Neovagina é o resultado de uma técnica cirúrgica (a vaginoplastia) que consiste na construção de uma vagina perineal onde antes não existia.[1] [2]

É muito comum entre transexuais que tencionam completar totalmente sua transição de gênero e viver completamente em harmonia entre o corpo e a mente, assim como para facilitar a obtenção de identidade feminina ainda em quase todos os países em que a cirurgia é reconhecida (na Espanha não há necessidade de uma vaginoplastia para obter oficialmente identidade feminina para transgêneros).

Em algumas técnicas cirúrgicas em transexuais MtF (Male to Female, de homem para mulher) a glândula bulbouretral é mantida para possibilitar que a neovagina tenha lubrificação natural.

A cirurgia é também muito utilizada para mulheres que nascem com agênese vaginal, anomalia rara mas recorrente na população.[3]

Referências

  1. «"Neovagina" sente orgasmos». O Tempo Brasil. 29 de janeiro de 2011. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  2. Carolina Cotta (19 de julho de 2016). «Redesignação sexual: você sabe como é a cirurgia de mudança de sexo?». O Estado de Minas. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  3. Laís Barros Martins (10 de abril de 2017). «Síndrome rara afeta mulheres que nascem sem o canal vaginal». M de Mulher. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.