
  9. «Őrizetbe vették a szállodahajó kapitányát» (em húngaro). Hirado. Consultado em 3 de junho de 2019 
  10. «Cruise ship captain bailed in Hungary after fatal accident». Reuters. 11 de junho de 2019. Consultado em 13 de junho de 2019 
  11. Novak, Benjamin; Karasz, Palko (31 de maio de 2019). «Flooded Danube Hampers Rescuers After Budapest Boat Accident». The New York Times. Consultado em 3 de junho de 2019 
  12. «Magyarország Szöuli Nagykövetsége /Embassy of Hungary in Seoul». Facebook. Consultado em 6 de junho de 2019 
  13. János, Szemán László (20 de junho de 2019). «Dunai hajóbaleset: Cserbenhagyás miatt is nyomoznak már a rendőrök» (em húngaro). Magyar Nemzet. Consultado em 20 de junho de 2019 
  Este artigo sobre a Hungria é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.