Abrir menu principal

Wikipédia β

Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde junho de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde janeiro de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Touros da raça Nelore

Nelore, o boi branco, é uma raça de gado bovino originária da Índia. Os primeiros exemplares chegaram ao Brasil no final do século XVIII, e rapidamente se tornaram predominante no rebanho brasileiro (85% do rebanho total). Espalhou-se por toda a América do Sul e, principalmente no Brasil devido à sua alta fertilidade a pasto, e capacidade de sobrevivência. O Nelore é a raça base para o cruzamento de gado de corte no Brasil.[1]


HistóricoEditar

Raça Ongole

Raça historicamente introduzida no território indiano pelos arianos, antes mesmo da era cristã (AC), o ongole como é conhecido na Índia, habita a região de ongole localizada em Madras no extremo Sul do país. Por motivos culturais e religiosos, estes animais não são utilizados para produção de carne e sim para produção de leite e como animal de tração nas lavouras de tribos indianas.[2]

Genearcas da Raça nelore 123Editar

A introdução do nelore no Brasil, foi baseada na importação de grandes raçadores vindos da Índia, que, ao longo do tempo, nortearam a formação dos rebanhos brasileiros. São eles os touros: Karvadi, Golias, Taj Mahal, Rastã, Checurupado, Godhavari, Padu e Akamasu.[3]

Karvadi, o pai da linhagem nelore no BrasilEditar

Kavardi foi um touro da raça nelore (ongole), que recebia o nome de sua tribo de origem a tribo de Karvadi. Na Índia já tinha conquistado os prêmios de tetracampeão nacional e campeão da Ásia. Foi adquirido pelo funcionário José da Silva (Dico) da fazenda VR no município de Uberaba-MG, que foi enviado em expedição à Índia a pedido do fazendeiro Torres Homem para trazer novos exemplares da raça nelore a fim de refrescar o sangue dos rebanhos de nelore brasileiros e afastar o problema da consanguinidade. Após enfrentar uma longa burocracia por parte do governo da Índia para a importação, a longa viagem para o Brasil e o grande período de quarentena na ilha de Fernando de noronha o animal desembarcou no porto de Santos e rumou para fazenda VR. Considerado o melhor touro da história da raça nelore, Karvadi deixou milhares de descendentes parte deles por monta natural, e é tido como o pai da linhagem nelore brasileira. Ainda hoje existem ampolas do sêmen deste touro na central da fazenda VR sem data prevista para venda.[4]

Grandes campeões da RaçaEditar

As duas principais exposições da raça nelore são a Expozebu, que ocorre anualmente em Uberaba-MG e a Expoinel, que ocorria em sedes diversas, porém nos últimos anos também tem sido realizada em Uberaba-MG. A seguir estão listados todos os campeões da raça aclamados durantes as exposições citadas:

Expozebu Expoinel
Ano Grande Campeão Ano Grande Campeão
2016 Talento FIV do Bony 2016 Talento FIV do Bony
2015 Objuan FIV do Mura 2015 Objuan FIV do Mura
2014 KAYAK TE MAFRA 2014 KAYAK TE MAFRA
2013 ELKRO FIV FNT  2013 Kongo TE Mafra
2012 ALARME EDTO  2012 NASIK FIV DA PERBONI
2011 Master VI TE do JAL 2011 Regato FIV AJJ
2010 Serro FIV da Bacaray 2010 Lux Neogrego
2009 MISSONI GUADALUPE 2009 Rima FIV Capolavoro 2
2008 Fadel TE Cruz Alta 2008 Fadel TE Cruz Alta
2007 Delein da Fort. VR 2007 Fricks SJ Cocal
2006 Vernon TE AP 2006 Flox TE da HP
2005 Lufo TE da Carpa 2005 Innsbruck da Guadalupe
2004 Jeru FIV Brumado 2004 Hock TE BM da FC
2003 Maghaiver da S. Nice 2003 Lux Granutu TE
2002 Rourke TE QG Arataú 2002 Jamal da Frefer
2001 Edhank TE BM da FC 2001 Templo da Zeb. VR
2000 Big Ben da SN 2000 Big Ben PO NI
1999 Omulu PO da Jatobá 1999 Big Ben da SN
1998 Enlevo da Morungaba 1998 Dheluz CM
1997 Bau da S. Nice 1997 Egipan LR do Vale
1996 Mig da Zeb. VR 1996 Mig da Zeb. VR
1995 Dhalai Mata Velha 1995 Sulk da Sabiá
1994 Lagam POI da Zeb. VR 1994 Fajardo da GB
1993 Pradesh 1993 Capote da Terra Boa
1992 Nambi Mata Velha 1992 Nambi Mata Velha
1991 Garoto da Fort. VR 1991 Raposo Junior da ND
1990 Inca POI da 3 Cox. 1990 Ek POI da RV
1989 Legat da Sabiá 1989 Agasalho da Zeb. VR
1988 Meridian POI WJ 1988 Agasalho da Zeb. VR
1987 Bhãjol POI da Zeb.VR 1987 Agasalho da Zeb. VR
1986 Vasuveda POI 1986 Ion da Sabiá
1985 Hãsur da Sabiá 1985 Agasalho da Zeb. VR
1984 Osiris Terra Boa 1984 Osiris Terra Boa
1983 Gangayah POI do Brumado 1983 Timbre OT
1982 JE Ótimo da EN 1982 JE Ótimo da EN
1981 Piuzan da BO 1981 Timbre OT
1980 Musthãk da Zebulândia 1980 Rommur POI Zeb.

FuncionalidadeEditar

Além de ser a raça para produção de carne In-Natura mais utilizada e abundante no Brasil, a raça nelore vem, principalmente nos últimos 50 anos, sendo utilizada para o melhoramento genético. Os animais passam por uma avaliação e então são registrados por técnicos especializados recebendo uma marca da ABCZ no rosto, numerados e então recebendo o pronome de P.O (Puro de Origem). Atualmente, no Brasil, a criação para este aprimoramento vem crescendo gradualmente e se tornando uma das alavancas comerciais na agropecuária brasileira, recebendo destaque nacional e notoriedade internacional.

Índice

ABCZ e ACNBEditar

Os criadores da raça no Brasil se organizaram em duas entidades: a ABCZ (Associação Brasileira de Criadores de Zebu) e a ACNB (Associação de Criadores de Nelore do Brasil).

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar