Nelson de Oliveira

escritor brasileiro
 Nota: Este artigo é sobre o escritor. Para o futebolista, veja Nélson Oliveira. Para o ciclista, veja Nelson Oliveira.

Nelson Luiz Garcia de Oliveira, mais conhecido como Nelson de Oliveira ou, ainda, Luiz Bras, Teodoro Adorno e Valerio Oliveira (Guaíra, 22 de abril de 1968[1]) é um escritor brasileiro.

Nelson de Oliveira
Nelson de Oliveira
Nelson de Oliveira em 2012
Nome completo Nelson Luiz Garcia de Oliveira
Nascimento 1968 (56 anos)
Guaíra
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Romancista, contista, cronista, ensaísta e organizador de antologias
Prémios Prémio da Associação Paulista dos Críticos de Arte (2001)

Prémio Casa de las Américas (2011)

Magnum opus O Filho do Crucificado

Possui o título de mestre em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), e publicou, dentre outros títulos, Naquela época tínhamos um gato (1998), Treze (1999), Subsolo infinito (2000), O filho do crucificado (2001) e A maldição do macho (2002). Organizou duas antologias de contos da geração 90: Manuscritos de computador (2001) e Os transgressores (2003).

Tem textos (contos e críticas) publicados nas revistas Cult e Livro Aberto (SP), Medusa (PR) e Bravo, e nos jornais Correio Braziliense, O Globo e Suplemento Literário de Minas Gerais, Rascunho (jornal literário) e Folha de S.Paulo.

Em 2012, adotou o pseudônimo Luiz Bras para assinar obras de ficção científica.[2]

Prêmios editar

Recebeu diversos prêmios, entre eles o Prêmio Casa de las Américas (1995), Fundação Cultural do Estado da Bahia (1996), Melhor Livro de Contos: O filho do Crucificado, Associação Paulista dos Críticos de Arte(2001), Melhor Projeto Editorial: Geração 90, os transgressores, Associação Paulista dos Críticos de Arte(2003), Prêmio Clarice Lispector, Fundação Biblioteca Nacional(2007) e novamente o Casa de las Americas em 2011.[3]

Obras editar

Antologias Organizadas editar

  • Fractais Tropicais (2018)
  • Geração Zero Zero - Fricções em Rede (2011)[4]
  • Geração 90 – Contos de Computador (2001)
  • O século oculto (2002)
  • Geração 90 – Os Transgressores (2003)
  • Cenas da Favela (2007)
  • Futuro Presente (2008)
  • Blablablogue – crônicas e confissões (2009)
  • Cartas do fim do mundo (2009)
  • Todas as Guerras - Vol. I (2009)

Ensaios editar

  • Verdades Provisórias [anseios crípticos] (2003)
  • Oficina do escritor: sobre ler, escrever e publicar (2008)
  • Axis Mundo: o jogo das forças na lírica portuguesa contemporânea (2009)

Contos editar

  • Os saltitantes seres da Lua (1997)
  • Naquela época tínhamos um gato (1998)
  • O filho do crucificado (2001)
  • Pequeno dicionário de percevejos (2004)
  • Sólidos Gozosos, Solidões Geométricas (2004)
  • Algum Lugar em Parte Alguma (2005)
  • Ódio sustenido (2007)

Romances editar

  • Subsolo Infinito (2000)
  • A Maldição do Macho (2002)
  • O oitavo dia da semana (2005)
  • Babel Babilonia (2007)
  • Poeira: demônios & maldições (2010)

Referências

  1. «CePe Editora: Autores, Luiz Bras» 
  2. «Nelson de Oliveira troca de nome e estilo». Folha de S. Paulo. 25 de agosto de 2012. Consultado em 22 de dezembro de 2015 
  3. Nelson de Oliveira recebe o prêmio Casa de las Américas
  4. «Língua Geral». www.linguageral.com.br (em inglês). Consultado em 10 de maio de 2017 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre literatura é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.