Abrir menu principal
General Nguyễn Ngọc LoanCombatente Militar
Conhecido(a) por Sáu Lèo
Nascimento 11 de dezembro de 1930
Vietname do Sul República do Vietname
Morte 14 de julho de 1998 (67 anos)
Estados Unidos Burke (Virgínia)
Serviço militar
Serviço Exército da República do Vietname
País Vietname do Sul República do Vietname do Sul
Patente General de Brigada
Conflitos Guerra do Vietnã
Ofensiva do Tet

General Nguyễn Ngọc Loan (11 de dezembro de 1930[1] - 14 de julho de 1998), era chefe da polícia nacional da política da República do Vietname. Adquiriu fama mundial na década de 70, com a foto tirada pelo Pulitzer de 1969[2] Eddie Adams durante a Guerra do Vietname (1959-1975), mais especificamente durante a ofensiva do Tet. Na foto em questão, Loan, então comandante da polícia da República do Vietname, executa o prisioneiro vietcong Nguyen Van Lem, também conhecido como Capitão Bảy Lốp.

BiografiaEditar

Nguyễn Ngọc Loan, apelidado Sáu Lèo, General de Brigada aposentado da República do Vietname do Sul. Algumas semanas antes da famosa execução, Loan foi gravemente ferido em combate; a lesão na perna esquerda resultou na sua amputação. Além do serviço militar, Loan trabalhou em prol da construção hospitalar.

Recomeço=Editar

À época da Queda de Saigon (1975), Loan deixou o Vietname do Sul. Foi para os Estados Unidos e abriu uma pizzaria no Shopping Rolling Valley em Washington, D.C., subúrbio de Burke, Virginia. Em 1991, Loan sentiu mais uma vez os efeitos danosos da propaganda ideológica. Ao ter sua identidade divulgada publicamente, teve de se aposentar.

O fotógrafo Eddie Adams lembrou que em sua última visita à pizzaria, viu escrito em uma parede banheiro: "Nós sabemos quem você é, filho da(...)".

MatrimônioEditar

Nguyễn Ngọc Loan era casado com Chinh Mai, com quem criou seus 5 filhos de um casamento anterior com uma francesa.

FalecimentoEditar

O general faleceu em 1998 por causa de um câncer, aos 67 anos, em Burke, Virginia.[3]

Eddie AdamsEditar

Só em 85, o fotógrafo americano veio saber os motivos do assassinato do prisioneiro. Arrependido pelo rumo que as coisas tomaram desde a captura da cena em Saigon, Adams se desculpou pessoalmente com o Loan pelos danos irreparáveis à sua vida e honra.

Escrevera Adams à revista Time:

"O general matou o Viet Cong; Eu matei o general com a minha câmera. Fotografias são as armas mais poderosas do mundo. Pessoas acreditam nelas; mas fotografias mentem, mesmo sem manipulação. Elas são meias-verdades... O que a fotografia não diz é, 'O que você faria se você estivesse no lugar do general naquele tempo e lugar num dia quente, e pegasse um chamado "cara mau" depois que ele exterminou um, dois ou três americanos?"[4]
 
Eddie Adams.

Quando do falecimento de Loan, Eddie declarou:

"O cara era um herói. A América deveria estar chorando. Eu simplesmente odeio vê-lo "indo" desta forma, sem que as pessoas saibam nada sobre ele."[5]
 
Eddie Adams.
"Ele combatia a nossa guerra, pelo seu povo. Tinha ajudado a construir um hospital em Saigon, tinha apenas assistido ao massacre de vários dos seus colegas"
 
Eddie Adams.

Adams também enviou flores aos familiares e um bilhete com as seguintes palavras:

"Peço desculpas. Os meus olhos estão cheios de lágrimas."
 
Eddie Adams.

Referências

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.