Abrir menu principal

Nicéforo III Botaniates

Nicéforo III
Imperador bizantino
Meister der Predigtsammlung des Heiligen Johannes Chrysostomus 001.jpg
Nicéforo Botaniates
Reinado 7 de janeiro de 1078– 1 de abril de 1081
Consorte Bebdene
Maria da Alânia
Antecessor(a) Miguel VII Ducas
Sucessor(a) Aleixo I Comneno
Dinastia Ducas
Nascimento ca. 1002
Morte 10 de dezembro de 1081

Nicéforo III Botaniates (em grego: Νικηφόρος Γ΄ Βοτανειάτης; transl.: Nikēphoros III Botaneiatēs), imperador bizantino entre 1078 e 1081,[1] pertencia a uma família que reclamava descender dos Fábios romanos e dos Focas bizantinos. Nicéforo Botaniates fora general nos exércitos de Constantino IX Monômaco e de Romano IV Diógenes, e no reinado de Miguel VII Ducas tornou-se governador do Tema Anatólio e o comandante de todas as tropas na parte asiática do império.

Em 1078 revoltou-se contra Miguel VII Ducas e o seu ministro das finanças Niceforitzes, e com a conivência dos turcos seljúcidas, marchou sobre Niceia, onde se proclamou imperador. Confrontado com outro general sublevado, Nicéforo Briénio (pai ou avô do césar Nicéforo Briénio), a sua eleição foi ratificada pela aristocracia e pelo clero, enquanto Miguel VII abdicava e se tornava monge. Em Março ou Junho de 1078 Nicéforo III Botaniates entrou triunfalmente em Constantinopla e foi coroado pelo patriarca Cosme I. Com o auxílio do general Aleixo I Comneno, derrotou Briénio e outros rivais, mas não conseguiu deter a invasão turca da Ásia Menor.

Com o propósito de consolidar a sua posição, Nicéforo III procurou casar-se com Eudóxia Macrembolitissa, mãe de Miguel VII e viúva dos imperadores Constantino X Ducas e Romano IV Diógenes. O seu plano foi empecido pelo césar João Ducas, e Nicéforo casou-se com Maria de Alânia, a viúva de Miguel VII, em violação dos cânones da Igreja. No entanto, Nicéforo recusou-se a reconhecer os direitos sucessórios dos filho de Maria, Constantino Ducas, o que fez do imperador o alvo das conspirações e suspeitas da facção dos Ducas na corte. A administração de Nicéforo também se deparou com obstáculos, uma vez que os cortesões por ele nomeados se incompatibilizaram com os funcionários permanentes e não conseguiram impedir a continuada desvalorização da moeda bizantina.

Nicéforo tornou-se cada vez mais dependente do apoio de Aleixo Comneno, que derrotou a rebelião de Nicéforo Basilácio nos Bálcãs e de Nicéforo Melisseno na Anatólia (1080). O Império Bizantino também enfrentava ameaças externas, tais como o duque normando Roberto Guiscardo da Apúlia, que declarou guerra sob o pretexto de defender os direitos do jovem Constantino Ducas, prometido à sua filha Helena. Com Aleixo à frente de um numeroso contingente reunido para enfrentar a invasão normanda, a facção dos Ducas, liderada pelo césar João Ducas, conspirou para derrubar Nicéforo e substituí-lo por Aleixo. Não tendo conseguido o apoio nem dos turcos seljúcidas e nem de Nicéforo Melisseno (sendo que ambos eram seus inimigos declarados), Nicéforo III viu-se forçado a abdicar depois de um golpe sem violência em 1081. O imperador deposto retirou-se para um mosteiro que ele próprio instituíra e aí morreu nesse mesmo ano.

Ver tambémEditar

Precedido por
Adriano Dalasseno
Duque de Antioquia
Antes de 1062 (?)
Sucedido por
Niceforitzes

Referências

  1. John H. Rosser (2012). Historical Dictionary of Byzantium. Scarecrow Press. p. 512. ISBN 978-0-8108-7567-8.

BibliografiaEditar

  • The Oxford Dictionary of Byzantium, Oxford University Press, 1991.
Precedido por
Miguel VII Ducas
Imperador bizantino
1078 - 1081
Sucedido por
Aleixo I Comneno