Neoenergia Pernambuco

empresa de distribuição de energia elétrica pertencente à Neoenergia, subsidiária do grupo espanhol Iberdrola

A Neoenergia Pernambuco (antiga Celpe) é uma empresa de distribuição de energia elétrica pertencente à Neoenergia, subsidiária do grupo espanhol Iberdrola. Sua área de concessão abrange todo o estado de Pernambuco e o município de Pedras de Fogo (PB).

Neoenergia Pernambuco
Neoenergia Pernambuco
Razão social Companhia Energética de Pernambuco S.A.[1]
Empresa de capital aberto
Slogan O futuro a gente faz agora.
Cotação B3CEPE3; CEPE5; CEPE6
Atividade Distribuição de energia elétrica
Gênero Sociedade anônima
Fundação 10 de fevereiro de 1965 (59 anos)
Sede Brasil Recife, PE
Área(s) servida(s) Estado de Pernambuco e Pedras de Fogo (PB)
Proprietário(s) Neoenergia
Presidente Saulo Cabral e Silva
Empresa-mãe Iberdrola
Ativos R$ 90,2 bilhões
Receita Aumento R$ 7,9 bilhões (2021)[2]
Lucro Aumento R$ 376 milhões (2021)[2]
Website oficial www.neoenergiapernambuco.com.br

História

editar

Foi criada em 10 de fevereiro de 1965 com o nome Companhia de Eletricidade de Pernambuco, como empresa estatal após a fusão do DAE com a Pernambuco Tramways.

Era uma empresa estatal, sob o nome de Companhia de Eletricidade de Pernambuco. Em 1990 passou a se chamar Companhia Energética de Pernambuco, em função da modernidade e agilidade dos negócios mas mantendo, no entanto, a sigla CELPE. Foi privatizada em 2000 e adquirida por um consorcio composto pela Iberdrola, da Espanha, Caixa de Assistência dos funcionários do Banco do Brasil e Banco do Brasil Investimento, mantendo portanto a maioria da participação nacional. Em 2004 o consorcio controlador passou a se chamar grupo Neoenergia.

Em 2021 a companhia passou a se chamar Neoenergia Pernambuco.

A Neoenergia Pernambuco atende a uma população de mais de 9,5 milhões de habitantes nos 184 municípios de Pernambuco[3]

Reajustes tarifários

editar

A ANEEL define anualmente os reajustes tarifários para as distribuidoras de energia elétrica no Brasil.

A partir de Reajuste tarifário
Baixa tensão
B1
Baixa tensão
cativos
Alta tensão
cativos
14 de maio de 2023[4] +8,16% +8,51% +10,41%
29 de abril de 2022[5] +18,50% +18,97% +19,01%
29 de abril de 2021[6] +7,46% +8,01% +11,89%
1 de julho de 2020[7] +4,48% +4,88% +5,93%
29 de abril de 2019[8] +5,14% +5,56% +3,76%
29 de abril de 2018[9] +8,41% +8,47% +9,90%
29 de abril de 2017[10] +8,85% +8,87% +4,85%
29 de abril de 2016[11] +11,50% +11,66% +6,77%
29 de abril de 2014[12] +17,51% +17,69% +17,86%

Referências

Ligações externas

editar